A pedagogia divina


Algo que não gostamos de tratar na vida é a tribulação. Mas, percebam o que Paulo diz em Romanos 5:3 a 5: E não somente isto, mas também nos gloriamos em nossas tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança, e a perseverança, um caráter provado, e o caráter provado a esperança; ora, a esperança não confunde. A graça divina em nós nos ajuda a ter esperança no meio do sofrimento e dor. No mesmo tempo que, a graça vem sobre nós, vêm também as tribulações dessa vida, porque ainda não saímos da corrupção desse corpo, então é evidente que temos todos os processos de desfiguração por causa do pecado. Enquanto estivermos aqui, teremos dores, angústias e os problemas da nossa natureza humana caída e limitada no seu ser. 
As tribulações são um aspecto importante da vida do cristão. A palavra tribulação significa: evento ou situação aborrecida, desagradável; aflição, tormento, adversidade: passou por numerosas tribulações. Sensação de tristeza, de aborrecimento, ocasionada por um dissabor ou por um desgosto; dor, infelicidade, amargura.Ela é a pressão relacionada com o mundo e com nossa fraqueza. Mas, ao enfrentarmos essas pressões, nós temos acesso a purificação, crescimento na fé cristã e maturidade que é a produção da perseverança citada por Paulo. No caso específico dos romanos, a tribulação seria o sofrimento por causa da fé em Cristo. A insistência em passar com a alegria divina, por meio dos obstáculos na época da dureza do Império Romano, traria um caráter provado, testado na presença de Deus. 
Hoje a tribulação tem pedagogia divina para o nosso coração, não importa quão difícil ou fácil, o nosso caráter é provado, a nossa fé é dimensionada na caminhada com Deus. O gerar esperança é algo que acontece em mais profundidade, quando sofremos, quando o sufoco bate a nossa porta. Como diz Hernandes Dias Lopes: “As grandes lições da vida nós as aprendemos no vale da dor. O sofrimento não é apenas o caminho da glória, mas também da maturidade". 
Aprendemos no meio da tribulação a ter experiência de fé, de confiança e dependência total do caráter do Eterno Deus. A nossa fraqueza dá lugar à manifestação do poder de Deus (II Co 12.9,10). A nossa fé se torna constante e mais ativa na hora da tribulação. Quando ela vier na nossa vida, não reclamemos, mas aprendamos com a graça do cuidado e providência divina! (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas