Façamos a vida valer à pena

-Texto de Atos 13.36: Porque Davi, na verdade, havendo servido a sua própria geração pela vontade de Deus, dormiu e foi depositado junto a seus pais e experimentou corrupção.
 
Acredito que devemos pensar e realizar algumas coisas na vida antes da morte que passam despercebidas por nós. Na verdade, são tantas coisas que poderíamos fazer e deixamos para depois! E quando é chegado o tempo de partir desta vida, olhamos para trás e percebemos que não valorizamos várias questões da vida! Quantos param para pensar sobre este momento da partida?
Quero citar um filme estrelado por Jack Nicholson e Morgan Freeman: Antes de partir e foi uma profunda mensagem para meu coração. Você começa a ver o filme e não se distrai em nenhum momento. Nicholson vive Edward Cole, um milionário gestor de hospitais cujo lema é um número: dois leitos por quarto e nunca menos. Freeman é Carter Chambers, um mecânico que abandonou seus sonhos de juventude quando viu que teria uma família para alimentar.
Quando os dois ficam fulminantemente doentes, seus caminhos se cruzam. E se cruzam porque, para não desonrar seu lema, Edward, o dono do hospital, acaba no mesmo quarto que Carter. O que chama a atenção no filme é o processo pelo qual todos nós um dia passaremos: o enfrentamento da morte. Bem, eles decidem viajar pelo mundo aproveitando seus últimos meses de vida. E quando chegam ao Egito, Carter pergunta Edward Cole: Você conhece o que a crença egípcia fala sobre o que deve fazer após a morte para adentrar no céu? Ele diz que não! Carter fala que a pessoa precisava responder duas perguntas: Você foi feliz em sua vida? E a segunda é: Você trouxe alegria aos que estavam à sua volta?
Edward Cole fica meio pensativo porque estas perguntas levam pessoas à reflexão. E hoje em nossa vida elas precisam fazer parte também. Precisamos perceber, se nos momentos que vivemos temos alegria na presença do criador. Porque se não tivermos esta alegria não dá para fazer lista alguma. Olhando para a vida de Davi, percebemos alguns princípios para a vida:
 
Deus usa pessoas comuns para fazer algo extraordinário:
 
O texto diz: Porque Davi, na verdade, havendo servido a sua própria geração pela vontade de Deus.
Nós somos pessoas comuns, compramos ingressos para ver o nosso time jogando. Não somos os melhores alunos da escola. Não somos presidentes de grandes empresas. Somos apenas pessoas comuns. A grande mensagem para nós é que precisamos fazer valer a pena nossa vida na presença daquele que nos chamou para andar na presença dele.
Davi é um modelo de gente fez valer a pena a sua vida. Ele foi alguém que sonhava, que plantava e colhia na vida. Ele sonhou com um reino vitorioso e teve mesmo nos meio dos conflitos. Ele sonhou em investir nos 400 homens em aperto, endividados e amargurados. E investiu mesmo de tal modo que eles se transformaram numa parte de um exército poderoso na época. Ele sonhou em ver Israel livre dos seus inimigos e viu. Porque ele mesmo derrubou o gigante Golias com uma pedra.
Davi sonhou em ter paz diante das lutas e teve porque a morte dele foi registrada assim: Morreu Davi em boa velhice e farto de dias. Ele sonhou em ter outro filho mesmo depois do pecado cometido e teve o homem mais sábio do planeta. Davi é o modelo de esperança e sonhos na presença do eterno. Davi é o modelo para a nossa de fazer a vida valer à pena.
Não podemos ficar parados vendo o trem passar, temos que lutar, sonhar, plantar e depender da graça de Deus na vida. Somos os canais da graça dele, refletimos o seu caráter e somos imagens suas. Então a vida não pode passar em vão, ela tem que valer a pena. Lya Luft no seu livro: Perdas & ganhos diz algo precioso: “Devemos resolver como empregamos e saboreamos nosso tempo, que é afinal sempre o tempo presente” [1].
 
•        Sirvamos nossa geração conforme Deus quer:
 
O texto diz: Porque Davi, na verdade, havendo servido a sua própria geração pela vontade de Deus, dormiu e foi depositado junto a seus pais e experimentou corrupção.
Davi foi um rei famoso em Israel cerca de mil anos antes de Cristo. Sua sepultura em Jerusalém não foi localizada ainda, mas, podemos tratar esse texto como seu epitáfio.
Neste trecho, o apóstolo Paulo trata sobre a ressurreição de Cristo (versículos 35-37). Mas, no meio do assunto, ele fala isso sobre Davi. Há três fatos extremamente relevantes sobre a vida e papel de Davi nesse texto:
  • Davi serviu;
  • Davi fez algo pela sua própria geração;
  • Davi serviu conforme o propósito do Eterno Deus.
Davi fez pessoas felizes por ando passou. Ele marcou a vida do seu amigo Jonatas a quem devotou uma amizade que o levou a cuidar de Mefibosete que era filho de Jonatas, mas era coxo. Ele deu atenção a homens idosos como Barzilai com 80 anos. Esse homem serviu sua própria geração sendo um herói ao vencer o gigante Golias, conquistou terras, mas o principal, ele amou pessoas. Tanto que um homem chamado Itai disse a Davi: No lugar em que estiver o rei meu senhor, seja para morte ou para vida, lá estará também o seu servo (II Samuel 15.21).
Davi serviu conforme o propósito do Eterno Deus. Ele andou na presença do Eterno Deus seguindo e realizando aquilo que Deus desejava. E nesse processo todo, salvou vidas, resgatou cidades, protegeu gente, entregou a planta do templo de Salmão com tudo o que precisava. Acolheu gente ao seu redor e realmente foi uma pessoa feliz e que trouxe alegria ao coração de muita gente. É verdade que no percurso ele falhou e teve vários erros. Mas, no todo da vida de Davi, ele marcou sua história e geração. E o convite para nós hoje é que também deixemos o legado da nossa vida servindo, fazendo algo pela nossa geração diante de Deus.
Termino essa reflexão citando novamente Lya Luft que diz: “Temos de lançar pontes com o que nos rodeia e o que ainda nos espera” [2]. Lancemos pontes servindo, amando e trazendo alegria as pessoas que estão ao nosso redor. Que a graça do Eterno seja sobre nós!
 
Pr. Alcindo Almeida
--------------------------------------------------------------------------------
[1] LUFT, Lya. Perdas & ganhos. Rio de Janeiro: Editora Record, 2003, p. 15.
[2] LUFT, 2003, p. 20.
 

Comentários

Postagens mais visitadas