Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2016

Sensibilidade para ouvir a voz do Senhor

Hoje é o último dia do ano 2016. Muitos fatos aconteceram nesse ano, alguns tristes e outros alegres. De alguma forma todos marcaram nossa história durante o ano. Geralmente pensamos num monte de atitudes que deveríamos ter e não tivemos. Pensamos nas palavras e gestos que deveríamos ter dito e como deveríamos ter agido! Mas, tudo já passou como diz o pregador e houve tempo para tudo na vida! Nesse dia quero reafirmar o texto do Salmo 138:8: O Senhor cumprirá o seu propósito para comigo! Teu amor, Senhor, permanece para sempre!  Só que não é fácil descansar nessa verdade porque ouvimos tantas vozes nesse mundo, são tantos barulhos para nos desviar do propósito do Eterno na na vida.  Lembro do que Henri Nouwen disse: "Durante toda a vida duas vozes competiam dentro de mim. Uma me  encorajava a alcançar sucesso e realizações, enquanto a outra me chamava a simplesmente descansar no conforto de ser o amado de Deus. Pela graça ouvi a segunda voz". Então aprendamos a ouvir a voz di…

Essa canção de Stênio Március é forte demais para o coração

Obrigado pela música melhor sofrer perto dos sons Do que celebrar calado silêncio é nobre mas vazio. Obrigado pela música suavizou os temporais Tornou os dias leves e redobrou as alegrias.
Obrigado pela música Nela a alma pode saciar Esta sede que só vai parar Se te adoro ó Deus com música.
Obrigado pela música não me deixou perdido e só E até os desencontros foi colo certo e ombro amigo Obrigado pela música que me ajudou a amar demais Nos berços e varandas os filhos embalei e as esperanças.
Obrigado pela música Nela a alma pode saciar Esta sede que só vai parar Se te adoro ó Deus com música. Obrigado pela música Nela a alma pode saciar Esta sede que só vai parar Se te adoro ó Deus com música.

Minuto de graça 71 - Um lugar secreto

Minuto de graça# 76 - Profundamente humano

Um cuidado divino

No Salmo 80 temos algumas ideias e verdades preciosas. O texto diz nos versículos 1 a 3: Ó pastor de Israel, dá ouvidos; tu, que guias a José como a um rebanho, que estás entronizado sobre os querubins resplandece. Perante Efraim, Benjamim e Manassés, desperta o teu poder, e vem salvar-nos. Reabilita-nos, ó Deus; faze resplandecer o teu rosto, para que sejamos salvos.  Para ver o estado primeiro de graça e paz, o povo clama ao pastor que tinha para ele as seguintes qualidades: 
Cuidado divino: como afirmam outros Salmos, Deus é o cuidador do seu rebanho que é sua herança. O povo quer se apropriar desta verdade e, por isso, clama ao pastor.
Protetor especial: ele guardou Israel no deserto durante 40 anos. E agora o povo pede esta proteção para o coração diante da aflição.
Fonte de todo bem estar: aquele que supria todas as necessidades na vida do povo. Aquele que deu pão, aquele que deu água e toda provisão para o povo sobreviver na caminhada.
Fonte de alívio na aflição: Deus andou com …

O Jesus precioso

Jesus não tinha nada de muito especial. Poderia andar por esta rua hoje e nenhum de vocês sequer o notaria. Na realidade, talvez o evitassem, pois certamente ele destoaria de todos. Mas, foi o homem mais gentil que já se conheceu. Era capaz de silenciar os detratores sem precisar erguer a voz. Nunca intimidou ninguém, nunca chamou atenção para ele mesmo nem fingiu gostar do que lhe fazia mal à alma. Era autêntico até o âmago de seu ser. Fez uma minúscula pausa. E no âmago daquele ser existia um imenso amor. E como ele amou! Seus olhos se distanciaram da multidão, parecendo perscrutar as profundezas do tempo e do espaço. A humanidade só descobriu o que era verdadeiramente o amor por intermédio dele. Mesmo os que o odiavam. Mas, ele não discriminava ninguém, pois esperava que, de algum modo, pudesse fazer seus inimigos descobrirem que o amor é a essência e a realização máxima do ser humano (WAYNE JACOBSEN).

Uma ética, um jeito de ser

Lendo o livro de Ester percebo a grande fibra e compromisso destes personagens de Deus: Mardoqueu e Ester. Diante do decreto de aniquilação de todos os judeus na província, eles têm uma atitude de confiança no caráter do Eterno Deus. Ester se reúne com as suas servas, elas oram e jejuam. Ester diz que o que tivesse de acontecer, que assim fosse. Mardoqueu está nas escadas do palácio e não se curva diante do terrível Hamã. Vemos na vida deles que a ética cristã é a forma como os cristãos representam Deus na criação. Os dois servos mostram o diferencial de pessoas que andam com Deus mesmo. Que respeitam a aliança e vivem por ela - custe o que custar. A fala de Ester no meio de toda a questão foi: Vá reunir todos os judeus que estão em Susã, e jejuem em meu favor. Não comam nem bebam durante três dias e três noites. Eu e minhas criadas jejuaremos como vocês. Depois disso irei ao rei, ainda que seja contra a lei. Se eu tiver que morrer, morrerei (Ester 4.16).  Ester e Mardoqueu nos ensina…

A graça do perdão em ação

Temos vivido dias difíceis e de muita distância entre seres humanos. Pais que abandonam filhos, maridos que traem suas esposas, filhos que tratam seus pais como nada. Isso tudo gera dor, mágoas e feridas profundas. 
Então o remédio para essas marcas na alma está no perdão! Perdão é graça em ação, graça que transforma. Essa graça transforma corações duros para perdoarem. Essa graça cura corações e restaura relacionamentos quebrados. Por isso, na visão do Reino não cabe a ideia de inimigos. Porque por meio da graça divina, inimigos viram amigos, gente magoada com o outro perdoa e reconstrói. 
Maridos perdoam esposas, esposas aceitam e perdoam os maridos. Pais se reconciliam com seus filhos e os filhos aprendem a respeitar os pais. Bem, não tenho dúvida que o perdão é graça em ação. Como a Bíblia diz em Colossenses 3.13-14: Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo…

A vida não termina diante de um embate forte

Esse rapaz na foto é o Pedro Janot, ex-presidente da Azul Linhas Aéreas. O executivo por trás da startup Contravento, o empreendedor não deve deixar de sonhar. Janot, vítima de um acidente que quase o deixou tetraplégico, fala com propriedade sobre cair e levantar. “Eu caí do cavalo quando era presidente. Parei em uma cadeira de rodas e tive que reestruturar minha rotina. A vida não termina diante de um embate forte.” O acidente, ocorrido em 2011, mudou sua vida também no mundo dos negócios. Por necessitar de tratamentos mais cuidadosos, se afastou da linha aérea que ajudou a criar com outros empresários e partiu para novos projetos. Em seus momentos de “ociosidade”, como diz, Janot decidiu usar a expertise na área de moda para criar a startup Contravento. Ele esteve aqui na nossa igreja e foi corajoso ao falar sobre a nossa limitação humana. E abriu o coração dizendo que não podemos nos esconder dessa fragilidade humana que o sofrimento gera em nós. Ele citou um momento terrível que …

Somos os uperetas divinos

Hoje é dia do pastor presbiteriano! Dia de refletir sobre o nosso papel como servos! Nós somos os que trabalham na causa do Reino. Somos os que doam a vida para os outros. Somos os  despenseiros divinos. Como Paulo diz em 1 Coríntios 4.1-2: Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel.  Paulo diz que o pastor deve ser considerado como ministro de Cristo. Interessante é o significado desta palavra no grego, língua original do NT. No grego diz que os homens deveriam considerar os pastores como uperetas de Cristo. O upereta era aquele que levava o livro da lei na Sinagoga, sua função era a mais insignificante na Sinagoga, ele era o servidor da sinagoga, era o mais humilde da sinagoga. Upereta era o remador que ficava no fundo do barco e ninguém via!  O upereta viabiliza a vida e não se preocupa com os holofotes. Os uperetas são os que se preocupam com a entrega sem serem vistos. …

A graça da Palavra

Agostinho diz que da cidade santa Deus enviou carta para os seus servos: as Sagradas Escrituras. Elas tratam do nosso coração porque elas são vivas e ativas em nosso interior. A Palavra de Deus aplica o seu poder na vida dos eleitos com o fim de provocar reconhecimento da verdade que está contida nela. A Palavra de Deus é aplicada em nós para que jamais fujamos da graça divina. A Palavra de Deus é aplicada em nós para que vejamos de fato o quanto ela é poderosa e ativa na vida humana (Alcindo Almeida).

