Quem é o idiota?

Dostoievsky tem uma obra-prima chamada: O idiota. Nesse romance, o príncipe Myshkin, símbolo de Cristo, é jogado em uma cultura obcecada por riqueza, poder e conquista sexual. Mas, o príncipe não possui orgulho, cobiça, malícia, inveja, vaidade ou temor. Comporta-se de maneira tão anormal que as pessoas não sabem o que pensar dele. Confiam nele devido à inocência e à simplicidade que demonstra. Mesmo assim, a falta de outras motivações por parte do príncipe leva o povo à conclusão de que ele é um idiota. 
Dostoievsky entretece os temas: dinheiro, sexo e poder por toda a história, contrastando o espírito do príncipe com o de todos aqueles que o rodeiam. A respeito do personagem principal, o narrador observa: "Ele não se importava com pompa ou riqueza, nem mesmo com estima pública, mas apenas com a verdade!"Numa carta, o próprio Dostoievsky disse, acerca do príncipe: "Minha intenção é a de retratar uma alma verdadeiramente bela" (DOSTOIEVSKY, O idiota, p. 220). A verdadeira pergunta que paira sobre todo o romance é a seguinte: quem, de fato, é o idiota?
Talvez a pessoa verdadeiramente tola seja aquela cuja vida é dominada pela ganância, pela ambição e pela luxúria. Esta história do livro de Dostoievsky mostra alguém determinado pelo compromisso com o seu viver. Alguém que estava disposto a viver uma vida simples e relevante com compromisso profundo (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas