Ficha limpa


“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. (João 8:32)

Vivemos num mundo cheio de discrepâncias, de choques, de injustiças. Num mundo onde nos parece que a vida não está sob hipótese alguma, organizada de modo a parecer-se com aquilo que é reto e justo.
A situação ao nosso redor, no dia a dia, nas notícias do jornal e da TV, nas revistas, expõe sistematicamente a corrupção, a maldade, a mentira.
Ficamos chocados quando percebemos que os injustos e os maus prosperam, se dão bem, alcançam o êxito e a notoriedade.
No momento político que vivemos, alternamos sentimentos de esperança e desanimo, pois fato é que não temos motivos para termos um sentimento só ante o quadro que se apresenta.
Sem querer arbitrar juízo de valores a tudo o que assistimos, parece-nos que pelo menos uma pequena parte da sociedade tem tentado reagir a essa ordem estabelecida. Foi assim que aconteceu o chamado “Projeto Ficha Limpa”, por iniciativa da sociedade civil, que reuniu mais de 1,3 milhões de assinaturas para o projeto de lei enviado e aprovado pelo Congresso Nacional, por pura pressão social.
Alguns candidatos tem tido sua pretensões interrompidas por essa Lei, embora possam estar sempre recorrendo ante a dubiedade de interpretações dos magistrados que nos prestariam um enorme serviço se pudessem se antecipar em suas análises e sugestões, evitando essa morosidade jurídica e a aparente ineficácia de iniciativas como esta.
Na verdade, sentimentos estranhos podem nos vir à mente e ao coração. Reações que são descritas pela indignação ou pela inveja, levando-nos a cobiçar aquelas coisas que os maus estão conseguindo (uma tentação freqüente).
Talvez nos provoque irritabilidade, ira, fúria, impaciência – até quando teremos que ver isso acontecer? Até quando vamos assistir isso tudo? Será que não podemos intervir?
Dito isso, gostaria de fazer três observações:
 
I – NÃO RACIONALIZE APENAS

O fato de apenas racionalizar uma atitude não a torna correta. A relativização das nossas escolhas não as torna positivas.
É comum identificarmos pessoas que querem fazer alguma coisa que sabem ser errado, inventando muitas razões e justificativas para suas atitudes. Normalmente são justificativas apenas convenientes para o momento, e nada tem a ver com conceitos, principio e valores.
 
II – VIVA A VERDADE COM ESPERANÇA

Há pessoas que se distanciam da verdade sem se dar conta de que quando tentam ser aquilo que realmente não são, jamais chegarão perto daquela pessoa real, preciosa e valiosa que realmente é.
Às vezes as circunstancias imediatas não são as melhores. Não fique presa a elas. Olhe para frente com esperança. Isso será transformador.
Um dos grandes motivos para se praticar a verdade é que não precisamos nos lembrar de nossas mentiras. Creia: agir com a verdade será sempre libertador e o resultado, ao final, será bom.
Podemos não realizar um negócio que almejamos, ou perder uma conta valiosa, ou até mesmo nosso emprego, mas teremos mantido nossa integridade; e isto deve ser nosso propósito mais elevado.
“Toda vez que você quebra um princípio moral, cria uma pequena rachadura na fundação de sua integridade. E quando as coisas se complicam, fica mais difícil agir com integridade. O caráter não se forja numa crise, ele somente vem à luz” Philips Brooks (pastor episcopal do sec XIX).
Não negocie nem banalize seus princípios e valores.
 
III – A JUSTIÇA É INEVITÁVEL

Embora tenhamos que admitir que algumas vezes parece que pessoas imorais ou sem ética escapam imunes, isso não nos habilita a fazermos as mesmas escolhas.
Parece que alguns fazem o que querem para alcançar seus objetivos, e ninguém parece notar, ou se importar com isso. É pensando assim que muitos se deixam seduzir pelas facilidades, e a tentação e as pressões por fazer o mesmo pode ser muito forte.
Nessas horas é preciso lembrar o valor de uma consciência limpa, o respeito e amor próprios, e a boa reputação.
Diz-se que reputação é construída ao longo de toda uma vida, mas pode ser destruída num único momento.
Salomão escreveu: “Há caminhos que parecem certo, mas acabam levando para a morte” (Pv 14:12) “Esteja certo disto: o mau não ficará impune, mas os justos sairão livres” (Pv 11:21)
Não se iluda: cedo ou tarde, as conseqüências de suas atitudes e escolhas estarão diante de você e terão de ser enfrentadas. Por isso, ame a verdade; busque a verdade; viva a verdade.
Aliás, Jesus nos disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida...”(Jo 14:6) e “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”(Jo 8:32).Creio que a única maneira de vencer a maldade desse mundo é olhar em outra direção: olhe para cima!
Muitas vezes não saímos da mesmice, da obsessão e da angústia, porque insistimos em olhar na direção delas.
Nosso convite a você é para que entregue seu caminho ao Senhor, confia nEle seu dia a dia, sua profissão, seu nome, suas virtudes, sua reputação, o que as pessoas pensam ou não de você, o que dizem a seu respeito.
É um modo de vida. É o exercício da confiança. Descansar na vontade de Deus, no amor de Deus, na misericórdia de Deus, na qualidade de seu relacionamento com Ele.
Ficha limpa, princípios de vida, valores para a eternidade.
Que Deus o abençoe rica e abundantemente,
 
____________
Rev. Hilder C Stutz
“Há dois tipos de liberdade – o falso, no qual o homem é livre para fazer o que bem entende; e o verdadeiro, no qual o homem é livre para fazer o que deve”. Charles Kingsley (escritor inglês do sec XIX).
Estas justificativas podem dizer respeito aos nossos negócios, nosso tempo, nosso trabalho, ou nossos relacionamentos. No fundo, não importa o quanto neguemos ou nos justifiquemos, sabemos que nossas ações são erradas.

Comentários

Anônimo disse…
Gente falando em ficha limpa, vale a pena dar uma conferida no blog de um dos candidatos que participou do projeto de lei da ficha limpa, participou de várias CPIs e foi promotor de justiça. O nome dele é Carlos Sampaio e é candidato à Deputado Federal pelo PSDB.

Blog do Carlos Sampaio: http://www.depsampaio.blogspot.com/

Um abraço amigos.

Postagens mais visitadas