Leituras no mês de novembro

LOPES, Hernandes Dias. Como conciliar os decretos de Deus com a oração. Vol. II. São Paulo: Arte Editorial, 2009. Quem nunca ouviu ou nunca fez uma das seguintes perguntas: Como entender a finalidade da oração dentro do decreto de Deus? Se tudo já foi decretado antes da fundação do mundo, qual é o papel da oração na vida do crente? Se Deus sabe todas as coisas, por que devo orar? Se você já fez ou já ouviu alguma dessas perguntas, então este livro foi feito para você. Com certeza, você será enriquecido e receberá munição para responder e auxiliar aqueles que fazem as mesmas inquirições. Essas e outras perguntas inquietaram muitos cristãos e ainda continuam a provocar muitas indagações pelos cristãos contemporâneos. Porém, finalmente, a luz raiou em nossa pátria. Deus jamais deixa os seus eleitos na escuridão da ignorância. Este é o volume 2 da Coleção Grandes Temas da Fé Cristã, escrita pelo Rev. Hernandes Dias Lopes, autor já consagrado pelos leitores no Brasil e no exterior. Outros títulos da Coleção: Como enfrentar o sofrimento vitoriosamente A miséria no tribunal da misericórdia O povo mais feliz da Terra A missão da paternidade Evangelização: programa ou estilo de vida? Como ser um crente cheio do Espírito Santo? Absalão, o pai da paz Filosofia, a bomba das idéias. Contém 64 páginas.

LOPES, Hernandes Dias. A miséria humana no tribunal da misericórdia. Vol. III. São Paulo: Arte Editorial, 2009. O homem não tem de fazer nada para ir para o inferno. Com suas virtudes e predicados morais, ele é um pecador perdido. Mesmo sendo religioso e honrado cidadão ele está condenado, se não crer em Jesus. Não é preciso roubar, matar, adulterar. Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. Para ir para o céu é preciso nascer de novo. É necessário crer em Cristo como Senhor e Salvador. Contém 60 páginas.

BOSMA, Carl. Os Salmos: Porta de entrada para as nações. São Paulo: Fôlego, 2009. Quando cristãos refletem sobre a base bíblica da missão da Igreja, normalmente concentram toda a sua atenção em textos-chaves do Novo Testamento. De fato, costuma-se focalizar quase que exclusivamente toda a atenção em Mateus 28.18-20. Infelizmente, porém, a reflexão cristã sobre a missão da Igreja dificilmente é pensada primeiramente à luz do Antigo Testamento e da missão do povo de Israel para as nações. Apenas casualmente um evento ou pessoa no Antigo Testamento nos faz lembrar essa missão de Israel para com as nações. Na verdade, alguns estudiosos questionam ou até rejeitam a idéia de que o Antigo Testamento contenha explicitamente o conceito de missão de Israel para os povos e para as nações. Mas é correto ignorarmos ou até questionarmos o testemunho do Antigo Testamento com respeito à missão de Israel e da Igreja como Israel de Deus (Gl 6.16)? No nosso ponto de vista, isso não é correto! O escritor Carl J. Bosma entra em defesa da posição de que, conforme o Antigo Testamento, Israel tinha uma tarefa missionária entre as nações, fazendo duas colocações hermenêuticas importantes. Primeiro, devemos nos lembrar de que o Novo Testamento está baseado no Antigo Testamento, e isso inclui naturalmente o conceito de missões. Segundo, o conceito missionário não nasceu apenas no tempo do Novo Testamento. Muito pelo contrário, este conceito de missão baseou-se no Antigo Testamento. Através das páginas deste livro, teremos uma ampla perspectiva bíblica da missão da Igreja através dos relatos bíblicos de toda a Bíblia. O livro contém 92 páginas.

SITTEMA, John. Coração de pastor. São Paulo: Cultura Cristã, 2004. Quem pastoreia a igreja? A resposta será dada a partir de nossas conveniências pessoais, de nossas preferências e tradições ou a partir da Escritura? Um livro muito necessário, com muitas idéias úteis, encontradas na Escritura. Minha sugestão é que você o compre e o devore. John Sittema escreveu um livro excelente sobre o papel dos presbíteros, apoiado em estudo bíblico cuidadoso e rica experiência pastoral. Este é um livro desafiador e prático, um recurso muito valioso para a igreja hoje - Robert Godfrey, Presidente do Westminster Theological Seminary, CA. O livro contém 288 páginas.

