Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2018

Concentrados em Deus

O texto dos Salmos 141.8 afirma: Pois em ti, Senhor Deus, estão fitos os meus olhos: em ti confio; não desampares a minha alma. Interessante que Davi usa a figura de seus ossos sendo quebrados, a sua oração, em tais circunstancias, é como os pedaços dilacerados de um cadáver mutilado clamando a Deus. Davi, no meio de toda a dor e crise da sua vida, volta os seus olhos a Deus. No meio das suas angústias profundas da alma, ele se volta para o Deus da sua vida e coração. Ele coloca a sua fé e os seus sentidos em Deus.  Quando oramos assim, preservamos a nossa mente e o nosso coração em Deus. Quando oramos olhando para Deus sempre e não para as circunstâncias da nossa vida, permanecemos firmes, concentrados em Deus e não nas demandas da vida. Davi faz questão de expressar que além dos seus olhos estarem concentrados em Deus, ele continua confiando no caráter de Deus sempre. Confiemos em Deus e olhemos para a graça dele sempre em nossa vida! (Alcindo Almeida)

Cada parte do nosso ser

No Salmo 139:16 Davi afirma: Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir. Claro que Davi trabalha a teologia na sua mente sobre a grandeza e majestade de Deus em nos criar de maneira extraordinária. Davi quer dizer mais ou menos assim: Antes que eu tivesse forma ou forma, viste o que eu era para ser. A única palavra no original traduziu minha substância, ainda sendo imperfeita. Então, Deus foi dando forma e mais forma para nós como seres humanos. Ele foi lapidando e dando a forma ideal até sermos formados.  Davi diz ainda que no livro divino, todos os dias que temos foram escritos. E nem havíamos existido e os dias já foram estabelecidos na agenda divina.  Que Deus extraordinário, grandioso e majestoso! Ele sabe de tudo sobre nós, porque Ele nos criou, Ele nos formou antes de tudo. Ele nos escolheu antes de tudo existir para sermos dele. Louvado seja o Eterno e soberano Deus. Deus de toda a criação.…

Minuto de graça 68 - A roda da carroça.

Somos apenas pó

O texto do Salmo 103.14 afirma: Pois Ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó. Como Davi conhece muito bem a estrutura humana, ele aniquila toda e qualquer dignidade que o ser humano queira ter para si mesmo. Davi trata da nossa miséria, ele reconhece que Deus se sente movido a exercer paciência para conosco, apesar de sermos o que somos, somos apenas e tão somente pó.  Alguns se acham extremamente orgulhos com o que têm, em termos de beleza, status e posses, mas não adianta fugirmos dessa realidade da nossa carne. Somos como o vento que passa, somos como um bafo na vida. Somos frágeis e completamente insuficientes. Basta Deus tirar o nosso chão que percebemos facilmente. Calvino diz que “quanto mais miserável e deplorável é nossa condição, mais inclinado se vê Deus a exercer misericórdia, pois à vista de sermos barro e pó é suficiente para incitá-lo a fazer-nos o bem.” Isso é fato! Somos pó, somos apenas pó. Precisamos da graça para nos sustentar sempre. Deus na sua in…

Somos pastores

Respondemos a dotação do ministério pastoral para transmitir as realidades espirituais, por meio da Palavra divina, por meio dos símbolos de fé e dos sacramentos. Eugene Peterson diz que tarefa é o que fazemos para completar uma missão. Ele diz que “o primeiro requisito é que prestemos contas a quem designa a missão e paga o salário. Aprendemos o que se espera de nós e o fazemos. Não é errado executar tarefas. Todos as temos, em maior ou menor grau. As profissões são diferentes, porque nelas existe algo além de agradar aos outros: estamos aqui perseguindo, ou moldando, a verdadeira natureza da realidade, convencidos de que, continuando fiéis a nossos compromissos, beneficiaremos as pessoas num nível muito mais profundo do que se fizermos apenas aquilo que nos pedem. Nas tarefas, lidamos com realidades visíveis e, na missão, com as invisíveis.”  Tarefa e missão. Que luta para nós. Porque temos a tarefa de mostrar números para as igrejas que dirigimos. Temos que mostrar que somos comprom…

Ações profundas de Deus

Nos Salmos 77:11 temos as palavras: Recordo os feitos do Senhor, pois me lembro das tuas maravilhas da antiguidade. O salmista Asafe enaltece o poder Deus na preservação dos seus servos. Ele relembra tudo o que Deus fez na vida do povo de Israel e de todos que andaram na sua presença. Foram marcantes as acoes divinas para com um povo pecador e miserável, mas amado de Deus.
Ele ressalta o maravilhoso poder de Deus que sempre é demonstrado na preservação e salvação de seus servos. Deus cuidou da vida de José no Egito e o usou para preservação de um povo no meio das lutas e provações. Deus cuidou de Moisés conduzindo a vida do povo no deserto. Deus cuidou do povo em todos os momentos e usou um pastor de ovelhas para cuidar desse povo.
O Eterno Deus cuida de nós hoje também. Por isso, a lembrança dos seus feitos em nossa vida é fundamental. A lembrança do que Deus faz em nossa história, gera muita gratidão no coração. Ele nos fortalece na hora da dor, Ele nos ajuda em meio as lutas e crises…

Não somos nada sem Deus

O Salmo 73.26 afirma: Ainda que a minha carne e o meu coração desfaleçam, Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre.  Calvino diz que alguns entendem a primeira parte do versículo no sentido em que o coração e a carne de Asafe o traíram através do ardente desejo com que se via ele impelido; e pensam que, com isso, ele pretendesse testificar da ardente solicitude com que aplicava a Deus sua mente. Temos uma forma semelhante de expressão em outra lugar; mas a sentença imediatamente seguinte, Deus é a força de meu coração, parece demandar uma explicação diferente.  Parece que a ideia que Asafe trabalha aqui é que se ele estiver separado de Deus, nada seria, e tudo quanto ele fizesse sem a graça de Deus na sua vida, terminaria em absolutamente nada. Então, mesmo que o seu coração seja fraco, mesmo que ele padeça na vida diante das crises que aparecem, quando ele está diante de Deus, quando ele se chega a Deus, ele encontra a força e o sustento profundo para seu cora…

O livro Sagrado

Aos 71 anos de idade, quatro anos antes de morrer no dia 28 de agosto de 430, Aurélio Agostinho passou ao seu assistente Eraclius os deveres administrativos da Igreja de Hipona, localizada na costa norte da África. Em sua época, Agostinho já era um gigante no mundo cristão. Na cerimônia, Eraclius levantou-se para pregar, tendo atrás de si o velho Agostinho assentado em seu trono de bispo. Tomado por um forte sentimento de inadequação na presença de Agostinho, Eraclius disse: “O grilo canta, o cisne está silencioso”. Só que olhando para a história, por 1.600 anos, Agostinho não tem se mantido silencioso. (Piper, John. O legado da alegria soberana: a graça triunfante de Deus na vida de Agostino, Lutero e Calvino. São Paulo: Shedd Publicações, 2005). Nos anos de 1500, sua voz cresceu e ecoou fortemente nos ouvidos de Martinho Lutero e João Calvino. Lutero era monge agostiniano, e Calvino citava as palavras de Agostinho mais do que qualquer outro pai da Igreja*. *A influência de Agostinho …

Os ídolos do coração

Nietzsche escreveu Crepúsculo dos ídolos. O livro, que serve de introdução à forma de pensar nietzschiana, é sobretudo, fruto da seguinte constatação do autor: Há mais ídolos do que realidades no mundo. A partir disso, Nietzsche aniquila tudo aquilo que julga serem ídolos falsos, ocos e decadentes. No livro de Tim Keller, Deuses falsos, ele diz que o dinheiro pode se tornar um vício espiritual, e, como todos os vícios, ele esconde de suas vítimas as reais proporções que tem. Corremos mais e maiores riscos de alcançar uma satisfação cada vez menor com o que almejamos, até que venha o colapso. Quando começamos a nos recuperar, perguntamos: “O que estávamos pensando? Como pudemos ser tão cegos?”. Acordamos como alguém de ressaca que mal consegue se lembrar da noite anterior. Mas por quê? Por que agimos de maneira tão irracional? Por que perdemos completamente de vista o que é certo? A resposta bíblica é que o coração humano é uma fábrica de ídolos. Assunto sério não? Porque realmente temo…

As boas novas

William Tyndale, tradutor pioneiro da Bíblia para o inglês foi morto pelo martírio. Conforme disse Tyndale, a forma da palavra grega traduzida por Evangelho significa boas-novas. O Evangelho não é uma lei que exija de nós a quitação de uma dívida. Ele é um anúncio bem-vindo de que Jesus pagou tudo. A doutrina do Evangelho nos aponta para a Trindade que enviou a boa nova de salvação para gente pecadora. Essa gente tem acesso de graça a esse Evangelho.  Francis Schaeffer afirmou: Não se pode explicar o poder de Deus na igreja primitiva sem levar em conta o fato de que aqueles cristãos praticavam duas coisas simultaneamente: a ortodoxia da doutrina e a ortodoxia comunitária em meio à igreja visível, uma comunidade que o mundo podia ver. Pela graça de Deus, portanto, a igreja deve ser conhecida simultaneamente por sua pureza de doutrina e pela realidade de sua vida comunitária. Nossas igrejas muitas vezes têm sido apenas pontos de pregação, com pouca ênfase na comunidade, mas a manifestaçã…

Jardineiros divinos

Lendo o livro de P. Stevens, Deus e o mundo dos negócios, ele trabalha a ideia de Deus como o "criador que faz coisas novas. Deus é tão criativo hoje quanto quando começou a criar este universo de 13 milhões de anos. Ele nos convida a ser participantes com Ele em todo empreendimento humano: tecnologia da informação, arte, música, desenvolvimento de sistemas e muito outros. O Deus Sustentador mantém as coisas funcionando. Não podemos respirar se ele não estiver mantendo as coisas em ordem. O apóstolo Paulo escreve em Colossenses: “... e nele [Cristo] tudo subsiste” (Colossenses 1.17), fazendo do universo uma harmonia e não um caos. Quando Deus falou com Jó, seu tempestuoso e chato santo, do meio do vendaval, lembrou-lhe de que Ele mantém o universo muito bem, obrigado. Ele sustenta padrões de tempo (Jó 38.12,19-20), clima e temperatura (38.22-30), o próprio universo (38.31-33) e os sistemas vivos" (38.39-39.30).  Bem, diante dessa realidade, Deus nos convida para consertar, me…

Leituras em novembro de 2018

WELLS, David F. Sem lugar para a verdade. O que aconteceu com a teologia evangélica? São Paulo: Vida Nova, 2018. A morte da teologia tem ramificações profundas. A teologia não está morrendo porque o meio acadêmico falhou em desenvolver procedimentos adequados para reconstruí-la, mas porque a igreja perdeu sua capacidade para isso. E enquanto alguns abençoam essa perda como um passo à frente em direção à esperança de nova vitalidade evangélica, ela é de fato um sinal de aproximação da morte. David oferece uma análise penetrante do estado da religião, um apelo perspicaz para a recuperação das suas prioridades intelectuais e um esboço de novas direções para os evangélicos escaparem do cativeiro cultural. Ele contém 360 páginas.
CARSON, D. A. A manifestação do Espírito. A contemporaneidade dos dons à luz de 1Coríntios 12-14. São Paulo: Vida Nova, 2017. Neste livro, D. A. Carson analisa minuciosamente a questão da contemporaneidade dos dons de uma perspectiva bíblica, sem deixar, porém, de …

Momentos de comunhão

O Dr. Martyn Lloyd-Jones disse algo precioso sobre a oração: A oração é sem sombra de dúvida a mais elevada atividade da alma humana. O homem se encontra no seu melhor e mais elevado estado quando, de joelhos, fica face a face com Deus.  A oração é participação da gloriosa comunhão que tem no Pai, no Filho e no Espírito Santo. Não somos coadjuvantes da relação, somos participantes e beneficiados da mesma graça que Cristo desfruta diante do Pai. George MacDonald disse: As minhas orações nascem das minhas dores, mas as respostas de Deus Pai me fazem esperar e aprender cada vez mais nele.  Não podemos separar a oração da nossa vida emocional. Não é buscar novos métodos, mas, é reconstruir as coisas que têm a ver com a imagem de Deus em nós. Não podemos nos esquecer de que antes de orarmos é Cristo que ora por nós. E a oração sacerdotal é um convite de Jesus para orarmos ao Pai e uns pelos outros.  A experiência da oração nos leva a viver os momentos de comunhão com a Trindade e com o nosso …