Matando a natureza adâmica


O pastor e teólogo Eugene Peterson no livro Um ano com Eugene Peterson - Meditações Diárias pela Editora Palavra disse: "Coloco todos os dias o amor em risco. Não há nada em que eu seja pior do que em amar. Saio-me muito melhor na competição que no amor. Sou muito melhor em responder aos meus instintos e ambições de ir na frente e deixar minha marca do que em entender como amar meu semelhante. Estou treinado e preparado em habilidades egoístas, em fazer coisas à minha maneira". 
Essa é uma verdade inquestionável quando falamos de seres humanos filhos de Adão. Somos uma estrutura egoísta e queremos que tudo se dobre diante de nós. Queremos brilhar, queremos reinar, queremos ser os primeiros e passamos por cima dos outros. Queremos competir para ver lá na frente que somos os tais. Meu Deus! Somos assim! Somos miseráveis pecadores filho do Éden! Que estrutura terrível que temos como filhos de Adão. Por isso, penso que a fala de Paulo em Colossenses 3:5 faz todo o sentido: Sendo assim, fazei morrer tudo o que pertence à natureza terrena: imoralidade sexual, impureza, paixão, vontades más e a ganância, que também é idolatria. 
Todos os dias temos que fazer morrer essa natureza adâmica que quer fazer de nós pessoas egoístas, prepotentes e sem afeto. Que Deus tenha compaixão de nós derramando todo dia a graça dele em nós para que vençamos essa natureza pecaminosa em nós e que Cristo seja o centro de tudo, que Cristo brilhe em nossa forma de ser com humildade e graça! (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas