O fardo leve de Jesus

- Texto para meditar: Vocês estão cansados e enfastiados? Venham a mim! Andem comigo e irão recuperar a vida. Vou ensiná-los a ter descanso verdadeiro. Caminhem e trabalhem comigo que sou manso e humilde de coração. Aprendam os ritmos livres da graça! Não vou impor a vocês nada que seja muito pesado ou complicado demais. Sejam meus companheiros e aprenderão a viver com liberdade e leveza. Porque o meu fardo é leve e o meu jugo é suave (Mateus 11.28-30).


Um dia eu recebi um recado no e-mail de uma amiga. Ela começou dizendo que Deus fizera um milagre na sua vida. Depois de várias tentativas e um tratamento intenso para gravidez. Ela dizia com alegria que estava grávida. Sei do que ela estava falando e do fardo que esta amiga carregou no coração e na alma.
A nossa vida sempre é caracterizada pelos momentos em que carregamos um fardo. Carregamos os pesos que vêm sobre nós que são nossas lutas diárias da vida. É o fardo da mãe que tem seu filho envolvido com drogas. O pai que está confuso sobre qual mudança ele deve fazer no emprego. É o fardo da moça que está com 40 anos e não consegue um relacionamento sério para casamento. É o fardo da família que perdeu o pai novo com 60 anos por causa do tabaco! Enfim, são os fardos da depressão, da angústia, dos problemas financeiros, dos problemas de saúde e das crises existenciais que todos passamos. Esses fardos tiram o nosso chão na vida!
Jesus disse que o seu fardo era leve, mas não disse que deixaríamos de ter um fardo para carregar. Jesus disse que o seu jugo seria suave, mas não disse que não haveria um jugo (uma carga a ser levada). Ele não disse que não teríamos as nossas responsabilidades ao nos tornarmos os seus discípulos. Pelo contrário, ele disse que passaríamos tempos de grandes lutas e tribulações e obstáculos na vida.
Apesar de não ser fácil, o nosso mestre apresenta o convite estendido aos cansados e sobrecarregados oferecendo alívio divino para os que são tocados pela sua imensa graça e amor. Jesus morreu pelos nossos pecados e continua nos convidando para descansarmos nele diante das lutas e crises da vida. Ele nos convida para um tempo de refrigério no meio das nossas tristezas, decepções e tribulações complicadas da vida. Ele diz: Vocês estão cansados e enfastiados? Venham a mim!
O seu convite é estendido a todo aquele que se reconhece como pecador, e entende que não pode fazer nada sozinho. O convite é para aqueles que passam lutas e crises na vida e sabem que não há forças humanas para resistir. Saibamos que na jornada da vida necessitamos urgentemente da ajuda do alto, do socorro daquele que fez os céus e a terra. Gosto demais do que o escritor Max Lucado diz: “Você nunca saberá que Jesus é tudo o que você precisa, até que Jesus seja tudo o que você possua".
Jesus nos faz alguns convites na vida. E o primeiro convite é para:

Irmos a ele no meio do nosso cansaço e dor:

O convite dele é para lançarmos a nossa vida e coração sobre ele. Ele sabe o que é dor e padecimento como nos diz o profeta Isaías. Ele sofreu, padeceu dores profundas na cruz do Calvário em favor de nós pecadores. Então podemos ir até ele sem medo de voltar sem consolo e amparo. Ele ampara mesmo. O texto do Salmo 46 nos mostra onde devemos depositar, direcionar a nossa esperança, onde devemos nos ancorar: em Deus e mais ninguém. Portanto, só temos firme ancoragem em Deus. Tudo mais é completamente inseguro, vazio e vago.
O dinheiro não é o nosso refúgio. A nossa satisfação não é a nossa fortaleza. O prazer não traz socorro para nossa vida. Mas, somente Deus é o nosso refúgio, fortaleza e socorro bem presente na angústia, aquele que recupera a nossa vida.
Ficamos extremamente felizes e agradecidos a Deus por esta demonstração dele em nosso favor. Pois, não havia nenhum mérito em nós para que ele fosse o nosso refúgio. Mas, por causa do seu eterno amor e por causa da sua vontade soberana ele quis ser nosso refúgio, fortaleza e socorro bem presente na angústia.
O segundo convite é para:

