Leituras no mês de abril de 2011

Charles R. Swindoll. Paulo - Heróis da fé. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2010. Um homem de coragem e graça. O assassino de cristãos torna-se mártir do evangelho. Terrorista convertido, autor inspirado, professor excepcional e conselheiro paciente. Esse incomparável personagem apareceu, audacioso, no palco do mundo do primeiro século marcando presença de forma indelével e grandiosa que jamais seria esquecida. Sua vida? Magnífica! Seu ministério? Impressionante. Embora considerado santo por alguns hoje, ele era "o maior de todos os pecadores", segundo sua própria definição. Ninguém mais na Bíblia, além de Cristo, exerceu maior influência no mundo de então, bem como em nosso mundo atual, do que Paulo. Era um homem de imensa coragem, resoluto e intrépido diante das dificuldades e dos perigos. Firme, persistente e incansável, Paulo desempenhou sua missão divina com decisão inabalável, e Deus usou poderosamente sua vida numa verdadeira revolução do mundo para Cristo em sua geração. Paulo: um homem de coragem e graça é o sexto volume da série "Heróis da Fé. Contém 416 páginas.
 
ZACHARIAS, Ravi. A morte da razão: uma resposta aos neoateus. São Paulo: Editora Vida, 2011. Na obra, Zacharias destaca a confiança na Bíblia aliada à fé no poder e na bondade de Deus. O autor refuta com determinação argumentos de que Deus nada mais é do que produto da imaginação e que os cristãos normalmente praticam intolerância e ódio no mundo todo. Contém 112 páginas.
 
MANNING, Brennan. Um vislumbre de Jesus. Brasília: Palavra, 2009. Quando a sombra da cruz de Cristo recai sobre as pessoas na forma de fracassos, pesares, rejeição, abandono, desemprego, solidão, depressão, a perda de um querido; quando ficamos surdos a tudo o mais, exceto ao bramido estridente da nossa própria dor; quando o mundo ao redor repentinamente se apresenta como um lugar ameaçador e hostil, bem podemos bradar de angústia: “Como um Deus de amor permite que isso aconteça?”. E assim é lançada a semente da desconfiança, obrigando-nos a uma situação de escolha: nos afastaremos de Deus, ou nos voltaremos em direção a ele mesmo quando a escuridão o esconde de nossa visão? Escolher a luz de Deus na noite escura do desespero é um ato heróico de coragem. Contém 201 páginas.
 
MCGRATH, Alister. Teologia para amadores. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2009. A extensão e a profundidade da teologia podem assustar aqueles que não são do “ramo”, aqueles que não se dedicam a embrenhar-se no vasto campo teológico. Por isso, Alister McGrath , que é do “ramo” e considerado um dos maiores teólogos da atualidade, decidiu aventurar-se numa tarefa ainda mais difícil: falar com simplicidade do saber teológico. Em Teologia para amadores, McGrath mostra por que é um dos teólogos mais lidos do planeta. Por saber tratar as coisas de Deus com naturalidade singular, nosso professor de Oxford cativa o leitor menos habituado às infindáveis questões teológicas por sua paixão e seu deslumbramento com o Criador, e seu exemplar didatismo. Antes ateu, Alister apresenta a teologia partindo do princípio de que você a desconhece. Contém 61 páginas.

PETERSON, Eugene. Memórias de um pastor. São Paulo: Mundo Cristão, 2011. Para muitos um subversivo, cresceu vendo pastores profissionais, religiosos preocupados com planos de marketing e estratégias de crescimento. Como vários de nós, ele gostava da igreja, dos louvores e de quase todas as pessoas, mas detestava os pastores, tão distantes e orgulhosos. Ele sempre teve horror ao pensamento de se tornar um burocrata religioso. Agora ele conta com detalhes inéditos como aceitou o chamado divino, encontrou seu lugar sagrado de adoração e se tornou um "pastor de almas". Você já leu e aprendeu muito com o pastor dos pastores. Agora você vai poder conhecer melhor sua vida dedicada à obra e sua história de fé e reencontro com o chamado. Ótimo livro! Contém 352 páginas.
 
KELLER, Timothy. O Deus Pródigo. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2010. Neste livro Keller mostra a essência do Evangelho de Cristo na famosa parábola do "pai com seus dois filhos" mostrando que, em suma, existem dois tipos de pessoas no mundo: os irreligiosos não-salvos e os religiosos não-salvos. Ambos precisam da graça de Cristo para terem um relacionamento de verdade com o Pai Amoroso. Uma obra para refletir não somente sobre a parábola, mas sobre como resgatar a essência da fé Cristã nos dias de hoje. Contém 176 páginas.

KELLER, Timothy. Deuses falsos. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2010. Sucesso. Dinheiro. Sexo. Muitos diriam que essas sãs as chaves da felicidade e nelas colocam toda a sua fé. Porém, a recente crise econômica fez cair por terra a ilusão criada por esses ideias: fortunas, casamentos e carreiras desapareceram para milhões de pessoas. Aqueles que adoraram esses falsos deuses enfrentam agora a solidão e a amargura, resquícios de suas ilusões desmascaradas. Seria essa então a felicidade? Em Deuses falsos Timothy Keller revela porque depositamos nossa fé em falsas crenças que, mais tarde, se transformam em pequenos deuses a nos controlar, incapazes de nos dar aquilo de que realmente precisamos. Com esta obra, Keller se consolida como um pensador crítico em uma época crucial tanto para o cristão quanto para o cético; uma época em que nossa fé e nossos princípios precisam definitivamente trilhar o mesmo caminho. Contém 176 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas