CORRENDO COM PACIÊNCIA

- Texto pra reflexão: Portanto...corramos com paciência a carreira que nos está proposta (Hb 12:1).
A vida moderna tem-se traduzido em uma corrida de um nível frenético. A velocidade das informações, o volume das pressões, a complexidade e diversidade das situações se multiplicam, e, muitas vezes, ficamos a pensar como o sábio Salomão, que ao estudar tudo o que se faz neste mundo afirma: “Que serviço cansativo é este que Deus nos deu! Eu tenho visto tudo o que se faz neste mundo e digo: tudo é ilusão. É tudo como correr atrás do vento”.
Se as observações do sábio Salomão fazem sentido, literalmente podemos afirmar como o escritor aos Hebreus que, realmente, é preciso “correr com paciência”.
Acontece que correr com paciência é algo muito difícil. Se por um lado o registro da verdade bíblica sugere algo tão real e presente em nossos dias (correr), fazê-lo sugere imediatamente e exatamente a ausência de paciência.
“Correr” sugere o desejo de alcançar rapidamente o alvo. Tem muito a ver com esses nossos dias de fast food, entregas Express, etc.
Pensamos em paciência como algo associado a descanso, em algo como o estar deitado.
Não é a essa paciência que estamos nos referindo.
Refiro-me a uma paciência que eu creio ser bem mais difícil – a paciência capaz de correr. Deitar-se e recolher-se no tempo da dor, ou manter a quietude no momento do golpe difícil exige grande força. Não é fácil manter a quietude, alimentar a esperança, buscar forças para continuar.
Mas creio que os desafios de nossos dias tem exigido uma força ainda maior. Estou falando daquele poder para trabalhar debaixo de um golpe duro. Ter um grande peso no coração e ainda ter que correr. Estar possuído de uma grande e profunda angústia no espírito, e mesmo assim ter que executar nossas tarefas diárias.
A maioria de nós é chamada diariamente a exercitar o “correr com paciência” não na cama, mas na rua, em nossos escritórios, em nossos negócios, no nosso dia a dia, em meio a todas as pressões.
Esses são desafios que muitas vezes nos empurram para a ansiedade. Essa atitude nos ataca quando um prazo final se aproxima; quando o ambiente em casa está ruim, ou um membro de nossa família passa por uma crise. Quando os recursos financeiros são escassos e instáveis.
E muitas vezes não conseguimos sequer informar quando essa ansiedade começou a se instalar dentro de nós. O processo caminhou lentamente, mas, dia a dia foi se instalando, crescendo, transformando-se em temores, em preocupações, em angustias, fazendo assim, crescer a ansiedade.
São aqueles dias difíceis, marcado por desgostos, frustrações, ou injustiças.
Mas, como lidar com essa ansiedade, em meio ao desafio de continuar a “correr com paciência”?
O Salmista (94:19) testemunha de sua experiência: “Quando a ansiedade já me dominava no íntimo, o consolo de Deus trouxe alívio à minha alma”.
Ou seja, quando a pressão tornou-se algo insuportável, Deus o visitou e o libertou (aliviou).
Quando você enfrentar uma impossibilidade, entregue-a nas mãos do Especialista – Deus.
Recuse-se a calcular, racionalizar, duvidar, resolvê-la sozinho. Resista a tendência humana exercitada ao longo da sua vida de uma independência e auto confiança geradora de soberba e presunção.
Não queira continuar agarrado ao seu problema.
Conclusão:
Perceba que o que aconteceu com o salmista pode acontecer comigo e com você também.
O que aconteceu não foi causado por uma mudança externa, mas uma mudança interna. Não foi o mundo ou as circunstancias externas que mudaram. Foi uma mudança interior.
As mudanças que vão fazer diferença em nossas vidas não são exteriores, mas interiores. Deseje isso! Busque isso! Isso vai mudar sua perspectiva de vida.
Diante de tantos desafios do dia a dia, onde é preciso continuar a “correr com paciência” o caminho que nos está proposto, estabeleça em sua rotina matinal um tempo para ouvir a voz de Deus e dar-lhe a oportunidade de ouvir a sua voz.
T.S.Eliot escreveu: “No meu fim está o meu começo” (The Complete Poems and Plays, pág 129). Ou seja, começamos pelo fim. Os fins tem precedência sobre os começos.
Iniciamos uma viagem decidindo, em primeiro lugar, o destino. Se não sabemos para onde estamos indo, qualquer caminho serve. Mas, se temos um destino (uma vida dedicada a Deus e a caminhar com Ele), o caminho está definido: Jesus Cristo.
E Ele mesmo nos prometeu: “Eu vim para que tenham vida, e vida em abundância” (João 10:10), e ainda: “E Eu estarei com vocês todos os dias...”(Mateus 28:20).
Que Deus o abençoe rica e abundantemente.
Em Cristo,
_____________
Pr. Hilder C Stutz

Comentários

Postagens mais visitadas