Um negócio terrível chamado de pecado

Uma questão que atrapalha demais a nossa vida é esse negócio terrível chamado de pecado. Vivemos numa sociedade que espera que sejamos autossuficientes, capazes de viver por nossa conta e resolver nossos próprios problemas em silêncio, porém se isto não for possível, que seja, pelo menos, com estilo. Vivemos sob pressão para garantir energia e talento suficientes para satisfazer nossas necessidades materiais, manter nosso estilo de vida e impressionar os que nos rodeiam. Não fica bem falar sobre dores e feridas internas, ou sobre como pretendemos agir com respeito a elas e, muito menos, mencionar o desespero resultante da vida moderna. Não parece ser bom, no meio da vida comum, abrir o coração dizendo que mentimos, que ofendemos alguém. Que fizemos algo errado em relação à nossa esposa e aos filhos. Salomão diz, em Provérbios 28:13: O que encobre as suas transgressões jamais prosperará, mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia. Salomão nos ensina a virtude de confessar nossas mazelas, nossas fraquezas e pecados. Este versículo reflete a teologia da graça de nos livrarmos da culpa e do peso do pecado. Ele nos ensina a fugir do fingimento e da hipocrisia diante de Deus. Não adianta ocultar de outras pessoas e principalmente de Deus os nossos pecados. Lutemos todos os dias contra esse negócio que atrapalha a nossa comunhão com o Eterno. Porque quando pecamos, quebramos o shalom divino dentro de nós mesmos (Livro de Provérbios - Inteligência para a vida).

Comentários

Postagens mais visitadas