Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2019

Leituras em abril de 2019

Uma arte complexa

Mudar é uma arte complexa, empolgante, desafiadora, estimulante e absolutamente possível. Interessante que poucos gostam de mudanças. Vemos isso na igreja, alguns ficam incomodados com as mudanças na liturgia. Uns gostam de musicas mais atuais e outros só gostam de hinos. Na vida, alguns gostam de passear, outros gostam somente de ficar em casa.  Mudança de certa forma sempre trará algum tipo de insatisfação. E isso é muito bom porque quando não há mudanças, estagnamos na vida. O garoto cresce, amadurece, fica homem e passa por inúmeras mudanças tanto no corpo como na mente. Não permanecemos os mesmos ao longo dos anos que se passam na nossa vida.  O ambiente de crise é o passo primordial para o inicio das mudanças. Todos nós precisamos mudar. Não é por acaso que Paulo diz que devemos ser transformados na nossa mente para que experimentemos a boa, perfeita e agradável vontade do Eterno Deus. Eu me lembro de momentos complicados na minha vida, momentos tão complicados que tive de tomar de…

Somos embaixadores de Cristo

Sabemos bem que o trabalho dos embaixadores é que são figuras de vital importância para a política externa de seus países. A função de um embaixador é: representar o governo e promover os assuntos e interesses oficiais do seu país de origem junto a outros países; informar o governo sobre os acontecimentos no país estrangeiro e promover relações amistosas e desenvolver as relações econômicas, culturais e científicas entre as duas nações. Paulo disse aos cristãos de Corinto: Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus vos encorajasse por nosso intermédio. Assim, vos suplicamos em nome de Cristo que vos reconcilieis com Deus. Assim como os embaixadores representamos um Reino, o Reino de Cristo onde quer que estivermos. Um embaixador deve ser um exemplo do seu país na embaixada que está. Nós somos os servos de Cristo como embaixadores do seu Reino. As pessoas conhecerão sobre Cristo e sua obra através de nós. Representamos o Reino de Cristo através das palavras, do caráter, da co…

Espaços do coração

Precisamos de um lugar seguro para admitir e explorar nossos desejos, uma comunidade de companheiros de jornada que acreditem que os nossos desejos não são essencialmente vergonhosos, mas absolutamente humanos e já satisfeitos em Jesus.  Precisamos de espaços para dizer quem de fato nós somos. Precisamos de amigos com os quais não temos medo de abrir a nossa pagina interna com todos os dilemas e conflitos do coração. Hoje vivemos o dilema do descartável e da pressa para tudo. Não conseguimos parar para ter um tempo só para bater papo, dividir os espaços do coração e contar as histórias da alma.  Precisamos imitar o nosso mestre Jesus Cristo de Nazaré, ele fazia cada oportunidade da vida, uma tempo de conversa. Ele vai na casa de Zaqueu e toma um café com ele. Ele vai na casa de Maria e Marta e conversa com elas. Ele dialoga com Maria Madalena e com um centurião romano. Ele ama estar com pessoas que ele mesmo criou. As nossas comunidades precisam ser espaços de consertar corações que pos…

Uma proposta divina

A ansiedade é uma emoção caracterizada por um estado desagradável de agitação interior, muitas vezes acompanhada de comportamento nervoso, como o de se embalar de trás para a frente. É o sentimento desagradável de terror por eventos antecipados, tal como a sensação de morte iminente.  Dizem que a ansiedade é "o mal do século". Temos percebido e visto que as vendas de calmantes e antidepressivos são cada vez maiores. Quantas vezes nos pegamos envolvidos pela ansiedade. É a ansiedade para ver o filho tendo a experiência de ir para a Faculdade. É a ansiedade para ver o resultado dos exames por causa de uma suspeita de tumor. É a ansiedade para uma nova oportunidade de emprego. É a ansiedade por causa da mudança de cidade e de emprego. Enfim, temos inúmeros processos da vida que nos deixam ansiosos e completamente fora de nós mesmos.  Claro que por causa dos efeitos do pecado em nosso ser, temos ansiedade de alguma forma, mas o grande problema é quando nos tornamos prisioneiros …

Espiritualidade com sentido

O livro Modernidade Líquida é uma das principais obras do polonês Zygmunt Bauman, professor emérito das universidades de Leeds (Inglaterra) e Varsóvia (Polônia) e um dos mais importantes sociólogos da atualidade. Bauman diz que alguns acontecimentos da segunda metade do século XX, como a instabilidade econômica mundial, o surgimento de novas tecnologias e a globalização, contribuíram para a perda da ideia de controle sobre os processos do mundo, trazendo incertezas quanto a nossa capacidade de nos adequar aos novos padrões sociais, que se liquefazem e mudam constantemente.  Nessa passagem do mundo sólido ao líquido, ele chama atenção para a liquefação das formas sociais: o trabalho, a família, o engajamento político, o amor, a amizade e, por fim, a própria identidade. Essa situação produz angústia, ansiedade constante e o medo líquido: temor do desemprego, da violência, do terrorismo, de ficar para trás, de não se encaixar nesse novo mundo, que muda num ritmo muito veloz.  Que coisa não…

Sem machucados na alma

A realidade é que o ato de perdoar é de alta complexidade, de muita dificuldade para nós filhos de Adão. O ato de perdoar envolve um longo processo de releitura do passado, usando as lentes divinas do amor, da compreensão e da tolerância. O ato de relevar a ofensa tem a ver com uma atitude de arquivar sem débito algum o fato vivido com o outro.  Exemplifico, um vizinho que era uma pessoa odiosa e me incluiu na lista dele de ódio, mentiu para o meu pai dizendo que eu bati na minha vizinha. Eu não tinha feito isso, eu a empurrei e ela caiu no chão. Éramos crianças e estávamos brincando. Aquele sujeito mau, cheio de ódio e rancor no coração, disse que eu fiz algo errado. Meu pai creditou no sujeito e levei uma surra que me deixou sangrando e com vários ferimentos no corpo. Passei a ter raiva misturada com ódio daquele vizinho. Levou muito tempo para perdoa-lo porque tinha a cena reeditada, trabalhada e cada momento do sufoco, que passei nas mãos do meu pai, tudo por causa dele.  Perdão é …

A Boa Nova

A Reforma Protestante começou no dia em que Martinho Lutero orou sobre o significado das palavras de Paulo em Romanos 1:17: Visto que a justiça de Deus se revela no Evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé. Como muitos cristãos dos nossos dias, Lutero se debatia noite adentro com a questão fundamental: de que forma o Evangelho de Cristo pode ser chamado de Boa Nova?  Sem querer ser muito pretensioso, respondo que pode ser chamado de Boa Nova através do testemunho de gente que anuncia essa boa nova através de gesto simples, como crer em Cristo nos mínimos detalhes da vida. Como acordar e dizer: Obrigado Deus pela vida, saúde e ar que respiramos. O Evangelho de Cristo pode ser chamado de Boa Nova através da nossa vida quando perdoamos aqueles que nos feriram e não viramos o rosto para eles. Porque tem gente que é ferida e deleta o próximo da sua vida. O Evangelho de Cristo pode ser chamado de Boa Nova através da nossa vida quando somos santos na vida, quando obedec…

Restauração do ser humano

Tim Keller afirmou no seu livro A cruz do Rei: Na cruz, Jesus recebeu o que merecíamos a fim de que pudéssemos receber o que ele merece. Quando percebemos que toda essa imensa inversão de coisas foi por nós, quando notamos que ele abriu mão de toda a riqueza cósmica e se inseriu em meio à pobreza deste mundo, a fim de que pudéssemos ser espiritualmente ricos, isso nos mudará. 
Como podemos pensar sobre essa entrega do Senhor Jesus? O nosso verdadeiro tesouro, o nosso Salvador enfrentou o que jamais poderíamos enfrentar. Nós é que deveríamos estar lá na Cruz para morrer e sermos condenados pelo que fizemos. Ele não, ele não merecia passar pelo que passou em nosso lugar.  Jesus se esvaziou como Paulo diz em Filipenses. Ele se humilhou, ele se transformou em homem para que a nossa verdadeira identidade fosse resgatada. Ele foi obediente até a morte de Cruz, para que tivéssemos a nossa comunhão restaurada com a Trindade. Sentamos na mesa da Santa Ceia e celebramos o pão e o vinho por causa…

Ele foi ferido por mim!

O texto sagrado do profeta Isaias 53: 5-6 afirma: Mas ele foi ferido por causa de nossa rebeldia e esmagado por causa de nossos pecados. Sofreu o castigo para que fôssemos restaurados e recebeu açoites para que fôssemos curados. Todos nós nos desviamos como ovelhas; deixamos os caminhos de Deus para seguir os nossos caminhos. E, no entanto, o Senhor fez cair sobre ele os pecados de todos nós.  Hoje acordei pensando o quanto Deus é bom em minha vida. Ele mandou seu próprio Filho para morrer e ressuscitar em meu lugar. Isaías mostra o quanto foi doloroso para Jesus passar por tudo isso. Ele foi ferido por causa da minha rebeldia e esmagado por causa dos meus pecados. Minhas taras, mentiras, orgulho, soberba, ódio, rancor, falsidade, arrogância e prepotência estavam sobre o Senhor Jesus Cristo.  Jesus sofreu por causa de mim, ele padeceu profundamente sendo humilhado, abandonado e vituperado. Meu Deus! Meu Deus! Que amor é esse por mim? Não mereço tão grande amor demonstrado desse jeito. …

O Evangelho não é conselho

Tim Keller diz que “o Evangelho não é conselho: é a boa-nova de que não precisamos conquistar acesso a Deus, pois Jesus já fez isso por nós. E é um dom que recebemos por pura graça — por meio do favor de Deus, totalmente imerecido. Se tomamos posse desse dom e continuamos a mantê-lo por graça, então o chamado de Jesus não nos arrastará para o fanatismo ou para a moderação. Seremos para sempre apaixonados por fazer de Jesus o nosso objetivo e a prioridade absoluta.”  Verdade mesmo, o Evangelho nada tem a ver com seguir conselhos, mas sim a graça de seguirmos a Jesus. Seguimos aquele que se entregou sua vida por nós. Seguimos aquele que nos amou integralmente até a morte e morte de Cruz. Seguimos o mestre Jesus que deu total significado para o nosso ser. O Evangelho não é conselho, ele é vida, vida de Cristo que derramou seu sangue precioso para nos resgatar das trevas e nos lavar de toda transgressão. O pão da vida veio e se fez carne para nos amar e nos redimir. O Evangelho não é cons…

Estamos nele para sempre

Estar em Cristo é ser restaurado do modo que fomos criados para ser. Fomos criados para refletir ativamente a imagem de Deus aqui na terra com o empréstimo divino de alguns atributos.  Jesus Cristo vem aqui nessa terra e cumpre todos os preceitos da Lei ativamente e passivamente através da sua morte na Cruz. Estar em Cristo é ter a restauração da nossa imagem que foi desfigurada na queda. Em Cristo recuperamos a verdadeira humanidade e identidade. Somos convidados novamente para o jardim divino e lá podemos celebrar com o Criador novamente. Essa semana da páscoa é muito valiosa, profunda e extremamente significativa para nós, pois nela, nos lembramos da entrega da segunda pessoa da Trindade, na cruz do Calvário. Lá Cristo nos fez estar nele, lá ele nos restaurou no ser. Não somos mais escravos das trevas, não iremos mais para o Inferno. Não teremos mais ausência de comunhão com a Trindade. Teremos o privilégio eterno de estar ligados em Cristo. Para sempre estamos unidos nele, arraig…

Firmes na fé

Hoje vivemos numa cultura dominantemente visual. Jacques Ellul já fala que se uma imagem vale mil palavras, imagens em movimento – especialmente aquelas que são digitalmente melhoradas – valem ainda mais. Ou não?  Ellul teme que as imagens suportem o peso de glória: na melhor das hipóteses, elas representam apenas o mundo material. Mesmo as imagens geradas por mídias normalmente não vão além da superfície das coisas. Uma cultura visual, Ellul lamenta, nos sentencia à superficialidade.  Bom, não há problemas em trabalhar o visual na vida, pois ele fala muito, mas precisamos enxergar o invisível na vida de espiritualidade. O texto de Hebreus 11.1 afirma: A fé é a prova das coisas que não se veem. Kevin Vanhoozer diz que dar sentido a uma metáfora ou acompanhar uma história significa fazer conexões entre as coisas e, no fim, construir um mundo. A imaginação é algo mais do que a capacidade de reproduzir aquilo que não existe; ela é a capacidade de criar ou descobrir padrões significativos.  …

A disciplina da oração

A oração tem sido, ao longo da história, um dos pontos vulneráveis na vida dos cristãos. A disciplina da oração tem escapado da vida diária do povo que se chama cristão. Aprecio demais as ponderações e análises sobre a dinâmica da oração, feitas pelo amigo e professor James Houston. Ele afirma: A oração é um meio de nos manter em constante comunhão com Deus Pai e Deus Filho, por intermédio do Espírito Santo. No sentido bíblico é um encontro pessoal e íntimo com Deus. Nesse encontro, na medida em que ele se intensifica, experimentamos uma ação, sobrenaturalmente, transformadora. É precisamente isso que acontece numa amizade, onde o relacionamento não é apenas utilitário e nem funcional, mas pessoal e íntimo. A oração é tão especial e tão relevante que o Evangelho de Marcos tratando sobre o próprio Senhor Jesus, afirma: De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus levantou-se, saiu de casa e foi para um lugar deserto, onde ficou orando. (Marcos 1:35)  A oração é tão importante para o n…

O drama divino da redenção

Tem gente que diz que nós cristãos somos tapados, antiquados e ultrapassados no tempo. Dizem que somos ilusórios pregando uma verdade que nem vemos. Afirmo que não somos isso, somos exatamente o contrário, e sem nenhuma soberba.  Nós cultivamos o drama da doutrina do cristianismo, que prega o Cristo encarnado, morto e ressuscitado ao terceiro dia. Temos um credo que professamos a nossa fé, não apenas para entender e pronunciar, mas para nos levar a participar da realidade viva, que é Jesus Cristo de Nazaré. Verdade que não a vemos com os olhos físicos, mas a vemos com os olhos espirituais.  Participamos do drama divino da redenção que foi, não apenas contada pelos discípulos de Cristo, mas acima de tudo vivida. A doutrina que pregamos tem a ver com Cristo aqui nessa terra, amando, servindo, sofrendo, morrendo e ressuscitando para trazer significado para o nosso ser.  Esse é o drama divino que contamos e vivemos todos os dias da nossa vida. Na nossa veia corre o sangue dele. Respiramos…

Óculos da fé