Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

Simplicidade em Deus

Timothy Keller escreveu um livreto muito precioso chamado: Ego transformado. Ele mostra que a humildade que brota do Evangelho torna possível pararmos de vincular cada experiência e cada conversa com a nossa história e com quem somos. E assim podemos ficar libertos da autocondenação. Quem é realmente humilde segundo o Evangelho não se odeia, mas também não se ama exageradamente. Antes é alguém que esquece de si mesmo por amor a Cristo. Bem, o nosso ego tem haver com aquilo que mora dentro de nós mesmos, o orgulho. O orgulho que é a grande ilusão de que temos competência sem Deus para conduzir a nossa vida do jeito que queremos.  Orgulho é esse desejo de desenvolver o nosso próprio senso de valor pessoal e tentar descobrir os valores humanos para dar sentido a vida. Ego e orgulho, nem sei diferenciar muito porque os dois nos atrapalham ver Deus. Os dois querem nos tornar em deuses de nós mesmos e nos levam a nos apoiar na estrutura humana que é fraca, limitada e finita. A Bíblia diz q…

Palavras que produzem vida

Vida de negação pela cruz

Como a cruz é o símbolo da submissão, assim a toalha é o símbolo do serviço. Quando Jesus reuniu seus discípulos para a última Ceia, eles debatiam sobre quem era o maior. Este problema não lhes era novo. Sempre que houver problema acerca de quem é o maior, haverá problema acerca de quem é o menor.  A grande verdade é que esse é um ponto crucial para nós. Nós sabemos que nunca seremos os maiores, só um é maior do que nós e ponto final: Jesus Cristo. Interessante que no encontro de Jesus com seus discípulos na festa da Páscoa, eles sabiam que alguém tinha de lavar os pés dos outros. O problema era que só os menores é que deveriam lavar os pés dos outros. O fato é que naquele momento eles estavam com os pés empoeirados. Era um ponto tão melindroso que eles nem mesmo iriam falar sobre o assunto.  Ninguém desejava ser considerado o menor naquele momento de encontro. Então, sem palavras, sem nada a declarar como o soberano e majestoso Deus, o simples e humilde Jesus pega uma toalha e uma bac…

Cuidado com a inveja

A inveja tem levado muitas igrejas à ruína. Por causa dela, várias denominações têm rachado da maneira mais triste que pensemos! A inveja é um sentimento destrutivo de alguém que pretende tirar o que conseguimos com lutas e suor. A inveja tira o nosso foco e conduz a nossa energia para o lado errado da vida. A inveja não nos permite olhar para o outro, mas somente para nós mesmos. E tudo que fizeram a mais que nós, isso gera inveja no nosso coração. A inveja nos transforma em seres intolerantes em relação ao sucesso dos outros. Então sofremos por termos menos dinheiro, menos felicidade do que o vizinho. Porque a inveja sempre nos empurra para a quantidade daquilo que o outro tem e isso causa infelicidade na gente. Como disse François de La Rochefoucauld: A nossa inveja dura sempre mais do que a fortuna daqueles que invejamos. Cuidado com a inveja no nosso coração porque ela nos destrói e acaba com a vida! (Alcindo Almeida).

O Deus que podemos confiar

Alister McGrath disse: Crer em Deus é acreditar que Deus é digno de confiança, o que nos leva a confiar nele. Crer em Deus vai muito além da mera aceitação efetiva da existência dele; é declarar que nesse Deus se pode confiar. Vivemos dias super complicados, e é exatamente nesses momentos de lutas e dificuldades que exercitamos a nossa fé. A Bíblia diz: O justo viverá por fé. Não vivemos em função das circunstâncias que nos cercam, vivemos pela fé naquele que cuida da nossa vida sempre. Vivemos pela fé naquele que olha para cada detalhe da nossa vida. O Senhor que nos dá a graça para vivermos e sermos sustentados em cada passo que damos na vida. Ele nos dá a graça de confiarmos nele em todos os processos da vida. Aprendamos a ter o exercício dessa fé diária que nos ajudará a descansar na bondosa providência do Deus de toda graça! (Alcindo Almeida).

Compreensão do sofrimento na perspectiva divina | Pr. Alcindo Almeida

Minuto de graça # 87 - A melodia divina

A experiência da dor

Algo que não gostamos de falar é da dor. Mas, ela é um dos processos da construção do nosso ser diante de Deus. A dor na vida nos modela, ela nos faz ser mais. A nossa existência passa pela dor para que percebamos que realmente somos humanos e limitados. Embora a dor produza alguns processos complicados dentro da gente, ela é o sinal de que vivemos. Ela é a prova de que o nosso corpo tem a capacidade de sentir algo. Então a dor não é o fundo do poço, é o inicio de algo que brota novo dentro de nós.  A grande verdade é que ninguém permanece o mesmo depois da experiência da dor. As dores da nossa alma produzem feridas, mas são cicatrizadas pela graça divina em nós. Quando olhamos para Davi, percebemos o quanto a dor tratou o seu coração. Quando a Cidade de Ziclague foi saqueada pelos amalequitas, Davi ficou com uma dor profunda. O texto sagrado diz que ele se angustiou muito. Houve muito choro naquele dia diante da dor da perda dos queridos familiares. Mas, o texto diz em I Samuel 30:6…

GRANDIOSO ÉS TU(remix) - Rafael Diedrich feat Os Arrais & Sola - Love7

Registro divino em nós!

O texto sagrado de Isaías 49.15-16 afirma: Será que uma mãe pode esquecer do seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Embora ela pode se esquecer, eu não me esquecerei de você! Veja, eu gravei você nas palmas das minhas mãos; seus muros estão sempre diante de mim. 
Conversando com uma pessoa ela me perguntou: Pastor será que Deus se importa comigo mesmo? Respondi citando esse texto e disse para ela que todos nós estamos no calendário divino. Disse que estamos na palma das mãos do Eterno Deus. Ainda que uma mulher se esqueça do filho que cria, Deus não se esquecesse de nós. Não porque sejamos bons, merecedores, porque somos feras da vida, porque fazemos algo de forma excelente, não, mil vezes não! 
Deus é conosco por sua graça e amor mesmo. Estamos protegidos e guardados por ele e abençoados por causa da sua graça e bondade por pecadores. Estamos na graça e sustento dele porque ele resolveu fazer isso por nós. Temos o nosso nome na palma da mão do Eterno porque fom…

Ele se deu por nós

Estou aqui vendo o filme Filme A Paixão de Cristo. Que dor! Que humilhação o nosso Senhor passou por causa de nós! Vejo que a cruz mina nossa justiça própria. Só podemos nos aproximar dela com a cabeça curvada. Na cruz do Senhor Jesus recebemos a graça do perdão e aceitação. Nessa cruz temos a anulação das marcas terríveis do pecado. Toda a nossa deformidade de alma e caráter, foram pendurados naquele madeiro. Naquele lugar horrível, Jesus morreu por causa da podridão do nosso ego e soberba. Ele morreu por causa da nossa indiferença e egoísmo que vai lá dentro do ser. Lá ele padeceu para resolver o problema da nossa condenação. Louvado seja o teu bendito nome Jesus amado! Foi por nós que tu te entregaste! Gratos ao dono da nossa vida que nos amou e a si mesmo se deu por nós! Como diz o poeta: Sim, na cruz, sim, na cruz, sempre me glorio, e enfim vou descansar, salvo, além do rio. Aleluia! (Alcindo Almeida).

Crucificados com Cristo

Hoje é um dia de pensarmos na cruz, e ela mostra claramente que não precisamos lembrar do passado. Não precisamos nos lembrar mais das mentiras que praticamos e que ofenderam a Deus. Não precisamos nos lembrar mais daqueles pensamentos terríveis que praticamos e que ofenderam a Deus. Não devemos pensar que Deus nos vê como nós nos vemos. Porque ele pagou o preço da nossa pena em Jesus Cristo. A Bíblia diz que Jesus foi transpassado por causa das nossas transgressões. Jesus literalmente foi esmagado por causa de nossas iniquidades. Nós temos o perdão por causa do pagamento que Jesus teve no Calvário. Lembro-me do que Paulo disse: Já estou crucificado com Cristo; e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim. Literalmente ele afirma que morreu para si mesmo por causa de Cristo. Paulo disse que estava crucificado com Cristo. Ele disse que não vivia mais para ele mesmo, mas Cristo vivia nele. Nesta afirmação ele mostra que está pregado na cruz com Jesus e isto que o faz morrer para experimen…

Minuto de graça #86 - O favor imerecido do Eterno

A afeição

A afeição em sua melhor forma não deseja nem ferir, nem humilhar, nem dominar. A afeição em sua melhor forma nunca diz: cale a boca, agora quero ler. Ela produz um tom de voz certo e na hora oportuna. Ela tem o tom e o momento que não ferirão e nem tem a intenção. A afeição não dá vazão para a vingança no casamento. A afeição se mantém a distância da vingança com a atitude de polidez. Ela diz não para essa frase: ele me paga (Livro Um jeito doce de viver com seu cônjuge).

Os coxos que recebem graça

Quando lemos II Samuel 9, vemos a história de Mefibosete. Ele foi o neto de Saul, seu pai era Jônatas, e o rei Davi tinha feito uma aliança com Jônatas de que nunca deixaria de honrar sua parentela, e um dia ele se lembra disso, e o único que se tinha notícias da parentela de Jônatas era Mefibosete, um jovem aleijado de ambos os pés que morava em Lo-Debar. O seu nome significa vergonha destruída.  Quando olhamos para a vida de Mefibosete nos lembramos do que Deus fez por nós, como Paulo afirma em Ef. 2.1: Estávamos mortos nos nossos delitos e pecados, mas Deus nos deu vida. O texto de Jeremias 17.9 afirma que o nosso coração é extremamente corrupto e depravado. A nossa mente é hostil e não se submete a Deus em nenhum momento. Não possuímos nenhum poder para nos salvar sozinhos.  Mefibosete estava como nós, aleijado e sem forças para ir até Davi. Semelhante a Mefibosete, nós sem Deus estaríamos perdidos e sem rumo algum para a vida. Foi necessário que Deus colocasse graça em nós, para qu…

Apresentação do Pr. Hernandes do livro Um jeito doce de viver com seu cô...

Minuto de graça #23 - Deus está no comando da história

Reconciliação divina

A encarnação de Jesus Cristo é a prova de que o mundo material criado é amado e redimido pelo Eterno, ela é a demonstração viva e definitiva de que ele abençoou todos os lados da vida humana. A vinda do mestre provocou a reconciliação entre Deus e a sua criação. A Bíblia diz: E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João 1.14). A presença da Palavra que é o verbo divino - mudou esse mundo. Havia uma separação profunda entre nós e Deus. Em Jesus essa criação tem um retorno para a comunhão com a Trindade. Por meio dele podemos falar novamente com o Eterno. Você já parou para pensar nessa graça para pecadores? Você ja parou para pensar que o próprio Deus veio habitar no meio de pecadores para trazer a eles graça, redenção e vida eterna? Louvado seja o Deus encarnado no meio de pecadores como nós! (Alcindo Almeida).

Prossiga no alvo da vida

Quando olhamos para o grande Michelangelo vemos que ele se entregou para a arte e é, por isso, que nos lembramos dele quinhentos anos depois da sua morte. Beethoven e Bach também se dedicaram completamente ao seu trabalho e a música deles, viverá para sempre. Alexander Graham Bell acreditava que o som poderia ser transformado em impulsos elétricos e transmitido por intermédio do fio elétrico. Ninguém lembra das pessoas que achavam que Bell era louco; lembramos apenas do homem que acreditava que era possível criar o telefone. Thomas Edison passava oito ou nove dias trancado em uma sala trabalhando nas suas experimentações. Ele tinha um sonho. E, apesar de muitos equívocos, descobriu a lâmpada. Embora levasse muito tempo, ele acreditava que a energia elétrica poderia produzir luz. Porque acreditava nessa possibilidade, ele continuou tentando até que viu o cumprimento da sua visão. É isso que o tornou inesquecível. Às vezes, pensamos que não podemos somar para a vida, mas podemos, sim, po…

Humildade divina

O orgulho é tão perigoso que quando ele reina, toma o lugar do Eterno dentro de nós e vivemos como se não precisássemos da graça divina! Como diz C. S. Lewis: "O orgulho leva a todos os demais pecados: trata-se de um estado mental totalmente anti-Deus. É a comparação que nos torna orgulhosos: o prazer de estar acima das outras pessoas. Uma vez eliminado o comportamento competitivo, desaparece o orgulho. O homem orgulhoso, mesmo quando conquistou mais do que poderia desejar, tentará conseguir sempre mais só para garantir o seu poder. Uma pessoa orgulhosa está sempre olhando os outros de cima para baixo. É claro que, enquanto você estiver olhando para baixo, não terá como enxergar o que se encontra acima de você. O orgulho não vem da nossa natureza animal, mas diretamente do inferno. Ele é puramente espiritual, e, por isso, é o mais sutil e mortal. O Diabo se contenta em ver você se tornando casto, corajoso e controlado, desde que consiga instaurar em você a ditadura do orgulho o t…

As chamas do romance

Tanto o casamento como os relacionamentos se baseiam na amizade. Temos de pensar em construir a vida na compreensão, no compartilhar as memórias, no envelhecer lado a lado e de ser honesto um com o outro em todo tempo. Isso ajuda no desenvolvimento da vida. Quando olhamos para o livro de Cantares 5.16 vemos a preocupação da amizade que a sulamita tem pelo seu amado: Tal é o meu amado, e tal o meu amigo. A amizade sustenta as chamas do romance, porque oferece a melhor proteção contra os sentimentos antagônicos para com o cônjuge. Na amizade vemos o outro como superior a nós mesmos e olhamos com mais graça e amor. Somos mais sentimentos e menos razão e alcançamos mais equilíbrio entre razão e emoção (Livro: Um jeito doce de viver com seu cônjuge).

Minuto de graça #85 - Jesus tudo ele faz bem

O silêncio e a oração

Na oração descobrimos que não há obstáculos entre nós e Deus, não há palavras ou orações pré-formuladas. A oração nos obriga a penetrar na verdade. Mas, a verdade nos tornará em seres livres e ela nos colocará em ordem, nos endireitará quando nossos pensamentos e desejos não estiverem corretos diante de Deus. O nosso encontro com ele resulta nesta transformação.  Na oração experimentamos a proteção de Deus e não das coisas que exercem poder sobre nós. A oração se completa no silêncio como nos dias da doutrina da oração dos pais da igreja. O silêncio nos ensina a escutar aquilo que Deus quer de nós e nos impede de forjar uma resposta em nós mesmos. O silêncio nos desafia a nos abrir para o mistério divino e entender que Deus é o verdadeiro Deus e Senhor da nossa vida.  A oração é o caminho que nos conduz à morada de tesouro interior, ao espaço em nós no qual Deus mesmo habita. Toda a riqueza que podemos adquirir está dentro de nós. Através do silêncio e da oração nos voltamos para nosso …

Percepção divina

José teve uma experiência triste na vida, pois, foi tirado do seu lugar de origem e isto deve ter trazido uma depressão profunda no seu coração. Ele está no Egito e quando tudo parece estar no controle, ele é acusado de estupro e vai para na cadeia do Egito. Ele fica no meio de pessoas que foram condenadas por Faraó. Ele poderia muito bem amaldiçoar sua história, sua vida e o seu próprio Deus. Mas, o texto de Gn. 39.23 diz algo fundamental para a história de José: O Senhor, porém, era com José, estendendo sobre ele a sua benignidade e dando-lhe graça. José percebe que está num mundo de aflições profundas, mas entende que não é do mundo. Ele percebe que em meio aos conflitos, ao abandono, as perseguições que ele sofre, tem alguém por trás dele que o sustenta. A diferença preciosa para José ir para a prisão e ser vendido pelos irmãos, era Deus. Ele não estava só, apesar do texto dizer que esse servo da casa de Faraó se esqueceu dele. Apesar desse processo tão delicado, José tem a presenç…

Amor verdadeiro

O amor verdadeiro entre um homem e mulher é que fará com que eles tenham relacionamento perdurador. É o amor que faz com que um casal tenha compaixão, solidariedade, respeito, carinho, ternura, paciência e compreensão mútua. É o amor que dará condições para conversar a vida toda, pois, só com amor no coração pela esposa, pelo esposo é que conseguimos cultivar relacionamento de convivência e amizade pelo resto da vida. É pelo amor casais hão de se sentar no lugar da comunhão que é a mesa e desfrutarão de um relacionamento sadio e construtivo (Livro: Um jeito doce de viver com seu cônjuge).

Uma só carne

O homem e a mulher quando se tornam uma só carne acontece o ajuntamento de dois seres humanos que não viverão mais para si mesmos e, sim, para o seu cônjuge. Com esta visão na vida, com certeza as crises serão mais administráveis. Porque duas pessoas terão a plena consciência de que são uma só carne, que o Senhor uniu, quando um dia deixaram seus pais (Livro: Um jeito doce de viver com seu cônjuge).

Deus mais perto de nós

Orar é ter Deus mais perto de nós mesmos, porque quando nós oramos evidenciamos que precisamos do divino em nós. Quando oramos abrimos nossa alma para aquele que pode nos socorrer e ouvir as batidas do nosso coração. Orar é colocar o coração aos pés do nosso amado e Eterno Deus. A experiência de Daniel foi assim. A sua percepção de oração o fez ter Deus bem próximo dele: Aí ele disse: — Não fique com medo, Daniel, pois Deus ouviu a sua oração desde a primeira vez que você se humilhou na presença dele a fim de ganhar sabedoria. Eu vim em resposta à sua oração. Que tenhamos a percepção da oração como sendo algo tão precioso como nos alimentar. Que nos alimentemos da presença marcante do Eterno Deus em nosso coração! (Alcindo Almeida).

Mission Trip Malawi 17

Esse livro será lançando no Malawi em maio. Estaremos lá com aproximadamente 50 pastores no campo. E todos ganharão esse livro para usarem como ferramenta na missão! Super feliz por essa oportunidade de fazer missão na África junto com Mauricio M Meneses, Alessandro Silva, Israel E Daniela Xavier, Jakson, Gerson e Fabiana #oremmissiontripmalawi17

Consertador de corações

A Palavra de Deus afirma que Jesus veio para curar os quebrantados de coração, aqueles que tinham o coração doente, quebrado literalmente, Jesus cura, transforma, renova, edifica de novo. Jesus molda, restaura. Ele veio aqui na terra para refazer corações feridos e despedaçados. Corações que estavam estragados e agora, são renovados por ele. Às vezes, vemos pessoas dizendo: não tem jeito para minha vida, eu não tenho esperança para absolutamente nada na vida. A Palavra diz que tem sim, temos uma especialista divino para consertar corações destruídos e sem vida. Jesus, o consertador divino, ele renova mesmo, ele transforma, edifica, coloca vida e restaura todas as feridas nele. Louvado seja o nosso Redentor e consertador de corações! (Alcindo Almeida).