Jesus é o nosso fiador


- Texto para meditar: Pois o amor de Cristo nos constrange, porque julgamos assim: se um morreu por todos, logo todos morreram; e ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Por isso daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne; e, ainda que tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos desse modo. Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação; pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores por Cristo, como se Deus por nós vos exortasse. Rogamo-vos, pois, por Cristo que vos reconcilieis com Deus. Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus (II Cor. 5.14-21).

Temos na Teologia um termo que se chama expiação vicária. O que seria isto? O fiador assume as responsabilidades legais daqueles que são pecadores, daqueles que são transgressores da Lei. Esta expiação é apresentada pela parte ofendida. Aqui Deus é quem apresenta o sacrifício, ou seja, se dá em resgate de pecadores. Expiação traz a idéia de substituição.
A dívida do ofensor é eterna, é impagável por um ser humano próprio para garantir vida eterna, ou então, pecador por pecador. Por isso, só um Deus santo e imaculado é que pode pagar a dívida de outro pecador. Tem que ser alguém sem débito, sem mancha para cumprir a Lei de maneira perfeita.
Com aqueles que Deus é misericordioso, ele aplica a sua justiça vicariamente. Então com aqueles que ele é misericordioso, ele aplica a sua justiça vicariamente, ou seja, por substituição. Deus manda Jesus em nosso lugar para pagar a pena que era contra nós. É aquela cédula de dívida que Paulo observa em Colossenses. 2.14.
O que acontece na expiação vicária?
Deus realiza vicariamente o perdão do seu povo escolhido, só que perdão exige um pagamento, pois, perdão não é sinônimo de anistia. Anistia é esquecer-se da dívida. Não, não!!! Deus é justo e ele tem que punir o pecado mesmo perdoando o pecador. Então o que ele faz? Ele manda o seu próprio Filho para a cruz a fim de satisfazer a sua justiça em punir o pecado do seu povo. Ou seja, na cruz do Calvário Jesus é punido em nosso lugar. Paulo mostra claramente isto no texto que no ajuda a entender esta questão. Em Romanos ele diz: Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores (Romanos 5.8).
Jesus judicialmente é tratado na cruz como culpado. E com a justiça de Cristo, o seu povo se torna judicialmente inocente. Este é o chamado estado forense em teologia. O justo é punido por causa dos injustos. Jesus fazendo-se pecado em nosso lugar paga judicialmente a nossa pena de pecado, jamais a nossa culpa.
Na cruz vicariamente recebemos o perdão da parte de Deus por meio de Jesus Cristo, por isso, fomos reconciliados com ele, fomos tornados favoráveis diante de Deus por meio de Cristo Jesus. Na cruz, como Paulo afirma, Jesus se fez pecado por nós para que fôssemos justificados.
Louvado seja a Trindade por fazer esta obra na cruz do Calvário trazendo libertação, paz e comunhão eterna por causa do nosso fiador divino.
_____________
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas