Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2017

Leituras em agosto de 2017

1.KELLER, Timoty. Ministérios de misericórdia. O chamado para a estrada de Jericó.São Paulo: Vida Nova, 2016. Por que alguém arriscaria a própria segurança, cancelaria a agenda, gastaria suas economias e ficaria todo sujo de terra e sangue para ajudar uma pessoa de outra raça e classe social? E por que Jesus nos diz: “Vai e faze o mesmo” (Lucas 10.37)? O Bom Samaritano não ignorou o homem espancado na estrada de Jericó. Assim como ele, tomamos ciência de pessoas necessitadas à nossa volta: a viúva que mora ao lado, a família afundada em dívidas médicas, o sem-teto que fica do lado de fora da igreja. Deus nos chama a ajudá-los, precisem eles de abrigo, assistência, cuidados médicos ou simplesmente amizade. Tim Keller mostra que cuidar dessas pessoas é tarefa de todo cristão, tarefa tão fundamental ao cristão quanto o evangelismo, o discipulado e a adoração. Mas Keller não para por aí. Ele ensina de que maneira podemos realizar esse ministério vital como indivíduos, famílias e igrejas. …

As noites escuras da alma

Houve um dia que conversava com uma pessoa num atendimento pastoral. E ela fez o seu relato de vida em 8 horas. Havia muita dor, muita angústia e muita chateação por causa das marcas e dificuldades da vida. Enquanto a ouvia, percebia a fisionomia dela, chorava, ria, ficava brava e demonstrava vários tipos de emoções. Não é algo fácil passar pelo sofrimento na vida, as marcas são muito fortes. Há lágrimas e angústias profundas quando sofremos algo na jornada da vida. 
Quero dizer que Deus transforma as noites mais escuras em demonstrações majestosas e esplendorosas de glória. No meio das noites escuras da nossa alma sempre há momentos de paz e graça que o Eterno nos dá. Como diz o salmista Davi: Em me vindo o temor, hei de confiar em ti. No meio das crises e dessas noites terríveis, Deus é a nossa confiança e alento no coração. Ele olha para nós e nos traz tranquilidade. No dia que conversei com essa pessoa, eu disse essas palavras para ela. Disse que Deus estava ouvindo cada suspiro da…

O Cristo de Deus

Jesus disse em Lucas 9.20: Perguntou-lhes então: E vós, quem dizeis que eu sou? - O Cristo de Deus, respondeu Pedro.  Uma geração extremamente confusa é a dos anos 60 e 70. Ela sempre procurou uma resposta para o significado da existência. Em agosto de 1969 houve o Festival de Música “Woodstock” nos EUA e dias depois houve na Inglaterra. Este foi um evento marcado por inúmeras tragédias como, por exemplo: os jovens atraídos pela música de Jimi Hendrix foram parar no hospital por causa do uso de LSD .  Havia 200.000 jovens que deliravam e gritavam. Cinquenta mil almoçaram cigarros de maconha, a maioria jantou cápsulas de LSD. Cerca de 30 mil foram hospitalizados por causa do excesso de drogas. Nesta geração dos anos 60 e 70 havia uma busca pelo significado da vida. A busca se concentrava nas drogas exageradas, na bagunça e no sexo. Esta geração não encontrava o significado para a existência. O problema era existencial. Lucas nos mostra qual é o único vivificador da vida, o único que nos…

O caminho de Jesus

Paulo afirma em Filip. 2.7b-8: E apresentando-se como simples homem, humilhou-se, feito obediente numa cruz. Vivemos dias em que a busca pelo poder é marcante e angustiante. As pessoas buscam todos os dias um meio de alcançar glória e status. Só que diante de tudo isto aprendemos com Deus, que ele revela a sua glória se voltando para a simplicidade. É o Deus da glória, das riquezas e de todo poder, se voltando para aquilo que é simples e pequeno. O Deus da glória se volta para baixo. E se queremos realmente ver a glória de Deus precisamos caminhar com Jesus para baixo. Esta é a razão mais profunda de viver em função da cruz e não de nós mesmos. Queremos ter humildade e buscar a felicidade do outro sem egoísmo?  Sigamos o exemplo do nosso Senhor Jesus Cristo. Paulo mostra que o caminho de Jesus é o da humildade. Jesus vai pelo caminho da humildade e não aparece com grande ostentação como um poderoso Salvador. É difícil entendermos esta trajetória de Jesus, mas, é a que ele segue e se des…

Minuto de graça #100 | Coração quebrantado

Refletindo a glória de Cristo

O texto de Lucas 6:40 afirma: O discípulo não está acima do mestre; bem preparado, será como o mestre. Interessante que Jesus diz aos discípulos aquilo que choca qualquer ser humano que visa à independência na vida.  A palavra se apresenta em três formas equivalentes:  • O discípulo não está acima do seu mestre. • O servo não é maior do que seu senhor. • Nem o enviado maior do que aquele que o enviou. 
As metáforas até mudam, mas a mensagem delas é sempre a mesma: devemos imitar aquele que é maior do que nós. Devemos nos render com humildade diante daquele que é o Senhor dos senhores. Daquele que é o dono absoluto da nossa vida. Quando olhamos para a vida de Paulo percebemos que ele é um imitador de Jesus Cristo. James Houston afirma: Se você não imita a Cristo, você imita a quem? Precisamos entender que não existe uma vida em si mesma, fomos criados e gerados por Deus Pai. A vida é reflexo daquilo que amamos e os nossos desejos refletem o que somos. Paulo afirma em I Coríntios 11.1 que …

Suportando os fracos

Paulo disse em Col. 3.13: Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente toda vez que tiverdes queixa contra alguém. Ele nos convida a viver de maneira séria com Deus no capítulo 3. O convite é que nos revistamos como eleitos de Deus. Ele usa a metáfora do despir que é trabalhado bastante no livro. A ideia é de uma revolução moral na vida, uma experiência que vem como fruto da regeneração, da nova natureza em nós.  Ele deseja que os cristãos nesta nova vestimenta do Evangelho andem como santos, de coração compassivo, com benignidade, humildade e mansidão (Col. 3.12). Esta maneira de viver é suportando uns aos outros e perdoando toda vez que houver alguma queixa contra alguém. Paulo nos ensina em Efésios 4.27: Nem deis lugar ao diabo (difamador). Não deis ao diabo um ponto de apoio. Dar o lugar ao diabo é permitir que ele tenha oportunidade de agir em nossa vida. Devemos resistir ao diabo e não dar a ele qualquer lugar. Tiago no capítulo 4.7 diz que devemos nos sujeitar a Cristo …

Salmos para o coração

Eugene Peterson no seu livro A oração que Deus ouve - Os Salmos como guia básico de oração - diz algo muito importante sobre a questão da oração e da fé nos Salmos:
"As pessoas de fé tomam posse dos Salmos com a mesma atitude e pela mesma razão que os jardineiros empunham a enxada e o ancinho em sua jornada à horta de vegetais, e que os estudantes carregam papel e lápis quando adentram uma sala de leitura. Adquirir tais ferramentas para executar o trabalho humano de modo mais fácil e eficiente é apenas uma questão de ordem prática. Duas coisas são admiráveis com respeito aos Salmos. Uma é que, na prática da oração, eles têm sido marcados por uma extravagante afirmação. A outra é que, na história da oração, eles se colocam com uma singularidade desconcertante".
Nos Salmos aprendemos a abrir o nosso coração e dizer para Deus o que sentimos. Ao orarmos nos Salmos dizemos ao Eterno Deus o que está se passando na nossa alma e coração. Na condição humana a oração é básica à nossa…

Sejamos íntegros na vida

Davi afirma no Salmo 26:11:  Quanto a mim, porém, ando na minha integridade; resgata-me e tem compaixão de mim. O meu pé está firme em terreno plano, nas congregações bendirei ao Senhor.  No final do Salmo ele pode dizer com toda a tranquilidade que anda na sua integridade e que seu pé está firme em terreno plano e que poderá bendizer ao Senhor na presença dele sempre. A ideia desse pé firme em terreno plano, é uma referência ao piso plano do templo no qual o salmista se encontra quanto ao caminho da integridade no qual ele está firme. Este é o desejo de Deus para a nossa relação com ele. Ele quer que tenhamos um coração e mente totalmente provados por ele. Deus quer que sejamos achados fiéis e sinceros, na comunhão e caminhada com ele. O salmista entende que deste caminho ele não sai nunca, mesmo que ele passe pelas tribulações mais extremas da sua vida. Ele acredita que seus pés nunca vacilarão. Que Eterno Deus nos dê a graça de andarmos em integridade e isto com os pés firmes na pres…

Provados e examinados pelo Eterno

Davi diz no Salmo 26:1 a 3: Julga-me, ó Senhor, pois tenho andado na minha integridade; no Senhor tenho confiado sem vacilar. Examina-me, Senhor, e prova-me; esquadrinha o meu coração e a minha mente. Pois a tua benignidade está diante dos meus olhos, e tenho andado na tua verdade.  Eu gosto demais do jeito que Davi fala, se expressa e ora diante do Senhor. Ele pede para que Deus o examine provando-o e esquadrinhando seu coração e mente. Ele quer ter um coração limpo e reto diante de Deus. Ele quer andar de maneira honesta e verdadeira diante daquele que o ama e cuida dele. Davi pede para que o Senhor prove as suas afeições mais profundas. Como precisamos fazer isto na relação que temos com Deus. Necessitamos pedir que nos prove e veja se há algum caminho ruim, que atrapalha a comunhão com o nosso Senhor. Precisamos pedir para que ele examine o nosso coração, pois, como a Bíblia diz, o coração é corrupto, enganoso e muitas vezes não dá atenção aos princípios das Escrituras Sagradas.  Pre…

Minuto de graça #97 | Crucificados com Cristo

O coração é enganoso

Em Col 3.8 Paulo afirma: Mas agora deixai de lado todas estas coisas: ira, raiva, maldade, maledicência e palavras obscenas. Esta é uma questão muito problemática no meio cristão. Somos pessoas cujo coração possui uma maldade interna. A nossa estrutura interna é envolvida pelos traços do pecado. Não é por acaso que Jesus disse em Mateus 15.18-20: Mas o que sai da boca procede do coração; e é isso o que contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas as coisas que contaminam o homem; mas o comer sem lavar as mãos, isso não o contamina. 
O ensino é que do nosso coração saem: ira, raiva, maldade, maledicência e as palavras obscenas. Jeremias também nos ajuda a entender este processo dentro de nós. Para Jeremias, o nosso coração é enganoso e corrupto, ou seja, seus sentimentos e emoções não são confiáveis. O coração do homem é miseravelmente mal, corrupto, sujo, insensível quanto aos…

Leituras em julho de 2017

1.MANNING, Brennan. A implacável ternura de Jesus.São Paulo: Naós, 2011. Deus é um juiz irado? Aquele que cura bondosamente? Um pai? Irmão? Amigo?Brennan leva você a um entendimento mais profundo da verdadeira natureza de Deus. Por meio de histórias comoventes e inesquecíveis e de observações desafiadoras, Manning o ajuda a ampliar sua mente e a rejeitar explicações simplistas de quem Deus realmente é. Com discernimentos ricos, você verá como Deus pode ser ao mesmo tempo um leão que ruge, andando compassadamente sobre o globo e procurando você, e um cordeiro terno, alerta para confortá-lo sempre que precisar.Uma experiência única, este livro mudará para sempre o modo como você pensa sobre Deus. Contém 175 páginas.
2. PETERSON, Eugene. A grande busca. São Paulo: Editora Vida, 2015. Espiritual, mas não religioso. É assim que você se descreve? Você está buscando conhecer mais acerca de Deus — o que quer que você pense que Deus seja — com suas condições e de seu próprio jeito? E, acima de …