O reino da justiça

A crescente intimidade que Jesus tinha com o Pai e a percepção que também tinha da santidade do Pai enchiam-no de uma sede pelo Pai que o consumia. Sua vida interior de confiança e de rendição amorosa não era simplesmente uma questão de oração individual, de experiência religiosa em particular, deleitando-se na presença íntima de Deus enquanto se esquecia do mundo real em sua luta pela redenção, pela justiça e pela paz. A vida interior de Jesus Cristo ganhava expressão em sua própria presença no mundo, de forma qualitativa, vital e especial, nas mais ativas situações. Havia dentro dele um desejo acima de todos os demais de revelar seu Pai enquanto servia aos pobres, aos cativos, aos cegos e a todos os necessitados. Jesus era inteiramente consumido por sua missão. Foi a experiência da santidade do Pai que criou o imperativo de pregar o reino da justiça de Deus, da paz e do amor perdoador de Deus (Brennan Manning).

Comentários

Postagens mais visitadas