A graça de Deus é a marca da nossa vida


- Texto para reflexão: E por derradeiro de todos apareceu também a mim, como a um abortivo. Pois eu sou o menor dos apóstolos, que nem sou digno de ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus. Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo (I Coríntios 15.8-10).

Fenelon foi um conselheiro do padre Tronson. Ele também tenta ensinar o neto de Luís XIV, o Duque de Edimburgo, um garoto cheio de orgulho e arrogante como o seu avô, ele diz: “Vê se lembra que é o presente da graça de Deus. Diga para você mesmo eu sou, eu mesmo, o presente da graça de Deus para mim. Ele me deu a mim mesmo”
[1].
Paulo afirma que Deus ordenou a sua vida muito antes dos seus pais o formarem. Temos de reconhecer que apesar de às vezes, nos desesperamos por causa das influências negativas que desgastaram, marcaram e aleijaram a nossa identidade, esse não é o nosso último destino. Paulo afirma nesse texto que embora seja convertido, depois de ter feito coisas terríveis, como perseguir a igreja de Deus, ele é um filho da graça de Deus, ele é um predestinado, eleito de Deus pela graça. Paulo nos diz que fomos predestinados em amor (Ef. 1.4). Fomos adotados para sermos um dos seus filhos através de Jesus Cristo de acordo com a sua boa vontade.
Lemos a história de Paulo para que nós mesmos entremos na história.
Falar de uma história é falar de evento. E o evento de Deus na nossa vida é a sua redenção pela graça. E o propósito da história de Paulo é ser contada para ser repetida. Nós entramos dentro dela e a experimentamos em nós mesmos. Olhem que evento histórico profundo da redenção em Paulo:

1. Deus apareceu a ele como a um abortivo: a idéia aqui é de ser nascido fora do tempo. É mais ou menos a mesma palavra que vemos no Velho Testamento: Que do Egito eu chamei o meu Filho. Paulo é escolhido para ser um filho de Deus já depois de longa data e nem imaginaria que depois de perseguidor da igreja de Deus, seria considerado perseguido por causa do Evangelho da graça de Deus.
Ele quer contar e repetir essa história da graça de Deus em sua vida. Ele não pode se calar porque isto é o poder de Deus em transformar um homem duro e insensível quanto ao Evangelho.
Ele mostra que Deus não apareceu somente aos doze apóstolos no seu estado glorioso, mas também a ele na estrada de Damasco e isto lhe daria a graça de ter autoridade como apóstolo de Jesus Cristo. Paulo considera isso como graça de Deus marcante em sua vida. A sua mudança foi tão marcante, tão radical e gerou tanta transformação que parece ter sido fora do tempo [2].

2. Ele se considerava o menor dos apóstolos: Paulo dizia que nem era digno de ser chamado apóstolo, porque perseguiu a igreja de Deus. Ele achava que não merecia essa condição de autoridade como servo de Deus porque foi o grande perseguidor da igreja. Ele presenciou a morte de Estevão, concordou com a morte de outros cristãos. E isso fazia com que Paulo se considerasse o menor diante de todos. Ele via tão somente a graça de Deus de maneira marcante em sua vida para fazê-lo apóstolo do Evangelho.

3. Pela graça de Deus ele foi escolhido: pela graça de Deus Paulo diz que era um novo homem. Pela graça de Deus ele foi vaso de honra e a essa graça para com ele não foi vã. Antes trabalhou muito mais do que todos. Mas, ele volta a afirmar que não foi ele, mas a graça de Deus que estava sempre com ele. É a graça que opera em Paulo, não é ele que trabalha sozinho, é a graça que faz tudo em Paulo, o capacita e traz os resultados do Evangelho usando-o como instrumento. A graça é a operação profunda de Deus para Paulo ser quem é.
A história da graça de Deus na vida de maneira marcante, que Paulo quer contar, contar e contar. Assim como Fenelon ensinou o neto de Luís XIV, o Duque de Edimburgo, que ele era o presente da graça de Deus, nós devemos nos lembrar também que somos o presente da graça de Deus. Nada nos torna melhores ou significativos a não ser a graça de Deus.
Fomos o que somos pela graça. Somos escolhidos pela graça, temos saúde pela graça, temos fé pela graça, temos esperança na eternidade pela graça. Temos uma família pela graça de Deus que é marcante em nossa vida. Ainda respiramos, andamos, comemos pela graça de Deus.
Somos do Evangelho pela graça, somos servos mesmo pecadores, tudo pela graça de Deus em nossa vida!
____________
[1] HOUSTON, James. O discípulo. Brasília: Palavra, 2009, p. 144.
[2]CALVINO, João. Comentário de I Corintios. São Paulo: Fiel, 1996, p. 452.

Comentários

Postagens mais visitadas