LEWIS, C S. As crônicas de Nárnia - O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa. São Paulo: Martins Fontes, 2006. Ele relata as aventuras ocorridas em 1940 na Inglaterra, 40 anos após o que seria o início da saga descrita em O Sobrinho do Mago (1955). Em Nárnia já haveriam se passado mil anos, modificando, portanto, a maioria dos personagens da aventura anterior, com exceção do leão Aslam e da rainha Jadis, agora conhecida como Feiticeira Branca. A diferenciação do tempo entre os dois universos é muito utilizada por Lewis, deste modo, os mesmos personagens voltam a Nárnia em épocas diferentes, e suas aventuras anteriores são narradas como lendas. O livro contém 180 páginas.

PIPER, John, J. MacArthur, R. C. Sproul. Apascenta o meu Rebanho. São Paulo: ultura Cristã, 2009. A pregação bíblica está perto do extermínio em nossos dias. Há somente momentos para "compartilhar", "sugerir", repletos de casos e de pregações voltadas para suprir "necessidades emocionais". Mas a exposição da Palavra de Deus com autoridade é algo cada vez mais raro de se encontrar. Este livro é um apelo aos pregadores para que "preguem a Palavra". No Antigo Testamento, Deus se desagradou por seu povo estar perecendo por falta do conhecimento dele mesmo. Com muita frequência, aqueles que foram chamados para alimentar o rebanho de Cristo fazem pouco mais do que afagá-los, em vez de alimentá-los com a Palavra de Deus. Esta obra é para pastores e pregadores. Ela encoraja os pastores a honrar seu chamado. Ela guiará as igrejas a auxiliar seus pastores para que mantenham este padrão bíblico. Todo ministro da Palavra de Deus irá tirar proveito da leitura em oração deste livro. O livro contém 176 páginas.

NOUWEN, Henri. Conversa espiritual. Brasília: Palavra, 2009. Para variar um pouco, sempre aprendemos algo novo com Nouwen. sua espiritualidade e coração sensível mexe com a nossa estrutura. Vale a pena ler este pequeno livro editado pela Palavra.Contém 76 páginas.
COVENTRY, Angela M. Compreender Hume. Rio de Janeiro: Vozes, 2009. Este livro propõe uma apresentação acessível e unificada das contribuições mais importantes de Hume sobre a epistemologia e metafísica, de forma que não pressupõe qualquer familiaridade com Hume por parte do leitor. Mas apesar de ter sido escrito como um guia de orientação para o estudante iniciante, os debates acadêmicos em torno da filosofia de Hume não foram totalmente ignorados, pois foi feito o possível para manter o detalhe acadêmico num nível mínimo. Além disso, a autora também visita outras áreas do trabalho de Hume, especialmente suas opiniões sobre paixões, moral e religião. Contém 232 páginas.

MACARTHUR, Jr. John. Princípios para uma Cosmovisão Bíblica. São Paulo: Cultura.Cristã, 2003. 'Uma ensagem exclusivista para um mundo pluralista. Este pequeno livro deve ser um lembrete da distinção do evangelho. Justamente esta estreiteza coloca o Cristianismo à parte de qualquer outra cosmovisão. Afinal de contas, o ponto central do sermão melhor conhecido de Jesus foi declarar que a estrada para a destruição é larga e cheia, enquanto que a estrada da vida é tão estreita que poucos a encontram (Mt 7.14). Nossa obrigação é apontar a estrada tão estreita. Cristo é, ele mesmo, o único caminho para Deus, e obscurecer o fato é, na realidade, negar Cristo e desacreditar o evangelho em si. O livro contém 106 páginas.
PINK, Arthur W. Os sete brados do Salvador na cruz. São Paulo: Arte Editorial, 2009. A. W. Pink, cujos escritos têm despertado o interesse de novos leitores em anos recentes, faz uma exposição profunda, e ao mesmo tempo clara, a respeito das sete declarações feitas por Jesus durante as horas em que ele esteve crucificado. A partir de cada uma dessas declarações, A. W. Pink argumenta, com muita profundidade e clareza, as implicações teológicas, doutrinárias e práticas, fruto de uma elaboração que considera o todo da obra de Cristo e da revelação das Escrituras. É, sem dúvida alguma, um texto relevante para o cristão no século 21, tão carente de referenciais bíblicos sólidos, diante da pregação triunfalista que apresenta um cristianismo irreal e promete um estilo de vida estranho aos propósitos do Senhor para cada um de seus filhos. Contém 160 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas