Oração para viver


-Texto para reflexão Chegai-vos a Deus e ele se chegará a vós outros (Tg. 4. 8).

Hoje vivemos uma realidade diária de muita correria. Saímos para trabalhar, estudamos e voltamos para dormir. Daí, a nossa vida espiritual é pouco cultivada, lemos poucos versos da Palavra de Deus e quando vamos orar, acabamos dormindo sobre a Bíblia.
Não sabemos orar, por isso, que temos deficiência para cultivar amizades. Somos pessoas solitárias. Muitas vezes usamos Deus nas nossas orações para satisfazer a nossa solidão.
Temos crescido num mundo sem intimidade. Pois bem, precisamos saber que uma pessoa que não ora, nunca vai experimentar intimidade com Deus e com o seu povo. Hoje, no meio do povo de Deus, temos modelos errados de oração. Para nós os que se delongam na oração pública são pessoas que muito oram.
A oração é acima de tudo uma relação a dois. A oração está intimamente ligada às formas como nos comportamos. Se nós desenvolvemos uma relação de amizade e convívio com o Pai, saberemos com toda a certeza orar e sempre colocar a nossa vida diante da vontade dele.
O objetivo da oração não somos nós, nem nossos projetos, nem nossos afazeres, nem os nossos sonhos. O objetivo da oração é o Senhor Deus, é a nossa comunhão com ele. Na Palavra é assim, primeiro Deus fala, depois o homem responde. Com Paulo foi assim, com Isaías, Samuel, Maria, o cego Bartimeu e etc. Quem insiste em não orar não é moldado nunca. O escritor C. S. Lewis em seu Livro O problema do sofrimento disse algo profundo: Eu oro não porque Deus muda, mas porque eu mudo na minha vida.
Temos dificuldades de orar porque a oração é muito simples. A oração é uma expressão muito simples na nossa vida. Em Romanos 8.32 vemos a experiência da oração. Neste texto, Paulo nos ensina que pela mediação do Filho, é que recebemos a graça de Deus Pai. “Deus não é um pai mesquinho que quer que soframos para chegar lá através da oração”. Precisamos aprender a dizer: Senhor, eu não sei qual é a minha necessidade, eu não sei orar (O Livro de Tiago no cap. 4 nos molda nisto).
Ricardo Barbosa diz algo precioso: “Nós oramos, não para o nosso próprio prazer, mas para glorificar a Deus. Se ao final do culto as pessoas não saírem preocupadas em orar, alguma coisa estará errada”.
Que o Senhor derrame da sua bondosa graça sobre nós para que aprendamos as questões relevantes acerca da oração!

_____________
Alcindo Almeida

Comentários

Luciana disse…
Verdade , nossa correria tem tampado nossos ouvidos para ouvir a Deus !

Postagens mais visitadas