Lutemos pelos ideais da vida


- Texto de reflexão: Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma (Eclesiastes 9.10).

Há um filme chamado Homens de honra que conta a história de Carl Brashear. Ele veio de uma humilde família negra, que vivia em uma área rural em Sonora, Kentucky. Ainda garoto, no início dos anos 40, já adorava mergulhar, sendo que quando jovem se alistou na Marinha esperando se tornar um mergulhador.
Sair de uma cidade rural, ir para a cidade grande,entrar num navio onde sonha ser marinheiro chefe e é apenas o cozinheiro, servindo de chacota a todos os outros, não é fácil para ninguém. Podemos imaginar o que seria um negro, nos EUA na década de 30?
Inicialmente Carl trabalha como cozinheiro que era uma das poucas tarefas permitidas a um negro na época. Quando resolve mergulhar no mar em uma sexta-feira acaba sendo preso, pois, os negros só podiam nadar na terça-feira, mas sua rapidez ao nadar é vista por todos e assim se torna um "nadador de resgate", por iniciativa do capitão Pullman.
Quando Brashear solicita a escola de mergulhadores encontra o comandante Billy Sunday, um instrutor de mergulho áspero e tirânico que tem absoluto poder sobre suas decisões. Pois é,mas lá foi ele,recebeu a primeira promoção, mas ainda não era o que queria. A sorte foi-lhe madrasta. Ele tentou por anos entrar para a escola de mergulhadores,e um dia foi chamado. No portão da escola de treinamento de mergulhadores, com a carta de recomendação nas mãos, foi humilhado mais uma vez, ficando em pé num sol escaldante, o dia todo. Todos os brancos que chegavam entravam direto, mas ele não.
Até que por fim, um treinador o deixou entrar. No dormitório, o treinador para humilhá-lo mais ainda, pediu a todos que cumprimentassem o novo membro, ao que todos disseram que não dormiriam com negros, pegaram suas coisas e saíram. Ficou apenas um, um gaguinho branco que também era muito humilhado na turma, e fez amizade com ele.
O comandante, um velho ranzinza e mandão, avisou ao chefe que não queria negros na sua turma e que o chefe deveria fazer de tudo para que ele desistisse. Mas, qual o que, ele continuava firme, e tinha na mente as palavras de seu pai, que falou quando ele estava partindo: Nunca deixe de tentar.
Ele nunca deixou. Tornou-se mergulhador, perdeu uma perna para salvar a vida de companheiros, mas ainda não era mergulhador chefe. Colocou uma prótese na perna amputada, comparece perante a junta de Washington, para decidirem se ainda podia mergulhar com a prótese.
Fizeram-no colocar um escafandro muito pesado e dar 12 passos com ele. Se conseguisse, estaria reintegrado à marinha dos Estados Unidos. Sangrando e com muitas dores e com a ajuda do ex-chefe que o havia treinado e agora era seu melhor amigo, ele deu os 12 passos. É comovente ver a determinação de uma pessoa quando realmente tem um propósito na vida, dar tudo de si para conseguir.
O resultado desta história linda é que Carl Brashear se tornou o primeiro marinheiro chefe, patente maior na marinha dos Estados Unidos conseguida por um negro. E para isto ele coloca sua honra acima de qualquer coisa, e prova a todos que todos nós somos capazes de fazer algo a mais com honra, determinação e disciplina.
Deus nos chama para sermos pessoas assim, pessoas que lutam pelos seus ideais contando sempre com a graça e bondade dele. Tudo que vier à mão para fazer, devemos fazer conforme as nossas forças. Como?
Com determinação, ânimo e disciplina.
___________
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas