A vida de José e o tecelão divino

Muitas coisas acontecem na vida de José a partir do momento em que foi levado ao Egito. Neste período José provou ter um caráter forte em circunstâncias adversas. Ele teria tudo para azedar sua alma e se tornar uma pessoa amarga, vingativa e odiosa. Só que ele se agarrou no pilar da promessa divina de cuidado e amparo. 
A presença constante do mal na vida de José não o contaminou, não o destruiu. Ele chorou lágrimas de sangue por causa de toda maldade feitas pelos irmãos, pela mulher de Potifar e pelo esquecimento de um dos funcionários de Faraó. Seu coração foi esfregado contra a parede diante da deslealdade e da injustiça. Mas, o fato é que Deus o redimiu dessas dores, Deus o guardou do ódio, da vingança e da amargura porque estava trabalhando nele, moldando sua alma e coração para ele lembrar lá na frente que sua túnica rasgada pelos seus irmãos se tornaria numa túnica real, que o poço onde ele foi jogado por acusações falsas se transformaria num palácio. 
Todos os acontecimentos que tinham a intenção de destruir José acabaram fortalecendo ainda mais sua dependência no Eterno Deus. Esse é o convite do Eterno para nós hoje, que aprendamos a olhar para as perdas e sofrimentos como um moldar divino em nosso coração. O tecelão divino está traçando o projeto da nossa vida e por ele passam: dores, sofrimentos e problemas complicados. Descansemos o coração no tecelão divino! (Pr. Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas