Pular para o conteúdo principal

Leituras no mês de setembro de 2013

 
SMITHER, Edward L. Agostinho como mentor. Um modelo para preparação de líderes. São Paulo: Hagnos, 2012. Recentemente, uma pesquisa realizada com cerca de mil líderes evangélicos nos Estados Unidos, apontou que pouco mais da metade dos pastores reclamam do mesmo problema: a solidão. Boa parte sucumbe no meio do caminho e deixa para trás a vocação ao ministério, se rendendo às múltiplas pressões do século 21 e aos apelos do mundo moderno. Diante deste cenário, como explicar que o alento pode vir por meio de um modelo adotado por um bispo católico da antiga cidade de Hipona (atual Argélia), localizada no norte da África, que viveu há 1600 anos? É isso o que acontece quando nos debruçamos sobre o exemplo de mentoria do bispo Agostinho, do século V. Considerado santo pelos católicos e um dos pais intelectuais da Reforma Protestante (que ocorreria mais de mil anos após sua morte) pelos protestantes, o bispo africano continua a atordoar filósofos, teólogos e historiadores com seus relevantes pensamentos. Contém 320 páginas.
 
ETHRIDGE, Shannon. A batalha de toda mulher. São Paulo: Mundo Cristão, 2006. Estou escrevendo um livro sobre relacionamentos e precisava conhecer um pouco mais sobre os detalhes e pensamentos femininos. Foi joia ver a autora falando do lado vulnerável da mulher e também sobre as fragilidades na área sexual. Shannon Ethridge trabalha muito bem as batalhas na mente e no coração da mulher. Recomendo o livro: A batalha de toda mulher. Muito bom! Contém 224 páginas.
 
GROESCHEL, Craig. Desintoxicando a alma-De cara limpa em um mundo contaminado. São Paulo: Vida, 2013. Com um olhar renovado para a Palavra de Deus, sinceridade e sensibilidade, além do humor que já se tornou sua marca registrada, o campeão de vendas Craig Groeschel revela maneiras de fortalecer a nossa saúde espiritual e a influência positiva que exercemos sobre as pessoas. Desintoxicando a alma revela como vencer as toxinas que nos atacam diariamente, incluindo emoções, influências e comportamentos tóxicos. Mais que um olhar perspicaz sobre os aspectos negativos da nossa cultura cotidiana, este guia cheio de graça desafiará você a abandonar o comodismo e a adotar uma vida limpa, pura e focada, baseada no padrão libertador da santidade divina. Jesus chama seus seguidores a um estilo de vida radicalmente diferente da cultura carcinogênica que vemos à nossa volta. Apesar da atmosfera ao nosso redor, você pode gozar a vida e vivê-la em abundância quando se submete a uma desintoxicação da alma. O livro contém 256 páginas.
 
PETERSON, Eugene H. Maravilhosa Bíblia: A arte de ler a Bíblia com o Espírito. São Paulo: Mundo Cristão, 2008. Eugene propõe o resgate da antiga tradição de ler as Escrituras com o faro apurado do espírito. Se o texto bíblico foi escrito mediante a inspiração de Deus, a leitura de sua Palavra não pode ser um exercício mecânico e desinteressado. Ler exige meditação e oração, em busca da fertilização e do renovo que apenas a Palavra pode proporcionar. Contém 191 páginas.
 
LUCADO, Max. Seus pecados estão perdoados. São Paulo: Mundo Cristão, 2013. Ao longo da vida, acumulamos refugos sobre nossos ombros. Ira, culpa, pessimismo, amargura, intolerância, ansiedade, decepção, impaciência. Lixo! Isso nos afeta e contamina nossos relacionamentos. Com sua habitual simplicidade, Max Lucado explica como fazer para nos livrarmos desse lixo acumulado. A partir de uma linda história, o autor reconta o que Cristo fez por nós e ensina como transformar essa velha bagagem em uma nova vida. Contém 64 páginas.
 
WILKINSON, Bruce. Santidade pessoal em tempos de tentação. São Paulo: Mundo Cristão, 2002. Santidade pessoal em tempos de tentação traz dicas práticas e ensinamentos sólidos para que a barreira do pecado seja vencida e as armadilhas da tentação sejam evitadas. O que estão dizendo sobre este livro: poucos conceitos são entendidos de forma tão errada quanto santidade. Em meio a nossa cultura confusa, Bruce Wilkinson atreveu-se a dissecar o demônio da tentação e agarrar a santidade, produzindo um mapa realista para o peregrino em apuros. Contém 272 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …