Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2015

Quem nós somos

Precisamos de um lugar seguro para admitir e explorar nossos desejos, uma comunidade de companheiros de jornada que acreditem que os nossos desejos não são essencialmente vergonhosos, mas absolutamente humanos e já satisfeitos em Jesus. Precisamos de espaços para dizer quem de fato nós somos. Precisamos de amigos com os quais não temos medo de abrir a nossa pagina interna com todos os dilemas e conflitos do coração. As nossas comunidades precisam ser espaços de consertar corações que possuem dilemas, alegrias e histórias das mais diversas formas (Alcindo Almeida).

Vem aí meu novo livro: Depressão na vida

O livro visa o entendimento da depressão não como algo que nos leva para o buraco, para o desânimo total, mas algo que nos leva a redescobrir a força na fraqueza. Força que pode ser encontrada na graça do Eterno Deus para que enfrentemos da maneira mais honesta e verdadeira situações tão difíceis como a depressão. E assim, restabelecidos, vivamos de maneira sadia e totalmente dependente do Deus criador.

Cultivando a comunhão divina

Davi disse no Salmo 27.4: Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que eu more na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir (aprender) no seu templo. Davi tem um desejo no seu coração e ele pede para o Senhor o cumprimento deste desejo. O desejo é morar na casa do Senhor todos os dias da vida dele. E isto ele quer fazer de uma maneira profunda, ele quer aspirar este desejo, ele quer procurar e empenhar-se muito para fazer isto. A ideia aqui de morar na casa do Senhor é de ter um lugar de refúgio, um lugar de convívio com o Deus Pai. E Davi quer viver neste lugar de refúgio para contemplar a beleza, a majestade, a formosura do Senhor. Ele também quer aprender muitíssimo no lugar de refúgio do seu coração. Ou seja, Davi quer meditar no Deus que é luz dele, que é a sua salvação, que é a sua fortaleza total. Ele sabe quem Deus é e o que significa para Davi, por isso, ele quer morar, habitar no lugar onde ele tem um contato com Deus, ele qu…

Um Jesus diferente

Jesus tinha ternura, ele experimentou na história a amizade e o carinho para com os pecadores. Ele amou crianças e as trouxe para perto na candura e jeito simples delas. Ele trouxe a dignidade de volta para mulheres que eram desprezadas pela sociedade judaica. Ele não deu vazão para um coração duro em nenhum momento das suas relações humanas. Em tudo ele agiu em função do seu amor divino e gracioso (Livro O Jesus da proximidade).

As razões de viver

Talvez seja o distanciamento, um gentil 'abandono', o que permite aos idosos atravessar as ilusões de imortalidade e sorrir para todas as urgências e emergências de sua vida passada. Quando tudo é colocado no devido lugar, há tempo para acolher as verdadeiras razões de viver" (Envelhecer - a Plenitude da Vida. Henri J. M. Nouwen / Walter J. Gaffney).

Somos mordomos

Uma das maiores angústias do ser humano é como agradar a Deus em tudo o que se fizer. É uma angústia porque a nossa natureza humana busca ardentemente o benefício próprio humano sempre. Para agradarmos a Deus precisamos ter um princípio que com certeza se chocará com a nossa natureza humana. Que é o princípio da autonegação, da abnegação. Para agradarmos o nosso Deus, precisamos deixar de lado todo o nosso egoísmo, a nossa soberba, o orgulho e interesses próprios. Precisamos atender a Palavra de Jesus dita aos discípulos em Marcos 8.34 b: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. A verdade é que podemos agradar a Deus com tudo o que nos dá praticando alguns itens na vida crendo que tudo é dele e somos apenas servos, mordomos seus:
·Dízimo é um ato de compromisso:
O dízimo é uma prescrição divina. O verbo trazer que aparece no texto de Malaquias 3.10 é imperativo! Ele é resultado de relacionamento com Deus. Entendemos essa questão como um mandamento…

Jesus e sua proximidade

Estou escrevendo um livro sobre Jesus e sua proximidade com a compaixão e como curador da vida. Confesso que as minhas páginas são traduzidas numa linguagem do Jesus acessível, que tem um toque profundo na vida humana. Estou escrevendo no Evangelho de Mateus sobre o Jesus compassivo, inigualável e que dá todo o sentido à vida de pecadores.

A gramática do ser

Experimentar o amor de Deus de uma forma verdadeira e não ilusória é, portanto, experimentá-lo como uma entrega às suas exigências; nossa conformidade para com o seu desejo. A experiência contrária significa, por assim dizer, um atentado contra a gramática do ser (Um ano com C. S. Lewis - Leituras diárias de suas obras clássicas).

Mais humanos

Somos pessoas chamadas para abraçar os outros, para servir os outros na dinâmica da vida, quando agimos assim, nos tornamos cada vez mais humanos (Um jeito doce de viver com seu cônjuge).

A glória de Deus

A adoração coloca nosso coração na realidade de Deus, e a realidade das nossas motivações e necessidades. Então tudo passa a ser visto a partir da glória de Deus (Timothy Keller).

O Jesus da vida

O fato é que Jesus cura pessoas seja na alma ou no corpo. Ele liberta vidas das amarras, dos sofrimentos e das crises mais profundas da alma (O Jesus da vida. Olhando para Jesus em Mateus).

Amados e aceitos em Cristo

O Evangelho — a mensagem de que somos piores do que jamais ousamos acreditar, porém mais amados e aceitos em Cristo do que jamais ousamos esperar — cria uma nova dinâmica radical para o crescimento pessoal, para a obediência, para o amor (Timothy Keller. Gálatas para você).

O sonho não morre

O sonho encheu a noite. Extravasou pro meu dia. Encheu minha vida. E é dele que eu vou viver. Porque sonho não morre (Adélia Prado).

Equilíbrio na vida

(Provérbios 30.7-9)
Essa oração contida é a única do livro. Não é por acaso que o pedido vem logo após a afirmação de Deus como o grande Criador e vem seguido de uma promessa: a fidelidade divina. A grande percepção na vida é que não podemos enganar a Deus. Ele nos vê como somos, por isso, precisamos pedir tudo para o Eterno com sinceridade.  Vejam que o escritor pede que Deus não lhe dê nem pobreza e nem riqueza. Ele pede apenas o básico para Deus em termos de sobrevivência. Temos ao mesmo tempo dois pedidos visando certo equilíbrio na vida humana. Ele não quer pobreza, para não questionar Deus, e não quer riqueza, para não se esquecer do Eterno Deus na vida. A lógica é se tivermos pouco podemos insultá-lo, se tivermos muito podemos achar que não temos necessidade dele.  Esse homem que provavelmente seja Agur precisava da providência divina para ser resguardado da mentira e da falsidade, para que aquilo que ele sabia, estivesse de acordo com a Palavra de Deus. Ele desejava a integridade…

Nos aposentos

Deus é encontrado nos aposentos dos seus servos e não no palco (Wayne Cordeiro - Jesus puro e simples).

Gratidão no coração

Nossa visão é restaurada somente quando renovamos a gratidão no coração (Wayne Cordeiro - Jesus puro e simples).

Orai sem cessar

A essência da oração está em simplesmente falarmos com Deus como faríamos com um amigo querido. E isso sem qualquer fingimento ou medo. No entanto, o maior problema dos cristãos hoje está no fato de orarem pouco. Falam pouco com o dono da vida e da respiração. Isso acontece porque, para a vida de muitos, a oração foi substituída pela ação pragmática. A função colocou de lado a comunhão com Deus. As nossas atividades diárias têm congestionado a comunhão intensa com Deus. No texto precioso de 1Ts 5.17, Paulo nos convida a ter o nosso coração focado em Deus de modo que a nossa comunhão com ele seja uma atividade transformada no modo de vida natural. Paulo mostra que não há uma ocasião definida em termos de oração. A ideia de orar sem cessar é de estarmos profundamente conectados na comunhão com a Trindade. A oração se torna uma força poderosa vinda de Deus e não de nós mesmos como produto imediato de largas horas passadas com Deus (Alcindo Almeida).

Uma revolução interior

A verdade é que vivemos a realidade do sofrimento na vida. E no meio dele sempre desejamos conscientemente que o Eterno Deus faça algo para nos tirar dele. Só que não é assim, porque na verdade, enquanto sofremos Deus está nos conduzindo para as profundezas de nosso ser, para o centro de nossa alma, onde sentimos nossas paixões mais ardentes. É exatamente no meio do sofrimento  que descobrimos nosso anseio por Deus. E como Larry Crabb diz: começamos a sentir um desejo de conhecê-lo que não apenas sobrevive à toda nossa dor, como também cresce em meio a esse sofrimento até tornar-se um desejo mais intenso do que nosso anseio por todas as coisas boas que ainda queremos. Através da dor dos sonhos destruídos, despertamos para a compreensão de que querermos um encontro com Deus mais do que almejamos pelas bênçãos da vida, e isso dá início a uma revolução interior. Então, sofrimento nos ensina mais do que pensamos e ele é um grande instrumento para nosso crescimento no caráter e dependência…

A práxis da fé

Estou lendo Convulsão protestante, o novo livro de Antônio Carlos Costa. O livro fala de muitos dos que acompanharam as criativas e contundentes manifestações contra a violência e a desigualdade social e em favor dos direitos humanos, em especial na cidade do Rio de Janeiro, cuja eloquência e impacto alcançam a mídia em todo o planeta. Ele não fazia ideia de que, por trás desse movimento, ele sofria uma guinada espetacular em termos de envolvimento com a sociedade. Em Convulsão protestante, ele relata por que decidiu dar uma reviravolta na carreira ministerial e lançar-se na desconhecida e imprevisível jornada em favor da massa empobrecida deste país. Ele é muito articulado e atento aos textos bíblicos e confrontado por Deus, lendo as Escrituras percebeu a necessidade de compreender a sociedade e o desejo de vê-la mais justa e digna para todos em nosso país. Por falar numa sociedade mais justa e digna para todos no país, olho para ela e choro, choro pelo povo carente dessa nação, que v…

Examinando as afeições

Amar o dinheiro significa fixar as afeições em algo que é tido como importante, desejável e até mesmo imprescindível; é um sentimento que define o pensar e determina a ação (Convulsão Protestante: Quando a teologia foge do templo e abraça a rua. Antônio Carlos Costa).

Boas obras

A fé nos capacita e nos impele a praticarmos boas obras (O livro “Das boas obras” de Lutero).

Cuidado com o dinheiro

Amar o dinheiro significa torná-lo nosso senhor ao invés de nosso servo (Convulsão Protestante).

A minha alma chora

Eu choro pela nossa nação, choro pelo povo carente desse país que vive para ganhar apenas o pão e é explorado por não ter acesso as oportunidades melhores. Choro pelos meninos e meninas dessa terra que não têm perspectivas do futuro mais sólido e com ideais profundos! Porque a estrutura do nosso país está comprometida por causa de um punhado de "políticos da pior espécie" que enriquece as custas do patrimônio do nosso Brasil. A única esperança para essa nação é se voltar para o Deus da criação e pedir compaixão, pedir por um povo mais consciente de sua natureza pecaminosa e a necessidade que esse Deus gracioso nos perdoe e nos molde pela sua graça. Para que ele nos dê a graça de praticarmos a tão sonhada justiça social, o cuidado com os menos favorecidos porque vivemos num país de desigualdades enormes e que nos assustam profundamente. A minha alma chora e clama por isso, para que sonhemos com um país onde as pessoas entrem e saiam de suas casas sem medo das balas perdidas e…

Preparando o coração

“Para me tornar como o Pai de quem a única autoridade é a misericórdia, tenho de verter inúmeras lágrimas e assim preparar meu coração para receber qualquer pessoa, não importa qual tenha sido a sua jornada, e perdoá-la com esse coração” (NOUWEN, Henri. A volta do filho pródigo).

Tornar a viver

Estar morto é viver longe da casa do Pai, da sua misericórdia, do seu perdão e do seu amor. Tornar a viver é recuperar a intimidade e comunhão com o Pai (NOUWEN, Henri. A volta do filho pródigo).

Silenciando o coração

No silêncio da alma somos levados ao deserto onde podemos nos retirar e nos livrar das nossas compulsões e habitar na bondosa presença do Eterno Deus. Sem este momento, perdemos noção da reflexão na alma. Quando silenciamos o coração ganhamos a experiência e comunhão com o Pai a quem servimos e amamos (Alcindo Almeida).

Somos amados dele

Nós somos chamados pela graça de Jesus Cristo. Somos escolhidos pelo amor dele para carregar a sua paz no coração porque o Eterno Deus nos ama com um amor eterno. Somos amados dele chamados para o projeto da santidade, da vida de comunhão com o eterno todos os dias da nossa vida.

O Evangelho da glória de Cristo

O Evangelho está contido em Cristo e ele é o Evangelho da glória de Cristo, porque seu grande objetivo é que vejamos, provemos e mostremos sua glória que nada mais é do que a glória do Pai (Livro: Redenção graciosa).

Leituras em maio de 2015

NOUWEN, Henri M / Gaffney, Walter J. Envelhecer a plenitude da vida. São Paulo: Paulinas, 1998. Este livro traz ao leitor pensamentos comoventes e inspiradores sobre o significado do envelhecer, seja para quem está passando pelo processo ou mesmo para os jovens. O texto do renomado autor de obras de espiritualidade é realçado por 85 fotografias que reproduzem diversas cenas da vida e da natureza, mostrando como fazer dos anos tardios uma fonte de esperança em vez de uma época de solidão. Envelhecer - a plenitude da vida é um livro notável, que oferece muitos temas para meditação, para benefício da vida espiritual. Será uma fonte de alegria e otimismo para muitas pessoas. Contém 152 páginas.
SANTOS, Delci Esteves. Deus sabeo quefaz.Assim obedeciassuas ordens sem discutir. São Paulo: Editora Vale da Bênção, 2014. Essa é uma biografia absolutamente sincera da amiga e também missionária Delci, uma mulher de fibra, coragem e muita sensibilidade espiritual. Ela realiza uma missão profunda na…