Jesus sempre viveu para os outros


- Texto para reflexão: Vendo os escribas dos fariseus que comia com os publicanos e pecadores, perguntavam aos discípulos: Por que é que ele como com os publicanos e pecadores? (Marcos 2.16).

A grande característica da vida de Jesus é que ele não era apenas chamado de amigo de publicanos e pecadores, mas era de fato. Ele fazia amizade com a ralé, a gentalha de sua cultura. Um dos mistérios da tradição do evangelho é essa estranha atração de Jesus pelas pessoas sem atração alguma, seu estranho desejo pelos indesejáveis, seu estranho amor pelos não-amáveis.
Fico imaginando como somos iguais aos fariseus, medimos as pessoas pela aparencia, pelo jeito. Na epoca eles achavam que Jesus não deveria comer com gente daquele nivel, desta forma, ele não poderia ser Deus andando com gente assim.
Quando olho para o mestre neste tratamento do paralítico que é carregado por quatro amigos, percebo de maneira absolutamente profunda a gentileza de Jesus para com os pecadores que precisam de cura, não somente na alma, mas no corpo.
Jesus é mestre em ler o coração deles e detectar as necessidades dos pecadores. Por trás das poses mais ranzinzas e dos mais desconcertantes mecanismos de defesa dos homens, por trás da arrogância e das máscaras, por trás de seus praguejares e olhares de desprezo, Jesus via criancinhas que não haviam sido amadas o bastante e que tinham deixado de crescer porque alguém deixara de acreditar nelas.
Como o ensino de Jesus acerca da humildade e do amor servil é profunda. O ministério de serviço de Jesus está enraizado na compaixão pelos perdidos, solitários, quebrantados, os invalidos, os esquecidos, os marginalizados, os coxos, os cobradores de impostos, as mulheres da vida. Uma pergunta que vem ao nosso coração é: Por que razão ele ama os perdedores, os fracassados, os que estão à margem da sociedade?
Creio que a resposta é graça divina. Só a graça aproxima gente deste Cristo maravilhoso. A sua graça faz com que ele viva para gente como a gente, como diz um amigo dos mendigos do Evangelho.
Como precisamos viver como Jesus, nos dando para os outros e amando quem não é amado, olhando para quem nunca recebe um olhar. Investindo em quem nunca tem um afago, um carinho e uma atenção.
Aprendamos com o mestre do amor!

Alcindo Almeida

Comentários

Luciana disse…
O Amor de Deus é sem limite e interesse , a raça humana ao contrário, somos seres egoistas e temos dificuldade em lidar com todos que estão a margem da sociedade , só um tremendo quebrantamento para reconhecer nossa pequenez, as pessoas querem ser amadas e mimadas mas ninguém se doa mais , é o ostracismo da Pós- Modernidade !

Postagens mais visitadas