Pular para o conteúdo principal

Leituras em agosto de 2020


1. PAGOLA, Antonio José. A boa notícia de Jesus. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2020. Esta publicação intitula-se A Boa Notícia de Jesus e consta de três partes dedicadas a comentar brevemente os textos evangélicos que serão lidos sucessivamente nas comunidades cristãs durante os anos A, B e C. Ao oferecer estes comentários, Pagola pensa sobretudo nas comunidades cristãs, necessitadas de alento e de novo vigor espiritual. Contém 384 páginas.

2. CRABB, Larry. Conversa da alma. São Paulo: Mundo Cristão, 2004. Crabb surpreende mais uma vez seus leitores ao propor uma mudança fundamental em sua perspectiva de vida, deixando Deus manifestar-se através do diálogo entre seus filhos. O autor, um dos mais prestigiados do cristianismo moderno, abre as janelas da espiritualidade para revelar o poder contido na "Conversa da Alma". Esta conversa não depende de hora ou lugar. Todas as pessoas, em pequenos grupos ou em conversas individuais podem falar uma linguagem capaz de levá-los à presença de Deus. Isto pode acontecer, e é justamente o que Deus deseja para as vidas daqueles que se propõem a viver na plenitude do Espírito. Contém 304 páginas.

3. HOUSTON, James. Uma fé mais forte que as emoções discernindo a essência da verdadeira espiritualidade. Brasília: Editora Palavra, 2007. Jonathan Edwards (1703-1758) foi uma das figuras centrais no Grande Despertamento ocorrido na Nova Inglaterra. Milhares de pessoas foram alcançadas pelas boas novas do Evangelho e renderam-se a Jesus. Edwards pregava com paixão sobre a soberania de Deus, o pecado da humanidade, os horrores do inferno e a necessidade de um "novo nascimento" e nunca se contentou com uma religião superficial. Para ele, as motivações do coração do homem devem ser esquadrinhadas pela Palavra de Deus. Durante o Grande Despertamento, Edwards testemunhou os sinais verdadeiros e também os falsos do reavivamento, assim como conversões genuínas e fictícias. Isso o levou a escrever Religious affections - a sua obra mais conhecida - sendo também um dos livros cristãos mais importantes de todos os tempos. Nestas páginas, você ouvirá com clareza o chamado contundente de Edwards convidando-nos ao verdadeiro reavivamento. Ainda é tempo de viver emoções puras e equilibradas na caminhada cristã! Contém 256 páginas.

4. PARANAGUA, Glenio. A tumba de Adão. Despojando o velho homem. Paraná: Editora Ide, 2002. Esta é uma obra singela, mas realmente ousada. Além de penetrar num terreno minado, ao extremo, teve a coragem de se arriscar por "mares nunca dantes navegados". A Tumba de Adão trata-se de um assunto relevantíssimo para a fé cristã; a morte do velho homem, isto é: a morte de Adão, do velho Adão; e, o faz de um modo sem rodeios, ressaltando ainda sobre uma descoberta surpreendente: a Arca da Aliança, um móvel, verdadeiramente fundamental no processo da redenção, que se manteve sumido da história até 1982, quando foi encontrada nos arraiais de Jerusalém, por um arqueólogo norte americano, Dr. Ronald Wyatt. E por que continua incógnita? É isto que vamos tentar ver aqui. Este livro é um dos únicos para as prateleiras das livrarias atuais e foi escrito contra a correnteza do humanismo asfixiante, a fim de esclarecer com objetividade, certos fatos que alguns exegetas descuidados e os historiadores oficiais insistem em omitir das pessoas. Contém 112 páginas.

5. GRÜN, Anselm - Müller, Donata. Reencontrar o próprio centro - Como lidar com a instabilidade emocional e alcançar a harmonia interior. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2018. Segundo Grün, às vezes, nas suas conferências, ele faz menção ao comportamento dos clientes com borderline, que carecem de um centro e que, por isso, oscilam permanentemente entre a dedicação e a rejeição extremas, entre o rigorismo e o laxismo extremos. Sempre que ele aborda o tema as pessoas o procuram depois da palestra e perguntam se já escreveu algo a respeito. Ele relutou por muito tempo em escrever algo sobre borderline, porque somente algumas vezes havia me ocupado diretamente com as pessoas afetadas pela doença. No entanto, conversou bastante com sua sobrinha, Donata Müller, que é médica e atua na área da psiquiatria da infância e adolescência. Assim, ousou escrever um livro sobre o tema juntamente com ela, e com base também na sua experiência. Contém 152 páginas.

6. SPROUL, R.C. A invisível mão de Deus. São Paulo: Editora Bom Pastor, 2014. Todas as coisas cooperam mesmo para o bem dos que amam a Deus? A hora da verdade para a angústia humana confrontando a Providência Divina. Este livro é um esforço para enfrentar as questões e dúvidas que surgem com relação à Providência de Deus. Foi planejado para analisar a questão da providência não apenas do ponto de vista doutrinário, mas, principalmente, a partir do exame das experiências concretas de pessoas de carne e osso cuja vida e lutas foram registradas para nosso benefício na Sagrada Escritura. A Providência de Deus é a nossa fortaleza, o nosso escudo e a nossa grande recompensa. É ela que fornece coragem e perseverança aos santos de Deus. Contém 192 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …