Vençamos os medos na vida

- Texto para reflexão: No amor não existe medo; antes, o verdadeiro amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor (I João 4.16-18).

Há três medos dos quais sofremos hoje:
1. O medo da morte.
2. O medo de nós mesmos.
3. O medo de não sermos reconhecidos pelos outros.
Por causa destes medos vivemos com muitas máscaras. E o fato é que vivemos na tentativa de escapar desses três medos, porque parece que eles ameaçam a nossa própria vida. É compreensível que tenhamos medo da morte, porque queremos continuar a vida. Na verdade, somos um pouco egoístas porque não conhecemos a realidade do céu, por isso, achamos ser boa a terra e queremos permanecer sempre por aqui.
Isto não é um problema porque quero crer que este instinto de continuar vivendo vem de Deus, mas, a nossa pátria é outra. A Escritura nos afirma que “a morte é o último inimigo” a ser vencido. E como ela tem o sentido de separação de nós mesmos é o pior inimigo que podemos enfrentar mesmo. E conseqüentemente temos medo.
A morte (física) será vencida, ou está no processo de derrota total porque um dia, o nosso mestre divino virá para nos resgatar das garras do pecado e nunca mais morreremos fisicamente. Nunca mais teremos medo da morte.
Por que temos medo de nós mesmos? Porque não queremos encontrar e estar de frente com a nossa própria realidade. Nós queremos estar no controle. Então, se vemos aquilo que há de pior em nós não temos condições de lhe dar com isso. Dentro de nós há o senso iminente de outra morte que é a morte do próprio espírito e da própria vontade.
Este processo dentro de nós gera um profundo medo. E também a confrontação que os outros poderão fazer de nós. Isto também pode ser uma ameaça terrível, especialmente quando sentirmos que o resultado nos fará sentir mais inseguros. Talvez seja por isso, que muitos de nós, têm medo de contar a própria história. Aqui entra o terceiro medo: o medo de não sermos reconhecidos pelos outros.
Temos medo que as nossas histórias sejam reveladoras demais, especialmente quando vivemos e convivemos numa sociedade que fala demais e fofoca demais. E infelizmente este processo da fofoca é forte nas nossas comunidades também.
Algo que precisamos lembrar neste item é que o Senhor tem reverência pela nossa história pelo fato de que um dia ele morreu e ressuscitou. E que a bondade dele é o espaço para o relacionamento com ele, onde podemos dizer que somos e todos os nossos dilemas sem medo algum. Ele aceita para conversas no divã divino, mentirosos, pecadores, fracos, deprimidos e gente angustiada de alma.
Na presença de Deus como diz James Houston: “é a nossa vida cristã, a sua e a minha - é simplesmente Deus especificamente olhando para o nosso ser único. Ele está olhando para a nossa experiência, para a nossa vida e caráter”.
O texto da reflexão fala de um texto forte demais: O verdadeiro amor lança fora o medo.
O verdadeiro amor é o amor divino, este que cuida, que zela, que aceita, que anda ao lado, este amor que abraça e que se entrega.
Com este amor podemos vencer todos os medos que nos assustam e nos abatem na vida. Este amor nos sustenta na hora do medo da morte. Este amor nos traz segurança quando temos medo de nós mesmos. E este amor nos protege do medo de não sermos reconhecidos pelos outros. Porque há uma voz que diz todos os dias: Este é o meu filho em quem me alegro.
_________________
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas