Momentos marcantes com Deus

  • fevereiro 15, 2018
  • By Alcindo Almeida
  • 0 Comments

Eu gosto muito de um escritor chamado François de Salignac de La Mothe-Fénelon. Ele nasceu em 1651, no castelo de Fénelon, na França, era descendente da alta nobreza. Entrou no seminário em 1672 e em 1695 foi eleito bispo. Escritor e orador francês. Ele disse algo precioso demais: 
Muitas vezes a tristeza vem de que, procurando a Deus, nós não temos o sentimento da sua presença. Querer sentir não é querer possuir: é uma espécie de amor próprio; queremos ter certeza de possuir, para só então sentir a consolação. A nossa natureza comum se impacienta de viver apenas da fé. Ela quer sair dessa situação, porque na verdadeira fé, parecem faltar os apoios; a alma fica como que no ar; ela gostaria de “sentir” que está progredindo*. Gostaríamos, por amor próprio, de ter o prazer de nos vermos perfeitos; resmungamos porque isso ainda não é visível; ficamos impacientes, altivos, de mau humor contra os outros e contra nós mesmos. Marta, Marta, você se preocupa com muitas coisas, diz o Cristo, que acrescenta: Só uma coisa é necessária; e essa coisa é amá-lo e saber viver tranquilamente a seus pés. 
Que aprendamos com Fénelon a ter momentos mais marcantes com Deus. Momentos de comunhão e crescimento na nossa espiritualidade, na fé e na dependência divina! (Alcindo Almeida).

Você também pode gostar

0 comentários