O Eterno atende o pedido de pecadores

- Texto para reflexão: Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus e disse: O Senhor, por que se acende o teu furor contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão? Por que hão de falar os egípcios, dizendo: Para mal os tirou, para matá-los nos montes, e para destruí-los da face da terra? Torna-te do furor da tua ira, e arrepende-te deste mal contra o teu povo. Lembra-te de Abraão, de Isaque, e de Israel, os teus servos, aos quais por ti mesmo tens jurado, e lhes disseste: Multiplicarei a vossa descendência como as estrelas dos céus, e darei à vossa descendência toda esta terra, de que tenho falado, para que a possuam por herança eternamente. Então o Senhor arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo (Êxodo 32.11-14).

Como aconteceu outras vezes, novamente encontramos Deus consultando a Moisés quanto ao futuro de Israel. Aqui em Êxodo 32.7-13, Deus se surpreende com a força do advogado, Moisés, em prol do povo se é que podemos avaliar assim. Ele se revela um notável advogado de defesa. O prisioneiro que está sendo julgado e condenado é Israel e Moisés é o seu advogado de defesa (para quem se achava inapto para a missão que Deus estava lhe confiando, Moisés não se saiu nada mau). Moisés oferece, então, argumentos para Deus.
Primeiro, Senhor não deveria destruir totalmente o seu povo, logo depois de salvá-lo. Segundo, o Senhor acabou de tirar o povo através do Êxodo do Egito.
Terceiro não faz sentido, simplesmente, o Senhor  acabar com a raça deles agora. As perguntas de Moisés foram: Como é que vai ficar a sua reputação entre os egípcios? O que é que eles vão pensar do Senhor, depois de salvá-los os israelitas daquela forma maravilhosa, o Senhor vai destruí-los? Então eles vão pensar: Porque o Senhor não nos deixou no Egito, do jeito que estávamos? Ou, o Senhor esqueceu a sua história? Será que o Senhor esqueceu das promessas que fez aos nossos pais, Abraão, Isaque e Jacó? Não, Deus, o Senhor não pode fazer isso. E Deus diz: Tudo bem!
Daí Moisés recebe em seguida a ordem de subir para a terra com o povo.
O que mexe comigo é que Deus não precisava manter esse diálogo com Moisés. Bastava ele destruir e povo e pronto. Porque o texto mostra que Deus já estava muito irado com o comportamento imbecil e desobediente de um povo rebelde na sua espiritualidade.
Deus ouve Moisés e repensa o processo de consumir o povo. Ele atende o pedido dentro da sua própria vontade por amor aquele com quem ele falava face a face. Sempre digo que Deus não cabe na nossa lógica humana. Isso seria um absurdo na nossa teologia atual. Deus atender um homem como Moisés nesse pedido. Pois, ele atende e resolve ser misericordioso com o povo ralé na espiritualidade. Louvado seja o Eterno porque ele olha para nós apesar de toda a nossa forma pecadora e incoerente de ver a sua graça.

_______
Alcindo Almeida - IP Alphaville

Comentários

Postagens mais visitadas