Meditando sobre a Páscoa 4: O servo sofredor


Lendo o texto de Isaías 53 imagino a sensibilidade dada por Deus ao profeta Isaías. Ele fala do servo sofredor aquele que olhávamos e não tinha beleza e nem esplendor que pudesse atrair o nosso olhar, nem formosura capaz de nos deleitar. Ele era desprezado e abandonado pelos homens, um homem sujeito à dor, familiarizado com a enfermidade, como uma pessoa de quem todos escondem o rosto; desprezado, não fazíamos caso nenhum dele. Isaías diz que esse servo sofredor levou sobre si mesmo nossas enfermidades e ele carregou as nossas dores. Esse é Jesus de Nazaré que foi humilhado, foi desprezado, foi abandonado e escarnecido porque levou sobre si mesmo todos os nossos pecados, toda nossa deformidade de alma e caráter. Esse é o servo sofredor que assume nosso lugar para trazer redenção e graça para o nosso coração. O servo sofredor deu a sua vida por nós na cruz do Calvário e isso lembra a gente da canção: Sim Cristo entregou sua vida de forma espontânea ele a deu. Ninguém poderia obriga-lo, foi seu próprio amor que o moveu, por isso reina acima dos céus e tem um nome capaz de nos salvar. É Jesus, só Jesus, só Jesus. Bendito seja o servo sofredor!


Comentários

Postagens mais visitadas