Minuto de graça #05 - A postura de ouvir Deus

O caráter do rei

A honra maior

Quando honramos as coisas, as posses, as pessoas mais do que a Deus, deixamos de honrá-lo, deixamos de tê-lo como o Senhor absoluto de nossa vida. Isso aconteceu na vida do sacerdote Eli. Ele estava em falta profunda diante de Deus, estava dando crédito para os filhos em detrimento do Senhor. Ele sabia da imprudência dos seus filhos, ele ouvia as barbaridades que eles faziam na casa de Deus e não fazia nada, não honrava o nome do Senhor na sua própria casa. Em outras palavras, estava sendo conivente com a situação. Não podemos trocar o Senhor pelas pessoas, pelas coisas da vida, porque com certeza desfrutaremos de consequências terríveis. Perderemos a bênção da comunhão com o Senhor. Eli e a sua casa perderiam a bênção de serem sacerdotes do Senhor. Não haveria ancião na casa de Eli, e os seus descendentes morreriam à espada, por causa da sua desonra na relação com o Senhor. Ele trocou Deus pelos filhos. Ele honrou mais seus filhos do que o seu Senhor. Não troquemos Deus pelas pessoas. …

Somos os pincéis de Deus

Deus está pintando sua graça na tela das almas humanas. Um dia estaremos com ele na glória e veremos essa tela terminada, e não seremos capazes de fazer nada a não ser adorar. Qual é a nossa parte em tudo isto? Somos os pincéis de Deus. Ele quer nos ensopar na palheta de cores de sua graça e pintar mais da sua bondade na nossa alma. A pergunta é: Nós somos pincéis macios em suas mãos? Um pincel duro e ressecado não absorve bem a tinta e borra a superfície que deveria embelezar. Sejamos os pincéis divinos nas mãos do Senhor (Paul Tripp).

José: um jardineiro de Deus | por Alcindo Almeida

Ep. 02 - O caráter do rei

Profundidade e significado

A oração nos coloca na presença de Deus. Os pais do deserto nos ajudaram na descoberta da prática das disciplinas espirituais. A mudança começa pelo nosso mundo interior. A verdadeira transformação é fruto do treinamento da nossa alma na presença de Cristo. O texto de Marcos 1.35 afirma: De madrugada, ainda bem escuro, Jesus levantou-se, saiu e foi a um lugar deserto; e ali começou a orar. Esse trecho de Marcos mexe com a nossa estrutura porque é o mestre divino que na estrutura humana, sente a necessidade de buscar a face do Pai. O próprio Deus nos ensina um caminho do coração que nos coloca na presença do Pai, a oração. O Jesus histórico diariamente tinha um tempo para estabelecer pausas na sua agenda e contemplar em silêncio e solitude a face do Pai. Na vida Jesus, esses momentos eram recheados de profundidade e significado. Saibamos que esses encontros íntimos com Deus em oração e contemplação nos aproximam mais da sua presença e coração. Precisamos dessa prioridade diante do Pai…

TEMPESTADE

Minuto de graça# 74 - A crise da insignificância

Cura para a depressão

Há um livro absolutamente profundo sobre o tema depressão de Andrew Solomon chamado de O demônio do meio dia. Solomon afirma que “depressão é o mecanismo do desespero da imperfeição no amor. A depressão quando chega degrada o eu da pessoa e finalmente eclipsa sua capacidade de dar ou receber afeição. Então surge a solidão que se torna manifesta e destrói não apenas a conexão com outros, mas também a capacidade de estar em paz consigo mesmo”. Precisamos tratar a depressão no coração porque ela afeta todos os sentidos da nossa alma. Não é por acaso que o salmista diz no Salmo 42:11: Por que estás abatida ó minha alma? A resposta vem ao coração: Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele que é o meu socorro e o meu Deus. É para esta realidade espiritual que Deus nos convida. Ele nos convida para que confiemos na sua graça e esperemos sempre nele, porque ele sonda o nosso coração. Porque Deus nos ampara no sentimento mais complicado da alma e traz cura e socorro para o nosso coração. Po…

Leituras em novembro de 2016

CALDAS, Carlos. Dietrich Bonhoeffer e a teologia pública no Brasil. São Paulo: Garimpo, 2016. A assim chamada teologia pública é uma das mais recentes fronteiras da investigação teológica, tanto no mundo do Atlântico Norte (Alemanha, Holanda, Estados Unidos) como também no assim chamado Sul Global (África do Sul e Brasil). A teologia pública leva a reflexão teológica para além dos públicos da igreja e das escolas de teologia. Antes, faz com que a teologia entre em diálogo com as questões que estão em discussão na arena pública. Nesta perspectiva, a teologia não está limitada ao que está em discussão intramuros no cristianismo. A teologia pública amplia os interlocutores do diálogo teológico. Como se trata de uma produção recente, ainda em elaboração, a teologia pública está à procura de referenciais teóricos, que lhe sirvam de balizamento conceitual. Neste sentido, a teologia de Dietrich Bonhoeffer, um dos mais importantes teólogos cristãos do século passado, pode ser útil. É esta a p…

Minuto de graça # 73 - O Logos divino

Juntando amor e respeito

Recebi um vídeo da amiga Yara Brito. Nele um psicólogo avalia a criação e educação dos filhos hoje! Ele fala da questão do amor e respeito. Eu gostei da antítese, tese e da síntese usada por ele na análise da família! A *tese* é que o amor para os pais no passado, não era vendido ou exigido! Eles resolviam amar e pronto! Na época, os filhos deveriam respeitar sua pais que os amavam de Graça e sem compra ou negociação de amor! Como ele disse: eu amo você porque quero e não porque me pede! A *antítese* hoje é que os pais atuais ficam se matando para ganhar o amor dos filhos e até abrem mão de receber o respeito por causa da necessidade de amor! Resultado: uma geração fraca e que acha que é dona de si mesma! Uma geração que não considera os mais experientes e se acha a soberana no meio onde vive! A *síntese* é a necessidade de juntar amor e respeito traduzindo numa geração que tem mais abertura no diálogo que não havia no passado, mas que não entende muito bem o significado do respeito. A …

Minuto de graça # 72 Somos fracos e limitados

Dia de gratidão ao grande executor de tudo na vida - (I Crônicas 29.12-13)

O nome para a palavra Senhor no texto é Yahweh, o Deus que é próximo, relacional e íntimo do povo. Ele possui toda a grandeza, poder e majestade, de modo que é Aquele que obtém todas as vitórias, nos céus e na terra. Davi louva aquele que é o proprietário de todos e de tudo, no céu e na terra, onde quer que se congreguem seres inteligentes. Por essa razão, esse Deus da aliança é exaltado acima de todos. Por isso, Davi reconhece que ele é fonte de todas as bênçãos e benefícios nessa vida. Não é o homem que fica rico sozinho. Deus dá riquezas aos homens; honra aos que ele quer que sejam honrados. Ele quem torna alguns homens grandes, e reduz outros a nada. Faz a alguns homens fortes e outros fracos. Todos os destinos estão nas mãos dele. Davi sabe que Israel foi uma nação distinta das demais por causa da bondosa providencia do Eterno Deus (Deut. 4.4-8). E no cântico Davi reconhece que foi capacitado para fazer o que fez pelo templo de Jerusalém, por causa da ação divina. Salomão terminar…

O que você pensa de si

"Humildade não significa que você pensa menos de si mesmo. Significa que você pensa menos sobre si mesmo" (Ken Blanchard).

Um jeito divino de amar

Pensando na criação, Deus rompeu o silêncio diante do homem com obras poderosas da sua graça amorosa e mostrou redenção na história. Ele fez tudo isso simplesmente para revelar a si mesmo como Senhor tanto do espaço quanto do tempo. Que Deus maravilhoso e relacional não? Ele resolve se relacionar criando o ser humano e demonstrando seu jeito de amar gente através da Cruz de Jesus Cristo de Nazaré! Agradeçamos a esse Deus amoroso e gracioso! (Alcindo Almeida).

73 O Logos divino

Minuto de graça #05 - A postura de ouvir Deus

A Trindade sofre na eternidade

Fico refletindo sobre a graça da cruz na visão da Trindade. Penso no amor divino por pecadores antes de tudo, antes da criação do Cosmos. Antes de tudo já havia a cruz na mente divina e a segunda pessoa da Trindade, Jesus Cristo morre na eternidade por amor dos eleitos. Dá para pensarmos sobre algo assim? A Trindade sofre na eternidade para ser por pecadores como nós. Então, o Pai é o amor que sacrifica, o Filho é o amor crucificado e o Espírito Santo é essa força divina invencível que conduz a segunda pessoa da Trindade até a cruz do Calvário. Que ato profundo da Trindade por gente pecadora como nós, que amor tocante, incompreensível e radical! Bendito seja esse Deus Trino amoroso e gracioso que se deu em favor de pecadores imerecedores na eternidade! (Alcindo Almeida).

Deus não desiste de nós

Em Jr. 31.17 diz: Há esperança para você no futuro. Sou eu, o Senhor, quem te diz isso. Olhando para aquilo que Deus já fez na história podemos dizer que os sonhos resistem ao caos da vida. Os sonhos trazem saúde para a emoção, equipam o frágil para ser participante da sua história, renovam as forças do ansioso, anima os deprimidos, transformam os inseguros em seres humanos de raro valor. Deus não desiste de nós em nenhum momento, por isso, nele há esperança para nós em todo tempo! Renovemos a nossa esperança naquele que tem o controle de tudo (Alcindo Almeida).

Minuto de graça #35 - O verdadeiro centro do nosso coração

Vivamos como ele viveu

Imaginemos que, por apenas um dia, nosso coração fosse igualzinho ao de Jesus. Como reagiríamos diante das situações da vida, tanto as complicadas quanto as mais corriqueiras? Quais seriam nossas atitudes? Será que tomaríamos as mesmas decisões? As nossas palavras seriam as mesmas que ele costuma usar? Até que ponto o jeito e o estilo do Filho de Deus combinam com nossa maneira de agir? Gosto demais da afirmação de Paulo: Sede meus imitadores, como também eu de Cristo (1 Coríntios 11:1). O jeito de Paulo viver e falar é o de Cristo, ele respira e vive Jesus em todos os processos da vida! O caráter de Paulo reflete Cristo! Jesus nos convida todos os dias para darmos os seus passos, falarmos como ele fala e andarmos como ele andou. Então não combina termos palavras torpes na boca. Ele nos convida para sermos santos como ele é. Então não dá para vivemos mentindo, enganando as pessoas com as quais mantemos compromissos. Não dá para brincar de cristianismo! Não dá para termos duas palavras…

Um grande presente na vida

"Todo mundo usa uma placa invisível ao redor do pescoço com os dizeres: Faça com que eu me sinta importante". Essa tônica é de todos os filhos de Adão. Temos a necessidade de nos sentir amados e inseridos na vida pelo próximo. Por isso, nós casamos com uma pessoa para dividir o coração e para sairmos do campo que nenhum ser humano gosta: a solidão. A grande verdade é que precisamos do outro, o outro nos completa como gente. Não é por acaso que Salomão diz que na angústia nasce um irmão. Porque na hora da dor nos sentimos aliviados quando temos alguém do lado, um ombro amigo para chorar e dividir a nossa dor. Então olhemos para o outro que é o nosso amigo, o nosso parceiro nas horas tristes e alegres dessa vida. Um grande presente nessa vida dado por Deus, são os amigos que andam ao nosso lado! (Alcindo Almeida).

Minuto de graça #17 - A mágoa nos destrói

Leituras em outubro de 2016

PETERSON, Eugene. A vocação do espiritual do pastor. São Paulo: Mundo. Cristão, 2006.Pastores também são gente – mesmo quando se esquecem disto. O autor menciona a última pessoa de quem se espera ouvir falar de crise pessoal é o pastor. A imagem que se forjou do sacerdote em séculos de história cristã aponta para uma figura praticamente imaculada, imune a vacilações, tão sólida em suas estruturas internas quanto o próprio Cristo. Na prática, porém, suas fragilidades se revelam – às vezes, em episódios cruciais para seu ministério. Em certo momento da vida, o pastor Eugene Peterson, autor do livro A Vocação Espiritual do Pastor, passou por este conflito. Descobriu que, ao contrário do que pensava, sua identidade como “crente” e sua vocação como “pastor” não andavam necessariamente de mãos dadas. Viu-se diante do que chamou “grande abismo”, numa alusão a Lucas 16:26. E foi naquele momento que clamou a Deus e redescobriu a espiritualidade própria do chamado que recebera. Contém 175 págin…

Minuto de graça 69 - O Jesus diferente

Minuto de graça 68 - A roda da carroça.

Os desertos da alma

Eugene Peterson no livro Transpondo muralhas diz que quando estamos num lugar deserto, não estamos no controle de coisa alguma, não temos compromissos a cumprir nem reuniões a realizar. Fiquemos atentos e nos mantenhamos vivos, só isso. Num lugar isolado, conseguimos geralmente compreender nossa vida de forma simplificada e aprofundada. Muitos são aqueles que, após alguns dias num desses lugares, sentem-se mais eles mesmos, descomplicados, livres, espontâneos. E não é raro que, mesmo que por qualquer motivo não estejam acostumados a fazê-lo, venham a proferir o nome Deus. Existe algo de maravilhosamente atrativo nos lugares ermos. Sejamos transformados pelo Eterno Deus nos desertos da alma e do coração! (Alcindo Almeida).

Seres humanos têm sentimentos

Abrir mão de nossas emoções por medo de que o custo seja muito alto significa nos afastarmos da única coisa que dá sentido e significado à vida. Somos pessoas e sentimos, sentimos e choramos. Seres humanos têm emoção que corre nas veias da alma. O salmista diz no Salmo 38.9: *Na tua presença Senhor estão os meus desejos todos e a minha ansiedade não te é oculta*. Vejam a necessidade de expressarmos os nossos sentimentos, porque somos humanos e podemos nos abrir diante daquele que é a nossa fonte, o nosso socorro e amparo em todo tempo! (Alcindo Almeida).

A experiência da felicidade

A fé nos liberta da compulsão por sermos sempre felizes. E a fé em Deus nos presenteia sempre com a experiência de uma felicidade imerecida (Anselm Grün).
O monge alemão Anselm Grün disse algo precioso sobre I João: "A primeira epístola de João nos diz que Deus é amor. O amor de Deus impregna toda a criação. E o amor de Deus é também a fonte interna da qual bebemos. Mas, Deus não é apenas amor, ele é também um "tu", um interlocutor, que podemos conhecer. E quando conhecemos Deus, conhecemos nossa própria verdade". Concordo com Grun e isso nos faz bem e nos liberta. Já pararam para pensar nesse amor divino? um amor que se entrega, um amor que rasga um pedaço da Trindade e mada aqui para a terra a fim de amar pecadores como nós. Que amor é esse que envia a segunda pessoa da Trindade para morrer numa cruz por um bando de miseráveis? Que amor é esse que faz o Deus da criação ser humilhado por pecadores a fim de cumprir o plano de redenção? que amor é esse? Um amor divino que desce do céu para tomar o lugar de pecadores. Esse amor é para nós de graça e com entrega total. Agradeçamos a Deus por esse amor que vem dele para …

A necessidade de valorizar o seu líder - (II Samuel 21-15-17)

Eu li mais uma das histórias de Davi. O texto diz que houve uma peleja de Israel contra os filisteus e nesse dia Davi desceu e com ele os seus servos e tanto pelejaram contra os filisteus, que Davi se cansou. E Isbi-Benobe intentou ferir a Davi. Mas, Abisai, filho de Zeruia, o socorreu e feriu o filisteu matando-o. Então os homens de Davi lhe juraram, dizendo: Nunca mais sairás conosco à peleja, para que não apagues a lâmpada de Israel. Eu e as minhas perguntas: que homem é esse que os seus servos dizem que ele é uma lâmpada para Israel? Os seus homens ficaram apavorados com a possibilidade de perderem esse homem de Deus. De não terem mais as palavras e o convívio dele no meio deles. A fala deles é que nunca mais Davi sairia nas pelejas arriscando a sua vida. Será que olhamos assim para os líderes das nossas comunidades? Temos o prazer de tê-los ao nosso lado? Temos esse cuidado especial como os homens de Davi tinham para com ele? Claro que sou suspeito para falar porque sou pastor, m…

O trabalho pastoral

A maior parte do trabalho pastoral é realizada na obscuridade, é decifrar a graça nas sombras, procurando sentido num texto difícil, é assoprar as brasas quase apagadas de uma vida quase extinta. Esse é um trabalho árduo e pouco atraente (Eugene Peterson. A vocação espiritual do pastor).

Um plano divino

Ontem eu li mais uma vez o livro de Rute e o capitulo 4.13 afirma: Assim, tomou Boaz a Rute, e ela passou a ser sua mulher; coabitou com ela, e o Senhor lhe concedeu que concebesse, e teve um filho. Quando lemos esse texto, percebemos que é um desfecho divino da história de uma mulher que humanamente falando, teria tudo para ver sua vida se perdendo. Só que aparece na vida dela uma palavra divina chamada: providência. A nuvem sobre a cabeça de Rute e Boaz está cheia de misericórdia. A história começou com a perda de Noemi. Ela termina com ganho de Noemi. O versículo 17 é o grande destino da longa e tortuosa estrada da vida de Noemi. E as vizinhas lhe deram um nome, dizendo: A Noemi nasceu um filho. Que extraordinário vermos o sinal da graça de Deus em retrocessos amargos na vida de Noemi e de Rute. Primeiro, quando toda a vida de Noemi parecia desabar em Moabe, foi Deus quem deu Rute a Noemi. Em segundo lugar, Noemi dá a impressão no capítulo 1, que não há esperança que Rute pudesse s…

Motivação

Motivação ajuda as pessoas que sabem o que devem fazer a fazê-lo!  Motivação ajuda as pessoas que sabem quais compromissos devem assumir a assumi-los!  Motivação ajuda as pessoas que sabem quais hábitos devem abandonar a abandoná-los! Motivação ajuda as pessoas que sabem qual caminho devem seguir a segui-lo! (Livro: 25 maneiras de valorizar as pessoas. John C Maxwell).

Somos pessoas singulares

O maior patrimônio que você possui é a pessoa que você é. Então seja o que Deus projetou para ser: filho dele por meio do sangue derramado na cruz do Calvário. Nós somos pecadores, falhos e miseráveis na natureza. Mas, ainda assim, somos amados de Aba e somos pessoas singulares, pessoas que entraram na galeria dos eleitos de Aba, antes da fundação do mundo. Seja o que você é, eleito, pecador redimido pelo sangue do Cordeiro e amado de Deus Pai, Deus Filho e Espírito Santo! (Alcindo Almeida).

Um espelho diante de nós

Colocar um espelho diante de nós e expor nosso duplo fracasso seriam um fardo severo e insuportável, não fosse esta outra dimensão da história: Deus realiza seus propósitos por meio de quem realmente somos, com nossa desobediência impetuosa e nossa obediência impiedosa, e generosamente usa nossa vida tal como encontra para realizar sua obra. Ele faz isso de tal maneira que é quase impossível para nós recebermos crédito por ela, mas também de tal maneira que em algum lugar no caminho ficamos surpreendidos  com as vitórias que ele realizou, no mar e na cidade, onde desempenhamos nosso estranho papel de Jonas (PETERSON, Eugene. A vocação espiritual do pastor. Mundo Cristão).

Lugares que atraem o coração

Peterson diz que nós pastores somos muito parecidos com Jonas. Queremos ir para lugares que atraem nossos corações, atraem nossa vida, nos dão um vislumbre de uma melhor qualidade de vida, benefícios, promoção pessoal, status, fama e etc. Só que a vontade de ir a Társis não se resume apenas aos pastores. Na verdade, todos nós sempre queremos fazer o que desejamos. Mas, nem sempre o desejo de Deus é que estejamos em Társis (Eugene Peterson. A vocação espiritual do pastor. Mundo Cristão).

Nínive ou Társis?

Lendo aqui o livro A vocação espiritual do pastor, percebo o quanto nós gostamos de Társis, porque tem mais aparência do belo e do atrativo. Társis é o lugar da carreira religiosa sem termos que lidar com Deus. Não gostamos de Nínive, porque é o lugar do trabalho segundo a vontade de Deus e não conforme a nossa vontade. Nínive é com gente, Társis com os prazeres do coração!

Sobre a oração

Santidade na vocação

A idolatria vocacional pode iludir os pastores a se envolverem com uma carreira apenas religiosa que podem comandar e controlar sempre. O que livra o pastor da banalidade religiosa é a santidade ardente. A santidade na vocação nos faz correr atrás do Evangelho e não atrás de uma carreira pastoral (Eugene Peterson).

