O “X” DA QUESTÃO

 
“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda” ou “Primeiro vem a soberba; depois a queda – quanto maior é o ego, maior é o tombo” (Pv 16:18).
  “Do céu ao inferno”. Assim expressou-se um jornal de grande circulação em nosso país para descrever a situação vivenciada nos últimos meses por um dos personagens mais presentes na mídia econômica para descrever as expectativas de um país emergente como o Brasil. A derrocada dos negócios do empresário Eike Batista virou para os investidores e analistas de mercado um exemplo dos problemas da economia brasileira, pois segundo dizem esses analistas: “ambos tinham muito potencial, mas não estão entregando o prometido”.
    A história de um empresário que foi capaz ao longo de duas décadas tornar-se um dos homens mais ricos do mundo é marcada por “cartadas” comerciais dignas de um expert em transformar idéias e projetos em objetos de desejo de sócios ávidos por participar de seus negócios, e investidores sedentos de altos ganhos com operações aparentemente seguras e promissoras.
    Sempre chamou-nos a atenção algumas aparições e, particularmente, algumas expressões usadas pelo empresário dono de empresas identificadas sempre com um “X”, como que sinalizando a multiplicação dos ganhos que adviriam dos negócios propostos.
Expressões como: “Meu objetivo é desbancar o Bill Gates em cinco anos” (frase dita em janeiro de 2008). Ou “Tenho que competir com Carlos Slin (empresário e milionário mexicano). Não sei se vou ultrapassa-lo pelo esquerda ou pela direita, mas vou ultrapassá-lo” (frase dita em maio de 2011).
Quando li uma entrevista deste empresário em 2012, quando atingiu o posto de 7º homem mais rico do mundo, e em meio a tantas previsões otimistas dizia que em um ano chegaria ao topo da lista como o homem mais rico do mundo, não me contive em refletir sobre suas palavras.
Pensei comigo mesmo: se o sábio Salomão está certo (e é evidente que está, pois a inerrância é uma das características das Sagradas Escrituras), estamos, dizia eu comigo mesmo, apenas diante da eminente queda, ante tanta soberba.
E esse é o “X” da questão!
O grande reformador protestante Martinho Lutero disse certa vez que “existem três cachorros perigosos: a ingratidão, a soberba e a inveja. Quando mordem deixam uma ferida profunda”.
Por isso, precisamos estar atentos em nossa caminhada para que possamos fazer a escolha do caminho certo.
Quando fazemos a escolha, consciente ou não, por uma postura de soberba, saiba, estamos a caminho da queda e da ruína.
Por isso Salomão disse: “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda” ou “Primeiro vem a soberba; depois a queda – quanto maior é o ego, maior é o tombo” (Pv 16:18).
Diria que a soberba tem muitos filhos: orgulho, vaidade, vanglória, arrogância, prepotência, presunção, auto-suficiência, amor-próprio desmedido, exibicionismo, e outros.
Nosso maior problema, normalmente, somos nós mesmos. Mais difícil do que governar o mundo, é governarmos a nos mesmos.
A medida que nos perdemos nesse processo, vamos nos tornando mais e mais soberbos e, conseqüentemente, desprovidos de verdadeira sabedoria. Passamos a não aceitar a opinião sincera do próximo, por achar que sempre somos “donos” da razão, cujas idéias se destacam diante dos outros, tidos sempre como “inferiores”.
Ninguém vai longe se não com humildade. O mesmo Salomão nos ensina: “A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra” (Pv 29:23).
Por isso, escolha as motivações certas.
Davi, o grande rei do povo de Israel, rico e poderoso em seu tempo, expressou-se assim: “Senhor, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes cousas, nem de cousas  maravilhosas demais para mim” (Sl 131:1).
O que move o seu coração?
A soberba não nos permite sentir prazer em possuir algo, mas apenas em possuir mais. O soberbo não se alegra em ser rico, mas em ser o mais rico, o melhor.
A comparação constrói a soberba. O desejo de estar acima do outro a estimula. Se não houver o fator competição ou comparação, a soberba desaparece. Por causa da soberba, do orgulho, da arrogância, da presunção, as pessoas desprezam, humilham e oprimem outros.
O grande escritor C.S.Lewis escreveu: “Enquanto permanecermos orgulhosos, não poderemos conhecer a Deus. Um orgulhoso está sempre olhando de cima para pessoas e coisas; e é claro, quem está olhando para baixo, não pode ver o que está acima de si mesmo”.
Por isso faça a melhor escolha!
Ore e peça a Deus como o salmista Davi: “Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão (queda)”.
Parece-nos claro que a soberba é o solo no qual crescem frutos indesejáveis. Certamente nos seria útil contra a soberba e a ganância, a receita do grande pregador, fundador da Igreja Metodista, John Wesley:
         “Fazer todo o bem possível,
         Usando de todos os meios possíveis,
         De todas as maneiras possíveis,
         Em todos os lugares possíveis,
         Em todo tempo possível,
         A todas as pessoas possíveis,
         Enquanto for possível”.
 
Que Deus o abençoe rica e abundantemente!
Em Cristo,
__________
Hilder C. Stutz
 

Comentários

Postagens mais visitadas