Ele desceu até nós

O anseio mais profundo do ser humano está em ser divinizado, em ser preenchido com a vida divina. Ele luta para aparecer, ele luta para se mostrar e afirmar que é alguém. O ser humano gosta de ser visto, de ser notado e precisa de um preenchimento dentro dele. Algo está vazio no ser.
A boa nova é que somente o próprio Deus, em Jesus, desceu até nós, para trazer a realidade profunda de participarmos de sua vida divina. Temos uma vida divina habitando dentro de nós. Em Cristo, o Eterno Deus nos faz participar da sua natureza. Ele coloca em nós algo de divino. Deus coloca em nós, através de Cristo, a sua imagem e temos traços emprestados da divindade eterna.
Não precisamos e nem conseguimos subir até Deus, ao contrário, ele por graça, amor, bondade, misericórdia e compaixão, desce até nós e nos plenifica com sua vida divina. Temos parte com a graça do pertencimento de Cristo, ele está dentro de nós. Respiramos Cristo e sua vida. Por isso, o texto afirma: Sim, eu sou a videira; vocês são os ramos. Quem permanece em mim, eu nele, produz muito fruto. Porque sem mim nada podem fazer. Mas, se vocês permanecerem em mim e as minhas palavras permanecerem em vocês. 
Não precisamos sofrer com essa busca frenética de todo ser humano, de que precisa ser um semideus, jamais seremos isso, mas temos o divino Jesus dentro de nós. Somos os seus eleitos e participamos da sua glória por graça e amor. Pertencemos ao Senhor, somos envolvidos pelo seu amor em todo tempo. E um dia, ele virá novamente e nós o veremos e tocaremos nele e o glorificaremos para sempre nessa terra redimida! (Alcindo Almeida)

Você também pode gostar

0 comentários