Descanso na providência divina

Na oração de coração aberto entramos na contemplação do Deus que conhece a nossa mente e coração e escuta atenciosamente os dilemas da nossa alma. Na oração aprendemos a descansar na bondosa providência do Eterno Deus e expressamos nosso pensamento, sonhos e lutas diante daquele que é o nosso Pai amoroso que nos olha com compaixão e graça (Henri Nouwen. Direção espiritual).

Direção nas jornadas

A vida é cheia de jornadas. Algumas são excursões tediosas, problemáticas e tristes. Outras são aventuras emocionantes que embarcamos com os olhos da fé. Mas, tanto, nas ruins como nas boas, percebemos que não estamos sós. Deus sempre está ali, ele sempre nos dá a direção para essas jornadas! (Alcindo Almeida).

Além das estrelas - Grupo Candeia na IPALPHA setembro/2016

Minuto de graça 67 # Sem máscaras

O caos do egoismo

Quando os seres humanos estiverem em ordem com o natural da vida, a criação também estará. Todos perguntam: que caos é esse na sociedade? A resposta é que o ser humano está no caos do egoismo e se esqueceu de amar e cuidar e a criação só reage a tudo isso (Alcindo Almeida).

Minuto de graça #46 - A vida de José e o tecelão divino

Banda Ágape (Formação Anos 80) - Dez 2012 - Atlanta, GA

Reflexão no Salmo 13

Davi nos primeiros três versículos, faz 4 perguntas iguais: Até quando Senhor? Olhem só, percebam que as perguntas são feitas para o Deus que conhece o coração de Davi, ele sabe quem é Davi, Davi por sua vez, também sabe quem é o seu Deus. Por isso, ele vai para a fonte certa, ele pergunta para pessoa certa, e aqui a gente aprende a primeira lição:
- Sejamos sinceros na oração:
Davi não nega sua queixa diante de Deus e abre a alma dizendo para Deus e diz o que sente lá dentro! Aprendemos com Davi o que significa ser sincero diante de Deus. Significa que não nos tornamos falsos diante de Deus ao abrimos o nosso coração para ele, sem esconder a nossa insatisfação e sem esconder a nossa dor. Mas, o fato é que fazemos a nossa oração ao Senhor reconhecendo que só ele, e mais ninguém, pode resolver as dores do nosso coração. Porque a linguagem da oração ocorre num nível absolutamente pessoal e como um único propósito nos moldar e nos levar para Deus. Para esta realidade precisamos de sincerida…

Minuto de graça 65 # Um tesouro muito valioso

Continuo crendo

Minuto de graça 66 # Encontro com Deus

Palavra viva e eficaz

A Palavra de Deus não pode ser manipulada. Ela nos chama a uma reação pessoal e nos adverte no coração. A única reação apropriada é uma atitude de reverência, pois ela é sempre mais do que somos, sempre nos precede, sempre está acima de nós. Essa Palavra vai lá dentro de nós e produz transformações profundas e revolucionadoras. Ela nos ensina a fugir da mentira, a praticar amor de verdade e a seguir a justiça na vida. Como diz o escritor aos Hebreus: Pois a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração (Alcindo Almeida).

Cristo no centro do coração

Quando lemos o texto de Filipenses 1:21, percebemos claramente que Jesus é o centro da vida de Paulo. Ele diz: Pois para mim viver é Cristo, e morrer é lucro. Cristo era o centro absoluto da vida de Paulo e por isso, era um lucro certo partir dessa vida. Olhando para a nossa vida percebemos que ao seguir Jesus e nos entrosarmos na nova vida de salvação, somos frequentemente tentados, por uma série de seduções, a negar, ou evitar, ou até mesmo menosprezar Jesus Cristo no cotidiano. Paulo faz do momento de prisão uma declaração porque ele estava ali e o que ele desejava na vida. Ele queria ver Jesus. O sentido da sua existência era Jesus de Nazaré. Por isso, ele disse que Cristo era o centro do seu coração. Saibamos que quando Cristo é Senhor da nossa vida, o nosso agir é diferente diante das dificuldades. Precisamos da consciência no coração de que Jesus está no centro do nosso coração. Paulo tem essa consciência e assim pode afirmar que o morrer para ele é lucro. Mas, ele entende que …