Buscarmos alívio nele:

Jesus promete um alivio que é proveniente de paz, a paz que excede o nosso entendimento e guarda o nosso coração. Ele conhece toda a nossa estrutura e sabe quando estamos em tribulação. Há uma passagem num livro do Evangelho Lucas. Essa passagem mostra que quando Jesus se encontra com uma viúva de Naim, ele vê o seu sofrimento e dor.
Vejam que impacto profundo na vida desta mulher. Ela está carregando no seu coração uma desesperança profunda. Porque ela já havia perdido o seu marido e agora a única esperança de alegria era o seu filho deitado num caixão. Daí o Senhor da vida, esse que recupera vida e corações, vem e consola o seu coração aflito e angustiado. E diz para ela com o coração cheio de compaixão: Não chores. Isso traz alívio diante do choro e a dor de perda daquela mulher. O mestre divino – Jesus Cristo de Nazaré ainda faz isto hoje na nossa vida. Podemos acreditar nessa verdade!
O terceiro convite é para:

• Experimentarmos o jugo suave dele:

O jugo da servidão ao pecado proveniente da queda de Adão é um peso, pois promove cansaço e opressão em nossa vida. Para os filhos da ira não há descanso! Para os filhos da desobediência em Adão não há liberdade! Todos nasceram em sujeição ao pecado e vivem para o mundo sob a pena que lhes foi imposta: a morte.
Agora que andamos com Jesus não temos mais esse jugo espiritual para levar. O jugo suave de Jesus veio sobre nós e como diz o escritor aos Hebreus, ele nos livrou quando com medo da morte, estávamos por toda a vida sujeitos à servidão (Hebreus 2.15). O jugo de Jesus é suave e traz uma paz totalmente abundante e rica para o nosso coração. Jesus disse: Aprendam os ritmos livres da graça!
O quarto convite é para:


Aprendermos da mansidão, da humildade dele e experimentarmos o seu fardo leve:

Como é bom experimentar a mansidão do mestre. Como é bem experimentar a humildade dele em nós. Assim com toda certeza acharemos descanso para a nossa alma. Teremos humildade ao invés de soberba para buscar solução dos problemas nele e não em nossa própria força. Jesus disse: Caminhem e trabalhem comigo que sou manso e humilde de coração.
Diante da nossa dor não precisamos carregar o fardo sós. Ele nos ajuda porque o fardo dele é leve. Jesus é doce e amoroso para com aqueles que se rendem a ele. Ele é gracioso porque a graça é parte dele. Ele a demonstra para aqueles que estão exaustos e aflitos. Experimentemos o fardo do mestre Jesus!
As pessoas que estiveram com Jesus encontraram pontos de ancoragem para as suas almas agitadas pela tempestade. Elas descobriram que Jesus foi o único homem a andar na terra de Deus que afirmou ter uma resposta para as cargas dos homens. Qual foi a resposta? Venham a mim e aprenderão a viver com liberdade e leveza. Porque o meu fardo é leve e o meu jugo é suave.
Termino citando Timothy Keller: "A esperança mais profunda que podemos ter em Jesus é de sermos recebidos, por causa do seu sacrifício, pelo Pai de volta a nossa casa e ali celebrarmos convidados para o banquete do Senhor" .
Que o Eterno nos ajude a descansar todos os dias nele por meio da sua graça bondosa!

___________
Pr. Alcindo Almeida - membro da equipe pastoral da Igreja Presbiteriana em Alphaville.

Comentários

Postagens mais visitadas