Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2017

Minuto de graça #105 | Somos pó e cinza

Minuto de graça #103 | Suportando os fracos

Descansemos nos braços do Eterno

Algo que é difícil para todos nós, e descansar o coração em Deus. A Bíblia nos convida a descansar nos braços do Eterno Deus. Ela nos convida a crer que Deus está no centro de tudo, ele está controlando tudo e dirigindo cada detalhe da história da nossa vida! Não descansamos porque somos demasiadamente ansiosos! Queremos resolver tudo do nosso jeito! Até achamos que podemos auxiliar Deus! Davi disse no Salmo 68:19: Bendito seja o Senhor, que diariamente leva a nossa carga, o Deus que é a nossa salvação. Ele carrega as nossas cargas, ele cuida, ampara e derrama graça em nossa vida sempre! Ele é a fonte da nossa vida sempre! Então descansemos nos braços do Eterno porque ele traz o refrigério e alento para a alma! (Alcindo Almeida).

Somos frágeis demais

O texto do Salmo 39:4 afirma: Mostra-me, Senhor, o fim da minha vida e o número dos meus dias, para que eu saiba quão frágil sou. Soren Kierkegaard (1813 - 1855) o grande filósofo e teólogo dinamarquês tem um livro Das profundezas – preces. Nele há uma oração intitulada “A fraqueza Verdadeira”. Ele diz: “Pai celeste! No mundo cá de fora, um é forte, outro é fraco. O forte – quem sabe – envaidece-se com a sua força; o débil suspira e, ai de mim, torna-se invejoso. Mas aqui, bem no interior da tua Igreja, todos somos fracos: aqui, perante Tua presença – Tu és o poderoso, só Tu és o forte”. Ele é infinito e nós como seres criados finitos.  Gosto demais do jeito de Davi olhar para si mesmo. Ele entende o quanto é limitado no ser, o quanto é incapaz de seguir a vida sozinho. Ele reconhece que é fraco, que é pó diante do Eterno Deus. É a ideia de Paulo em 2 Cor 4.7 quando nos diz que Deus tem seu tesouro em vasos de barro. Esses vasos frágeis somos nós! Paulo sinaliza que há uma significativ…

Minuto de graça #102 | Manchas do coração

Exercitando a paciência

O texto de Provérbios 25:15 afirma: Com muita paciência pode chegar-se a convencer até mesmo um magistrado; e as palavras brandas são capazes de quebrar ossos duros. Tenho pensando nesses dias sobre a nossa prática da paciência. Essa palavra tem a ver com a compreensão e aceitação das imperfeições dos outros. Paciências é permitir a alguém ser imperfeito. É entender o que se passa dentro do outro, acolher os seus sentimentos e os motivos de suas atitudes. Paciência não é concordar, é compreender; paciência é quando não julgamos e não condenamos os outros mesmo no meio das fragilidades deles. Nossa paciência permite ao outro crescer, mudar e ter nova chance para melhorar. 
Quem tem consciência das próprias imperfeições e cultiva um espírito positivo, tem condições de ser paciente. A humildade nos torna pessoas dotadas de paciência, porque saímos de nós mesmos, sofremos com a situação dos outros e os acolhemos. Ser paciente com alguém não faz parte da nossa cultura, porque queremos tudo …

A nossa meta é amar

Jesus disse em João 15.12: Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Os tempos mudaram diferentemente de 30 anos atrás, quando a família comia junto na mesa. O pai voltava do trabalho na vida comum e se reunia para conversar com a família. Todos tinham o mesmo horário de trabalho e estudo nas escolas. No final de semana os pais iam com as crianças para a igreja, comiam e desfrutavam o dia todo de comunhão com a igreja. Na semana havia os cultos domésticos e com muito tempo para conversar. Os grupos se reuniam, a igreja vivia sempre presente, sempre unida nas ações e respirava a comunhão de uma maneira muito mais eficaz.  Agora com a realidade da cidade, tudo começa a ganhar um sistema novo e os espaços começam a se diminuir. Os campos industriais aumentam, a vizinhança dá espaço não para gente e sim, para as máquinas. Os vizinhos não se falam mais, se ignoram. Cada um começa a lutar pelos seus ideais. O tempo de estar junto começa a ficar pequeno e escasso. O p…

[TEASER] - Colossenses 1 - Projeto Sola

A vida no Reino de Deus

Em Lucas 9:62 Jesus respondeu: Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás serve para o Reino de Deus. O texto nos informa que enquanto Jesus e os seus andavam pelo caminho, um homem lhe disse: Eu te seguirei por onde quer que tu fores. Esta é uma afirmação teoricamente fácil para se fazer. Mas, Jesus que conhece profundamente a estrutura humana, sabia o quanto era difícil praticar isto. Ele responde para aquele homem: As raposas têm suas tocas e as aves do céu tem seus ninhos, mas o filho do homem não tem onde repousar a cabeça. E o texto continua e Jesus diz a outro: Segue-me! É fácil falar de seguir a Jesus, mas quando se tratava de seguir a Jesus era sinônimo de morte. Seguir a Jesus na época implicava em correr risco de morte e também em dedicar a vida e o coração com todo o esforço. Seguir a Jesus era se dedicar numa entrega tão profunda que não haveria possibilidade de olhar para trás. A palavra de Jesus é: Segue-me! E seguir a Jesus é abrir mão de casa, carro, posses, possi…