SUA ALTEZA, O MENDIGO. XXXII


Bill Gates tentou conectar com Sua Alteza, o mendigo, mas não teve êxito na empreitada. O pedinte tem ponto fixo na calçada, mas não tem laptop. O celular até traz embutida a bolsa do governo para o pobre ter acesso, porém o mendigo não faz parte do projeto “fome zero”, nem das cotas da discriminação racial. Ele é apenas humano. Jamais será classe no humanismo.
Ele tem fome, sim, mas do Maná do céu, o Pão nosso de cada dia. Essa é uma iguaria estranha da cozinha celestial. É Pão raríssimo nas padarias humanistas. Aliás, inexiste.
No deserto não havia supermercado a vista, nem boteco para o happy end no finalzinho da tarde. Só havia Maná e mais Maná. Todos os dias e o dia todo. Maná de manhã, de tarde e de noite... Até enjoar. Foi assim que os hebreus deram início à murmuração. O coaxar do sapo na lama. Os religiosos sempre reclamam, rezingam e só gostam de menu rico e variado, exigindo uma mesa requintada. Mendigo só come Maná, a esmola da graça.
Sua Alteza não se importa com a variedade do cardápio. Seu paladar é restrito demais, mas a sua fome é desesperadora. Nada neste mundo do consumismo satisfaz a sua orexia de Pão Vivo. Ele quer mitigar seu apetite com o único alimento que atenda à sua carência de significado. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu igualmente vivo pelo Pai, também quem de mim se alimenta por mim viverá. João 6:57.
Fome zero é para quem tem 100% de Pão. A cesta básica para suprir a fome da alma é a plenitude da graça cobrindo a falência humana. Aqui não há compra de votos, nem o jogo sujo da política favorecendo bancadas no congresso da safadeza humanista. Javé não discrimina ninguém, muito menos promove desavença por questões da tonalidade da pele. Há uma só raça humana, embora ela seja multicolorida. Que lindo é vê-la em sua policromia! Que triste é vê-la em castas!
Cotas são coisas de sujeitos cotos que fazem parte das castas cotós. Só os mutilados gostam de decepar a inteireza da personalidade. Quem foi saciado pela aceitação incondicional do Amor eterno, nunca vai precisar de uma ajudinha negociada, a fim de tentar disfarçar o vazio existencial. Uma alma inteira não se vende por vales, nem se escraviza com confetes. Sua Alteza sabe que a redenção da alma deles é caríssima, e cessará a tentativa (de comprá-la) para sempre. Salmos 49:8.
Segundo a estimativa do Perito em valores absolutos, uma alma indigente vale mais do que a globalidade do Cosmo. Ele também afirmou que o custo da rebeldia da alma é a morte. Portanto, este preço só poderá ser coberto pela Vida do próprio Criador do Cosmo. Quando Sua Alteza, o mendigo, se percebeu resgatado pela cotação incalculável da Vida do Cordeiro de Deus, ninguém mais pôde botar cabresto em sua liberdade.
A alma do mendigo desvalido vale mais do que o Mundo inteiro. Portanto, viver a Vida liberta desta escravatura do Mundo é o maior tesouro dos filhos de Aba. Celebrem a liberdade eterna, mendiginhos aceitos pela graça incondicional do seu Aba!
_____________________________
Glenio Paranaguá – Mendigo-padrão

Comentários

Postagens mais visitadas