Vida equilibrada


- Texto para reflexão: Sabeis estas coisas, meus amados irmãos. Todo o homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus (Tiago 1.19 e 20).

Quando leio esta parte de Tiago surgem algumas perguntas ao meu coração:
Como podemos ter uma espiritualidade verdadeira? Como podemos servir a Deus de uma maneira verdadeira? Será que é sendo um ouvinte da Palavra? Será que é por ir à igreja todos os domingos? Creio que só seremos verdadeiros cristãos quando, de fato, prestarmos a atenção nas palavras de Deus como elas estão nas Escrituras.
Seremos verdadeiros cristãos quando tomarmos as palavras de Deus e lê-las no coração. Porque não basta tomarmos as palavras de Deus. Temos que colocá-las pela graça de Deus em nosso interior de maneira silenciosa e amorosa para que aconteça o que Tiago nos ensinará neste texto (NOUWEN, Henri. Crescer, os três movimentos da vida espiritual. São Paulo: Paulinas, 2000, p. 131).
Tiago nesta seção tratará sobre as características da verdadeira religião, aquela que de fato agrada a Deus. Ele mostra que aquele que tem uma transformação espiritual no coração, segue os princípios profundos da Palavra de Deus apresentados neste texto.
Ele usa este verbo saber que traz a idéia de guardar no coração os vários aspectos que serão ditos. E o primeiro deles é:

· Ser pronto para ouvir:
Todo ser humano tem uma dificuldade enorme para ouvir, a tendência nossa é sempre falar, falar e falar. Tiago traz uma palavra para se guardada no coração de quem deseja agradar a Deus.
Aquele que quer agradar a Deus, deve ter no coração o desejo de estar pronto para ouvir a voz de Deus através da sua Palavra. E é claro, está implícito o relacionamento com o próximo. Pois, quando ouvimos a Palavra de Deus no coração, temos menos arrogância no tratamento com o próximo.
Temos um temperamento controlado para ouvir o ponto de vista dele. Sem querermos impor as nossas próprias posições sem antes ouvir a posição do outro.
A verdade é que não temos facilidade para ouvir nem Deus, quanto mais o nosso próximo. Para ouvir Deus, é algo difícil, pois, não temos tempo para a Palavra, para a comunhão com o Pai, daí a nossa grande dificuldade de estarmos prontos para ouvir.
Tiago pede para que guardemos isto no coração, o estar pronto para ouvir a Palavra e ouvir o nosso próximo.

· Ser tardio para falar:
Quando temos coração para ouvir, o resultado é que temos ponderação para falar. Quem tem ouvidos para ouvir o que Deus deseja para a vida e conduta, tem moderação para falar palavras sábias que edificam e não separam. Palavras que não atrapalham a vida.

· Ser tardio para se irar:
Quando somos prontos para ouvir, tardios para falar, a ira é algo que passa longe da nossa caminhada. Interessante que uma pessoa que não tem paciência para ouvir Deus, fica agitado e sem controle. Consequentemente fala coisas que não deve – isto na relação espiritual como na afetiva. Ele fala coisas que não deve com a esposa, com os filhos e com os outros. Daí surge a ira, o ódio e a falta de sensibilidade para tratar as coisas.
Vejam como os três aspectos ditos por Tiago estão em perfeita ordem. Pois, que é pronto para ouvir, sabe o que falar e geralmente não se ira com facilidade. E Tiago diz no versículo 20 que esta ira com insensatez não produz atos bons diante de Deus (CHAMPLIN, 1995, Vol. 6, p. 28).
Salomão tem várias exortações sobre o ouvir, o falar e o irar-se. Ele diz em Provérbios 10.19: No muito falar não falta transgressão, mas o que modera os lábios é prudente. Ele diz em Provérbios 13.3: O que guarda a sua boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os seus lábios a si mesmo se arruina. Ele diz também: A resposta branda desvia o furor, mas a para dura suscita a ira (Pv. 15.1).
Vida equilibrada tem a ver com ser pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Que a graça de Deus seja sobre nós!

_____________
Alcindo Almeida
Aécio Ribeiro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Vida equilibrada":
Falamos muito, ouvimos pouco. Ouvimos muito nosso coração, ouvimos pouco o Deus que fala ao nosso coração. Como ouço a Deus? Em particular, sempre ouço ao Senhor na inspiração. Mas corro sempre o risco de confundir Sua voz com a voz do meu coração. Por isso, Sua Palavra será sempre o instrumento moderador, a régua. Ao Senhor a Glória. Parabéns, amado irmão Alcindo. Fui muito edificado nesta manhã.

Comentários

Aécio Ribeiro disse…
Falamos muito, ouvimos pouco. Ouvimos muito nosso coração, ouvimos pouco o Deus que fala ao nosso coração. Como ouço a Deus? Em particular, sempre ouço ao Senhor na inspiração. Mas corro sempre o risco de confundir Sua voz com a voz do meu coração. Por isso, Sua Palavra será sempre o instrumento moderador, a régua. Ao Senhor a Glória. Parabéns, amado irmão Alcindo. Fui muito edificado nesta manhã.

Postagens mais visitadas