Comunhão preciosa

O Salmo 17.15 afirma: Quanto a mim, contemplarei a tua face na justiça; satisfar-me-ei com da tua semelhança quando acordar. 
Em Genesis 1 encontramos a afirmação de que somos criados à imagem e a semelhança do Eterno Deus. Gosto demais de pensar sobre isso e acredito que tem a ver com um empréstimo divino de atributos para seres pecadores como nós. Recebemos emprestado a bondade, a graça, o amor, a paciência, a paz divina, a misericórdia, a justiça e um pouco da felicidade da Trindade. O Eterno nos concede a graça de desfrutar deste mundo maravilhoso para vivermos e desfrutarmos de toda a bênção que ele tem.
No meio desse privilégio que recebemos, também como seres que refletem, podemos contemplar com retidão a face do Senhor. Podemos desfrutar da comunhão preciosa com a Trindade. Mesmo sendo pecadores, a Trindade derrama sobre nós essa graça de contemplar sua face, de celebrar esse tempo de comunhão com ela. Como diz o hino: “Preciosas são as horas na presença de jesus! Comunhão deliciosa da minha alma com a luz”. 
O fato é que, todas as manhãs desfrutamos do cuidado divino, todos os dias quando nos levantamos, contemplamos a graça especial em nosso coração, porque somos amados, guardados e guiados pelo dono da nossa vida. Então, a nossa palavra só pode ser essa mesmo: Quanto a nós, contemplaremos a tua face na justiça! (Alcindo Almeida).


Você também pode gostar

0 comentários