Capacidade de perdoar - Pb. Wallace Sabaini

Texto de João 21.1-17: Depois de terem se alimentado, Jesus disse a Simão Pedro: “Simão, filho de João, você me ama mais do que estes?”. “Sim, Senhor, tu sabes que te amo.” Jesus disse: “Alimente meus cordeiros”. Então, perguntou pela segunda vez: “Simão, filho de João, você me ama?” “Sim, Senhor, tu sabes que te amo.” Jesus disse: “Tome conta das minhas ovelhas”. Jesus perguntou pela terceira vez: “Simão, filho de João, você me ama?” Pedro ficou aborrecido por ele ter perguntado a terceira vez: “Você me ama?”. Então, respondeu: “Senhor, tu sabes de tudo. E tu sabes que te amo”. Jesus disse: “Alimente minhas ovelhas. Vou dizer uma verdade: quando você era jovem, vestia-se e ia aonde queria, mas, quando for velho, estenderá as mãos enquanto outra pessoa irá vesti-lo e levá-lo para onde você não quer ir”. Ele disse isso para indicar o tipo de morte pela qual Pedro iria glorificar a Deus. Em seguida, ordenou: “Siga-me!”

Quando Pedro declarou que nunca negaria ao Senhor Jesus foi algo bem sério para a vida dele. Quando lá na frente ele negou ao Senhor, a mágoa foi profunda porque ele mesmo disse que daria a própria vida por Cristo. Ele errou profundamente como nós hoje o fazemos, falhamos na nossa conduta, nas palavras.
Pedro abandona todo o processo de investimento do mestre na missão do Reino. Ele recua no propósito de maneira vergonhosa.
No encontro de Jesus com Pedro, ele não toca no assunto dos erros, não vai com mágoa, não vai com espírito de vingança e lhe faz a pergunta: Simão, filho de João, você me ama?
O ensino de Jesus é para perdoarmos sem qualquer exigência.
Há algumas características do perdão:
 
1. O perdão deve ser exercido pelo ofendido independentemente do ofensor buscar o pedido de perdão:
 
Nós éramos distantes de Deus e ele por meio da regeneração nos ama em Cristo. Ele nos perdoa em Cristo, ele nos coloca no Reino com um coração novo. Voltamos a enxergar na presença de Deus. Ele nos mostra a necessidade de Salvador e nele somos perdoados.
Deus nos perdoar primeiro para que tenhamos condições de perdoar aqueles que nos feriram. A Bíblia é cheia de exemplos disso, a ação tem que ser de quem foi ofendido. O texto de João 8.11 mostra essa realidade. Jesus perdoa essa mulher mesmo no meio dos religiosos que queriam a condenação dela.
Exemplo do próprio Wallace - Sandro um rapaz da igreja. Pediu um dinheiro emprestado e não pagou. Os dois se encontraram no domingo e nada do rapaz se pronunciar. A mágoa tomou conta do coração do Wallace porque ele se encontrava com o Sandro e não falava nada sobre o dinheiro. Ele entendeu que quem estava sofrendo era ele mesmo. E perdoou o rapaz depois de algum tempo. E o rapaz já no Seminário o procurou para pagar a dívida.
Quando perdoamos, tiramos um peso do nosso coração.
 
2. O perdão deve ser exercido quantas vezes for necessário:
Perdão não há limite, simplesmente devemos perdoar e acabou. Não podemos ser controlados por sentimentos que os outros produzem em nós. 
 
3. O perdão é uma ordem de Deus para cumprirmos mesmo que os nossos sentimentos estejam feridos:
 
Devemos perdoar sempre e ponto final.
 
4. Os erros dos outros não são esquecidos, mas não devemos  nos ressentir mais com as pessoas:
 
Deus não leva em consideração os nossos pecados em termos de lembrar. o texto de Miquéias diz que Deus lança os nossos pecados nas profundezas. Porque eles são pagos e não há mais o que jogar no rosto.
Para quem exerce o perdão precisa lidar com isso como pecador. Devemos reprovar a atitude do faltoso, mas amando-o com graça. Não podemos rejeitar pessoas por causa dos erros.
A queda de uma pessoa não invalida as ações dela no passado. Exemplo de Caio Fábio.
Reconhecer que o ato de perdoar é a oportunidade de dar um testemunho impactante na vida.
O perdão traz um sentimento de alívio e tranquilidade. Quando perdoamos demonstramos a força de Deus em nós. Aprender a pedir perdão e perdoar é trabalhar com palavras que curam das mágoas e ressentimentos. A mágoa escraviza e o perdão liberta.
 
 

Comentários

Postagens mais visitadas