Expectativa de redenção

- Texto para reflexão: E não só isso, mas nós mesmos, que temos os primeiros frutos do Espírito, gememos interiormente, esperando ansiosamente nossa adoção como filhos, a redenção do nosso corpo. Pois nessa esperança fomos salvos. Mas, esperança que se vê não é esperança. Quem espera por aquilo que está vendo? Mas se esperamos o que ainda não vemos, aguardamo-lo pacientemente (Romanos 8.23-25).

Nós os cristãos esperamos a plenitude das bênçãos da nossa adoção. Nós fomos adotados quando convertidos pela graça do Evangelho que Paulo fala em Romanos 1.16 e 17. A nossa natureza foi mudada por causa da redenção feita por Jesus na cruz do Calvário. E o Espírito aplica esta redenção em nós como temos visto no livro de Romanos. Mas, Paulo fala de uma espera no sentido de totalidade dos nossos privilégios de adoção na família de Deus.
Agora nós somos sustentados e confortados na expectativa que já possuímos (versículo 24). É aquela vida da nova terra sem a presença do pecado para sempre. É o tempo em que teremos os nossos corpos ressuscitados da corrupção e da morte. Nunca mais sofreremos, nunca mais padeceremos qualquer dor, tribulação, tentação ou mal que hoje aflige a criação. Exatamente por isso que Paulo fala nos versículos 24 e 25 da palavra esperança que no texto significa a expectativa de um bem vindouro.
O que nos assegura nesta esperança preciosa é a habitação do Espírito em nós Pela graça do Deus Espírito temos a presença garantia dessa gloriosa esperança vindoura. A esperança dos eleitos de Deus é Cristo neles a esperança da glória. É exatamente esta esperança o elemento essencial da salvação dos filhos de Deus.
A esperança dos eleitos de Deus os capacita a aceitarem as aflições do Século presente isso com absoluta perseverança e fé. Pela esperança e fé passamos todas provações do presente com a ajuda e intercessão do Espírito Santo em nosso coração.
A nossa vida hoje é diferente porque vivemos em função desta promessa feita pelo Eterno Deus: A própria criação será redimida do cativeiro da corrupção. Para a liberdade da glória dos filhos de Deus.
É a perfeita ideia de um dia sermos revestidos da nossa habitação celestial. Por isso, Paulo diz algo precioso em II Coríntios 4.18: Não atentando nós nas cousas que se vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.
Essa esperança é escatológica – um termo que usamos em Teologia para expressar as últimas coisas. O estudo da segunda vinda de Jesus Cristo. Então não é uma simples esperança, mas é a de glória, ou seja, o dia precioso que veremos a redenção completa da criação do Eterno Deus.
Quando o Senhor Jesus Cristo voltar aqui na terra e completar a sua obra de redenção então veremos a nossa esperança que é ele mesmo aqui entre nós. Como disse Paul Stevens:
 
“O centro da esperança cristá é a segunda vinda de Jesus Cristo uma verdade citada 318 vezes nas Escrituras. E no Novo Testamento está sempre na prontidão e anseio mais do que em calcularmos o quando .
 
________
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas