Cuidado com o coração invejoso

Meditando em Gênesis 37






Ainda pensando na inveja no coração dos irmãos de José, penso que invejar é uma emoção que não só implica almejar o que a outra pessoa tem a vontade de estar passando pela mesma circunstância do outro. O ato de invejar implica muito mais: coloca você num plano de contínua insatisfação.
A inveja nasce da sensação ou da crença de que nunca vai ter o que o outro possui. José possuía um amor incomparável do eu velho pai Jacó. Jacó era vidrado no filho da sua velhice e isso acabou com o coração dos seus irmãos que responderam com inveja ardente. Os irmãos não suportavam ver José ser amado daquela forma e a inveja destruiu qualquer possibilidade de olharem para José com graça e amor.
Quantas vezes temos a mesma atitude com alguém que brilha mais do que nós, rejeitamos, ofendemos, anulamos e matamos no coração. A atitude dos irmãos de José é um processo de inveja que gerou um desejo de destruição e de ódio. E geralmente as mortes, as violações, os calotes, os enganos, os maus-tratos, nascem de inveja, por ambicionar o que o outro tem.
A inveja sempre tentará nos destruir por meio da perseguição aberta ou da desqualificação. A palavra para nós é: cuidado com o coração invejoso. E Salomão nos dá a dica preciosa em Provérbios 14.30: O coração tranquilo é a vida da carne; a inveja, porém, é a podridão dos ossos (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas