Amadurecimento e crescimento

Para alguns o sofrimento é um estimulo para se decidir contra Deus. Ivã Karamasow age assim no romance de Dostoievski Os irmãos Karamasow. Ele não quer aceitar o mundo criado por Deus. Para ele, o preço que, como ser humano, deve pagar pelo sofrimento que enche o mundo é demasiadamente alto. Ele diz: “Meu bolso não me permite absolutamente pagar uma taxa de admissão tão alta. Com pressa devolvo o meu ingresso. Não porque eu desprezo Deus, mas, sinceramente, devolvo-lhe o ingresso.” 
Para outros, o sofrimento é justamente o desafio para se colocarem no caminho diante de Deus. Para alguns, o sofrimento os acode e os coloca num patamar para enxergar melhor a Deus!
Penso dessa maneira olhando para as Escrituras Sagradas. Acredito que o sofrimento vem sobre nós parta que reconheçamos em Deus o sentido e o fundamento de nossa vida e história. Precisamos entender que o sofrimento não é uma prova favor ou contra Deus. O sofrimento nos ajuda a ver quem somos, seres limitados, frágeis e fracos no sentido de estrutura. Basta perdermos a nossa saúde e vemos o quanto somos pequenos e insuficientes nessa vida. 
A Bíblia diz que todas as questões que acontecem na nossa vida, cooperam para o nosso bem. Logo, podemos entender perfeitamente que todas, incluem dor, sofrimento, alegria, vitória, derrota, tristeza e regozijo. Todas as áreas da nossa vida contribuem para a dependência divina daqueles que andam com Deus. 
O sofrimento é um dos itens que gera amadurecimento e crescimento em nosso relacionamento com Deus. Permitam-me discordar de Ivã Karamasow. Ele viu um Deus diferente do que temos nas Escrituras Sagradas. Nelas, aprendemos a dizer como Paulo: Quando sou fraco, aí sou forte! (Alcindo Almeida)

Você também pode gostar

0 comentários