Encontros marcantes

Hoje pela manhã compartilhei na devoção com a Isabella, o texto de Gênesis 46:29,30: Então José aprontou o seu carro, e subiu ao encontro de Israel, seu pai, a Gósen. E, apresentando-se-lhe, lançou-se ao seu pescoço, e chorou sobre o seu pescoço longo tempo. E Israel disse a José: Morra eu agora, pois já tenho visto o teu rosto, que ainda vives. Imagino essa cena memorável, José viu seu pai pela última vez quando tinha 17 anos, ela era um menino. E agora, ele vê o seu pai novamente depois de mais de 15 anos. Seu pai olha para aquele que achava estar morto e renasce sua esperança. Ele achava que o menino amado, filho da sua amada Raquel, estava morto. Ele não morreu e Deus proporcionou esse encontro do patriarca com seu jovem filho. 
Que encontro divino! Um encontro do filho que amava seu pai e aprendeu a viver com a fé no Deus de Abraão e Isaque, com o velho patriarca que sempre andou com Deus. Lembrei do encontro de Saroo com sua mãe depois de 25 anos perdido, no filme Lion - Uma jornada para casa. O abraço foi de amor, saudade, e muita alegria! Assim foi com José e Jacó, um abraço longo com choro de longo tempo também. Esse choro longo é para expressar o quanto filho e pai se amavam, se consideravam e sentiam a falta, um do outro. Jacó se sente tão feliz que diz: Morra eu agora, pois já tenho visto o teu rosto, que ainda vives. 
Como Deus é bom na nossa vida, prepara encontros marcantes com aqueles que amamos. Ele faz a esperança renascer no coração da gente. Quando não imaginamos, ele providencia alegrias profundas em nosso coração. Quando estiver tudo estranho e quando parecer que o milagre não acontecerá mais, confie no caráter de Deus, ele ainda realiza milagres e prepara encontros divinos no coração! Jacó ainda viu José, viu os seus netos e foi sustentado no Egito pelo filho que ele achava que já estava morto. E teve a honra de abençoar todos os seus filhos! Louvado seja o Deus dos encontros divinos! (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas