A nossa atitude é o que faz diferença na vida


Rute uma princesa moabita, imbuída de elevados ideais e atitudes diferentes, não estava satisfeita com a idolatria de seu próprio povo e quando chegou a oportunidade, abriu mão do privilégio da realeza em sua terra, aceitando uma vida de pobreza entre um povo que ela admirava. Rute fez amizade com essa família judia e começou a comparar o diferente modo de vida com o seu próprio.
Aprendeu a admirar as leis e costumes judaicos, e a insatisfação que já sentia com a idolatria de seu povo, tornou-se uma objeção positiva. Quando um dos filhos de Noemi a pediu em casamento, ela se sentiu feliz e orgulhosa em aceitar. Não ficou com remorso frente ao que estava renunciando: a vida de luxúria no palácio, o título real, as perspectivas de riqueza e honra no futuro, pois, percebia o valor do povo ao qual agora se unia.
Com a morte de Elimeleque e seus dois filhos, Noemi, pobre e viúva, ficou sem saber o que fazer ou para onde ir. Então disse a Rute e à sua outra nora Orfa: Minhas filhas, devo partir, e decidi voltar a minha cidade natal, Beit Lechem. Lá, as coisas não devem ser muito boas, e não vejo razão porque também vocês deveriam sofrer. Portanto, aceitem meu conselho e voltem à casa de seus pais. Seus maridos estão mortos e, talvez, se permanecerem em sua própria terra, poderão encontrar outros homens com quem se casar. Eu perdi meus filhos para sempre, mas vocês são jovens, poderão encontrar outros maridos.
Orfa se despediu tristemente de sua sogra. Mas, Rute que tinha atitudes profundas e relevantes se apegou a Noemi em prantos e lhe implorou para partir com ela. Com estas tocantes palavras pediu: Eu te suplico, não me peças que te deixe, e que retorne após te seguir, porque aonde quer que fores, eu irei; e onde pousares, pousarei; teu povo é o meu povo e teu Deus é o meu Deus; onde morreres, morrerei, e ali serei enterrada; somente a morte me separará de ti.
Rute sabia muito bem o que estava fazendo. Noemi a havia prevenido das dificuldades com que se defronta um judeu em qualquer tempo, mas Rute estava inabalável em sua determinação de seguir sua sogra e de se apegar a fé de Israel.
Só o futuro provaria que Rute seria justamente recompensada por sua elevada decisão, pois, mesmo em seus momentos de pobreza ela não se arrependeu, por quê? Ela tinha atitudes diferenciadas!
Era tempo de colheita quando Ruth e Noemi chegaram à terra prometida. Estavam exaustas após a longa jornada e Rute conseguiu fazer com que Noemi repousasse, enquanto saiu aos campos de Beit Lechem (em hebraico significa Casa do Pão), para ver o que poderia encontrar para saciar a fome. Entrou em um campo onde havia muitos homens ocupados na colheita de grãos, enquanto alguns os amarravam em fardos e outros os empilhavam em carretas para transportá-los. Com certa hesitação, mas estimulada por sua fome e pelo pensamento de que deveria levar alguma coisa para sua sogra, Rute entrou no campo e se sentou por algum tempo para descansar, enquanto esperava para ver o que a sorte lhe traria. De repente, foi surpreendida ao ouvir uma voz que lhe disse, suave e gentilmente: Que Deus esteja contigo, estrangeira!
Rute retribuiu a gentil saudação. E ficou grata ao ouvir a mesma pessoa bondosa continuar: Entra no campo! Não te acanhes! Recolhe algumas espigas, sacia tua fome! Era o próprio Boaz, juiz de Israel naquele tempo e proprietário daquele campo, que assim se dirigia a Rute. Ela agradeceu e colheu algumas espigas. Mal sabia ela que tudo aquilo era providência do divino respondendo a sua atitude nobre de estas ao lado da sua sogra. Ela ficou ali, colheu o trigo de um canto do campo e se preparou novamente para partir. Ainda não precisas partir - sugeriu Boaz.
Rute estava muito feliz com sua boa jornada. Já havia recolhido mais do que poderia carregar. Vale lembrar que na época segundo a Lei, os pobres poderiam colher tudo o que os segadores deixassem cair. Ela e Noemi estavam agora bem-providas por um bom tempo. Mais uma vez, agradeceu a Boaz e prometeu voltar.
Rute estava muito contente quando voltou e contou para sua sogra o que lhe havia acontecido nos campos de Boaz. Noemi ficou feliz pelo fato de Rute ter sido tão bem-sucedida e por ter encontrado favor aos olhos de Boaz, o nobre proprietário das terras. E quando Rute estava na presença de Boaz de novo (aos seus pés) ela diz que ele é o resgatador. Boaz diz: Bendita sejas tu do Senhor, minha filha; mostraste agora mais bondade do que dantes, visto que após nenhum mancebo foste, quer pobre quer rico. E imediatamente ele fala do testemunho dela: Agora, pois, minha filha, não temas; tudo quanto disseres te farei, pois toda a cidade do meu povo sabe que és mulher virtuosa.
Esta mulher era reconhecida como alguém que fazia a diferença diante de todos. Ela tinha um testemunho marcante na cidade toda. Ela tinha uma atitude que a fazia diferenciar de todas as demais mulheres. Ela era santa nas atitudes, ela era fiel para com a sua sogra.
Deus quer que sejamos pessoas como Rute. Pessoas que fazem a diferença onde estão. Pessoas que são leais nas amizades, na conduta e no compromisso de cristão. Boaz enaltece o caráter desta moça várias vezes, porque ela era diferente mesmo!
Deus quer isto para nós e Rute é uma exemplo vivo para nossa vida e caminhada.
_______
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas