Ego no altar

Geralmente vivemos com o ego direcionado para fora porque temos que mostrar para os outros o que podemos fazer ou ser. Muitos de nós vivemos com a necessidade de ser super-heróis defendendo a identidade todo tempo. Bem, todas as vezes que quisermos provar algo para alguém seremos escravos do nosso ego. Porque ele quer brilhar sempre. 

Paulo nos dá a dica de sermos lapidados no ego para que ele permaneça no altar divino. Ele diz: Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena (Colossenses 3.5). O impulso que o cristão deve lutar contra todo tempo é a natureza terrena. O texto grego se refere a essa natureza pecaminosa, ou seja, as inclinações pecaminosas que atuam em nosso corpo. 
A nova vida pela fé em Cristo tem como marca o sepultamento, a morte do nosso ego inflamado. Então, morte do ego tem a ver com ele no altar por meio da ação do Espírito Santo dentro de nós. Ele nos ajuda a sacrificar nossa autoimagem que quer brilhar sempre, o nosso orgulho que tenta aparecer. Ele atua em nosso coração para que busquemos a identidade divina e não essa humana, essa que nos influencia para a maldade e o desejo de ser maior que os outros. 
Ego permanecendo no altar divino mata qualquer tentativa de brilho humano, ego no altar divino nos leva para a cruz, nos leva para a humildade diante do Eterno Deus. O ego no altar nos aproxima do padrão da Palavra e não do ser humano. Nos prostremos e coloquemos o nosso ego no altar do Senhor! (Alcindo Almeida).




-->

Você também pode gostar

0 comentários