Um problema sério na criação - Gênesis 3.1-3


O texto diz: A serpente era inteligente, mais inteligente que qualquer outro animal selvagem que o Eterno havia criado. Ela disse à mulher: Será que entendi direito? Deus disse a vocês que não comessem de árvore alguma do jardim? A mulher respondeu: Claro que não! Temos permissão para comer das árvores do jardim. Só com relação à árvore que está no meio do jardim foi que Deus disse: Não comam daquela árvore, nem mesmo toquem nela, senão vocês vão morrer.
A desobediência e o pecado obscureceram o quadro da criação. Embora Adão e Eva fossem moralmente honestos, receberam o poder da escolha; e estavam sujeitos ao poder do tentador a qualquer momento. Por isso, o teste foi inevitável na vida e coração deles. O jardim foi uma criação cheia de provisões abundantes para os dois e o ambiente do homem e da mulher não tinha nada que deixasse a desejar. Uma proibição, contudo, fora feita ao homem e à mulher. Todas as árvores, arbustos e guloseimas seriam deles, com exceção do fruto da "árvore do conhecimento do bem e do mal". Esta proibição parece que formou a atmosfera na qual as mentes humanas acolheram o apelo do tentador.
A narrativa em Gênesis apresenta o sedutor como um dos animais, que era muito mais sagaz do que os outros. A palavra hebraica dá a ideia de astúcia excepcional. Ela tinha o poder de falar e falava livremente com sua vítima. Essa serpente era ardilosa e maliciosa, ela era a representação clara de Satanás para este teste terrível na vida dos nossos primeiros pais.
Agora vejam que o método de engano que a serpente usou com Eva foi o de distorcer o significado da proibição de Deus e então ridicularizá-la em sua nova forma. O tentador fingiu surpresa diante de tal ordem vinda de Deus. Então procurou abalar a fé da mulher semeando na mente dúvidas, suspeitas e falsos quadros do Todo-poderoso e seus motivos. Foi uma tentativa deliberada de desacreditar a Deus. Quando a fé falha, o firme fundamento da conduta moral entra em colapso. Só falta um pequenino passo da incredulidade para o pecado e a desgraça.

Interessante perceber no texto que a mulher nem percebe que conversar com o tentador sempre é perigoso. Que tamanha incoerência da mulher, ela revela um desejo de entrar num acordo com o tentador, de caminhar com ele para ter a possibilidade de obter algo sobre o misterioso. Ela não tinha a vantagem das palavras usadas por Jesus em Mt. 4.10 e a advertência de Tg. 4.7. Ela era inocente, ingênua e confiante. Esse é o nosso grande problema diante do pecado. Damos vazão, somos ingênuos e achamos que podemos enfrentá-lo. Gênesis 3 traz um problema sério porque seres humanos dão vazão para aquilo que afetará para sempre a criação. Ele que é o pecado desfigurará a imagem humana, tornando-a escrava de si mesma. A experiência que Eva teve com o tentador mostra para nós hoje que não temos habilidade e força para enfrentar tentações, delas nós apenas fugimos e resistimos! (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas