A trajetória de um moço de Deus chamado Davi

-Texto para reflexão: Porque, na verdade, tendo Davi servido à sua própria geração, conforme o desígnio de Deus, adormeceu, foi para junto de seus pais e viu corrupção (Atos 13.36).
Geralmente nas nossas relações olhamos para aquele que é simpático, para aquele que é mais divertido e tem boa influência no meio da sociedade. Geralmente não temos facilidade de dar atenção para os menos favorecidos, os mais humildes, os mais complicados na vida.
Muito provavelmente Samuel desceu para a casa de Jessé com este pensamento, com este comportamento. Talvez ele tenha pensado: vou ungir rei aquele que for mais forte, aquele que mais me agradar.
Só que a palavra de Deus para o coração de Samuel foi: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque eu o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração.
Samuel não deveria agir como as pessoas agem, elas olham para a aparência, para as características externas, para o comportamento superficial das pessoas. Samuel deveria olhar como Deus olha, Samuel deveria olhar o caráter, o coração, a alma do futuro rei e não aquilo que fazia ou o que possuía.
O texto fala que Jessé chamou a Abinadabe, e o fez passar diante de Samuel, o qual disse: Nem a este escolheu o Senhor.
Jessé fez passar a Samá; Samuel, porém, disse: Tampouco a este escolheu o Senhor. Jessé apresentou sete de seus filhos diante de Samuel; porém Samuel disse a Jessé: O Senhor não escolheu a nenhum destes. Talvez ele não entendesse muito bem o propósito de Deus naquele momento. Mas, Samuel pergunta a Jessé: São estes todos os teus filhos? Respondeu Jessé: Ainda falta o menor, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda trazê-lo, porquanto não nos sentaremos até que ele venha aqui.
O texto diz que Jessé mandou buscá-lo e o fez entrar. O versículo 12 diz que o mais novo – o pastor de ovelhas era ruivo, de belos olhos e de gentil aspecto. Então disse o Senhor: Levanta-te, e unge-o, porque é este mesmo. Samuel tomou o vaso de azeite e o ungiu no meio de seus irmãos e daquele dia em diante o Espírito do Senhor se apoderou de Davi.
Que coisa extraordinária a vida deste moço de Deus. As histórias lindas sobre este jovem continuam e o texto informa no capítulo 16.14 que o Espírito do Senhor se retirou de Saul e o atormentava um espírito maligno da parte do Senhor.
Os criados se preocuparam com o espírito maligno da parte de Deus que atormentava ao seu rei. E sugeriram dizer que buscassem um homem que soubesse tocar harpa; e quando o espírito maligno da parte do Senhor viesse sobre ele, o homem tocaria com a sua mão e ele sentiria melhor. E acharam a Davi e as suas qualidades eram:

1. Sabia tocar bem a harpa;
2. Era forte e destemido;
3. Era homem de guerra;
4. Era sisudo em palavras e de gentil aspecto;
5. O Senhor era com ele.

E quando Davi veio se apresentar a Saul, o texto diz que se agradou muito dele e o fez seu escudeiro. E quando o espírito maligno da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito maligno se retirava dele.
Fomos criados para compartilhar o caráter e o amor de Deus através dos relacionamentos com os outros. Deus nos criou para os outros, somos destinados ao amor, para receber amor e para compartilhar amor. Somos criados para refletir na nossa vida o caráter de Deus.
Davi é alguém assim, mesmo com uma idade muito nova. Ele tem 17 anos e já demonstra que é envolvido com o caráter de Deus na sua vida. Quando um rei chamado Saul está apavorado diante das situações na sua vida. Ele precisa de alguém para ajudá-lo. Deus levanta este menino que carrega no seu coração o temor dele.
O texto diz que Davi sabia tocar bem a harpa; era forte e destemido; era homem de guerra; era sisudo em palavras e de gentil aspecto e o melhor, o Senhor era com ele. Ele tinha o caráter de Deus para ser mostrado ao rei Saul. Ele refletia o querer de Deus na sua vida, ele demonstrou amor vindo do próprio Deus em relação a Saul no meio da sua aflição que vinha da parte de Deus.
Somos convidados pelo Pai para sermos pessoas assim. Percebam que Davi achou graça diante do rei. E quando o espírito maligno da parte do Senhor vinha sobre Saul, Davi tocava com a sua mão e ele sentia-se melhor. A presença de Davi era marcante na vida de Saul. Como está o reflexo de Deus nas nossas relações?
Percebam que o nosso caminho é o cuidado com os pequeninos de Deus, com aqueles que estão enfermos, doentes, encarcerados, esquecidos, abandonados. Ser adorador é isto, é refletir o caráter de Deus nas relações com estas pessoas. Pois, o essencial de tudo é realmente ser parecido com Jesus. E a maneira de vivermos isto é cuidando dos pequeninos de Deus. Isto deve ser feito com amor sem que as pessoas percebam, porque se faz naturalmente.
Nós só não percebemos que não respiramos, quando perdemos o ar. Assim, é a vida do discípulo, ele faz o bem, ele cuida dos pequeninos como algo absolutamente natural. Ele reflete através da própria vida o caráter de Deus.
Quando nos parecemos com Jesus refletindo o seu caráter, não podemos ficar passivos vendo o caos da sociedade (RAMOS, Ariovaldo. XII Encontro do Projeto Timóteo. São Paulo: Hotel Dinastya Jundiaí, Pastoreio do Rebanho – o que é igreja?).
Não podemos ficar vendo a desgraça do nosso país sem nos envolver e tocar a harpa que traz consolo e refrigério para o coração. Não podemos deixar de estar ao lado daqueles que sofrem. Seja um Davi da vida e reflita o caráter de Deus na sua própria vida!
___________
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas