Meditando sobre a Páscoa 7

Pela cruz fomos reconciliados

Em Isaías 53.6-7, o profeta diz que todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós. Isaías diz também que ele foi oprimido e afligido, contudo não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado para o matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores fica calada, ele não abriu a sua boca. A grande verdade é que nós caímos e nos distanciamos do Eterno Deus em Adão. Para haver reconciliação entre o Criador e nós, era necessário um mediador. E Jesus vem para sofrer e morrer em nosso lugar para resgatar a importância da nossa história. Ele nos olha como personagens do teatro divino que precisam de redenção. Por isso, vai até a cruz e mostra o amor do Pai oprimido e afligido, ele por amor vai à cruz e como um cordeiro que é levado para o matadouro não abriu a sua boca. Ele sofreu todas as dores e aflições por amor, para nos trazer vida e vida com significado. Todos nós estávamos mortos nos pecados, mas pela cruz do Cordeiro divino fomos amados, fomos perdoados e restaurados na comunhão com o Pai. Uma música que tem tudo a ver com essa realidade é Quebrantado (Vineyard Music Brasil):  "Eu olho para cruz e para cruz eu vou, do seu sofrer participar, da sua obra vou cantar. Meu Salvador na Cruz mostrou o amor do Pai, o justo Deus. Pela cruz me chamou, gentilmente me atraiu e eu sem palavras me aproximo quebrantado por seu amor. Imerecida vida de graça recebi e por sua cruz da morte me livrou. Trouxe-me a vida, eu estava condenado, mas agora pela cruz eu fui reconciliado. Impressionante é o seu amor, me redimiu e me mostrou o quanto é fiel" (Alcindo de Almeida – membro da equipe da IPAlpha).

Comentários

Postagens mais visitadas