Somos pela paz

Eu sou pela paz; mas quando falo, eles são pela guerra (Salmo 120.7).

O coração de Davi era inclinado a buscar a paz nas relações com o próximo. Ele era devoto da paz. A fala profunda dele no meio do ódio daquela gente foi: Eu sou pela paz.
Lembro-me do episódio envolvendo a ditadura no Egito. A revolta popular no Egito era por causa de Hosni Mubarak e de outras ditaduras árabes. Mas, depois de muita guerra, muitos conflitos e muita falta de paz por causa de uma repressão - a população egípcia comemorou a queda do presidente Hosni Mubarak com fogos de artifício na praça Tahrir no Cairo, após o vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, ter anunciado a renúncia do mandatário na televisão estatal.
A renúncia foi confirmada mais tarde pelo comandante da Força Aérea do Egito, Reda Mahamoud Hafez Mohamed. Ele disse que as Forças Armadas anunciarão em breve planos e medidas para que sejam introduzidas as mudanças democráticas desejadas pela população. O anúncio de Suleiman na televisão estatal foi curto: “Ele (Mubarak) renunciou do direito à presidência e o alto comando do Exército está tomando o controle do país”.
Nós podemos imaginar quanto sofrimento, quanta gente que era cristã e orava pela paz, pelo fim de um regime ditatorial que oprimia e massacrava o povo egípcio.
Olhando para tudo isso que aconteceu e outros fatos ao redor do mundo, percebo claramente que o nosso chamado no meio da sociedade é esse mesmo, de promover a paz através do nosso testemunho de vida. Mesmo no meio daqueles que querem guerras e conflitos, Deus nos chama para ser discípulos da paz. Foi assim que ele designou os setenta na proclamação do Reino. Era para eles entrarem nas casas e levaram a paz do Reino de Deus.
Temos a grande missão como servos do Reino de fazer o que Davi desejou no coração: Somos pela paz. Somos pela paz no sentido de lutar contra o aborto porque é um ser vivo que está no ventre e precisa respirar, viver.
Somos pela paz no meio dessa violência em que vimos a supervisora de vendas Vanessa de Vasconcelos Duarte, de 25 anos, ser morta no domingo (13.02.11) à beira da Rodovia Raposo Tavares, na Grande São Paulo. Dói vermos que ela tinha casamento marcado para novembro deste ano. Somos pela paz em favor da vida e dos direitos pela vida.
Somos pela paz com o sonho de ver estes meninos e meninas da Cracolândia sendo libertos das garras de Satanás pelo poder do Evangelho da paz. O Evangelho da liberdade em Jesus Cristo de Nazaré.
Somos pela paz no sentido de fazer justiça em favor do pobre, em favor da viúva, em favor do menor abandonado, em favor da mulher que é espancada da maneira mais absurda pelo seu companheiro.
Que ele mesmo nos dê graça para que sejamos discípulos da paz e do amor. Discípulos que falam da paz e da graça de Deus para as pessoas!

_____________
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas