Natal o ano inteiro

E vendo a estrela, a alegria deles foi imensa! Entrando na casa onde estavam o menino e Maria, sua mãe, eles se ajoelharam diante dele, para adorá-lo e lhe deram presentes (Evangelho de Mateus 2.10 e 11).

Estamos em um tempo bastante especial no calendário cristão – é tempo de Natal.
Mesmo para aqueles que não compreendem o seu verdadeiro sentido, e que vão sendo envolvidos pela cultura do consumo, que, usando de todas as armas possíveis, produzem uma miscelânea de figuras e símbolos que só dificultam a compreensão desse momento, ele traz-nos uma oportunidade de reflexão.
Se, para alguns, pode representar um tempo fútil e sem sentido, para aqueles que compreendem o que celebramos nesse momento, é um tempo especial, sim.
Gosto da recomendação de Paulo, quando ele diz: “Receber o que Deus fez por vocês é o melhor que podem fazer por Ele. Não se ajustem demais à sua cultura, a ponto de não poderem pensar mais. Em vez disso, concentrem a atenção em Deus. Vocês serão mudados de dentro para fora. Descubram o que Ele quer de vocês e tratem de atendê-lo. Diferentemente da cultura dominante, que sempre os arrasta para baixo, ao nível da imaturidade, Deus extrai o melhor de vocês e desenvolve em vocês uma verdadeira maturidade” (Rm 12:1 e 2–texto de “A Mensagem” de Eugene Peterson).
Também percebemos nesse tempo o desejo e o costume de trocas de presentes, o que acontece no ambiente familiar e mesmo profissional. São celebrações em família, ao redor de uma mesa farta (pelo menos para alguns) e uma bonita árvore (também para alguns) que essa troca de presentes acontece.
Mas, você já pensou em dar alguma coisa todos os dias do ano até chegar o Natal? Esses presentes diários poderiam ser chamados de “projetos natalinos”. Um por dia, todos os dias, até o Natal.
Você já imaginou isso? Pense como seria divertido poder dizer “Feliz Natal” em Julho!
Charles Swindoll fez essa sugestão em um livro de meditações diárias publicado em 2000 (“Day by Day”). Tomo a liberdade de transcrever abaixo algumas sugestões que fez, para sua reflexão:

Ø “Acabe com uma briga.
Ø Procure um amigo que ficou esquecido.
Ø Escreva um longo e atrasado bilhete de amor.
Ø Abrace alguém apertado e sussurre: “Amo muito você”.
Ø Perdoe um inimigo.
Ø Seja amável e paciente com alguém irritado.
Ø Alegre o coração de uma criança.
Ø Encontre tempo para cumprir uma promessa.
Ø Faça ou cozinhe alguma coisa para alguém... anonimamente.
Ø Afaste um ressentimento do seu coração.
Ø Escute.
Ø Fale bondosamente com um estranho.
Ø Participe da dor e da tristeza de alguém.
Ø Sorria.
Ø Ria um pouco.
Ø Ria mais um pouco.
Ø Vá passear com um amigo.
Ø Diminua suas exigências sobre outros.
Ø Ouça uma música agradável durante o jantar.
Ø Peça desculpas se estiver errado.
Ø Desligue a televisão e converse.
Ø Pague um sorvete para alguém.
Ø Lave a louça da família.
Ø Ore por alguém que tenha ajudado em seu sofrimento.
Ø Prepare o café na manhã de domingo.
Ø Dê uma resposta branda mesmo se estiver aborrecido.
Ø Encoraje uma pessoa mais velha”.
Ø Gostaria de acrescentar algumas sugestões:
Ø Ofereça-se como voluntário numa ação.
Ø Dê palavras de incentivo a um casal em conflito.
Ø Dê suporte a um adolescente ou jovem em atrito com seus pais.
Ø Visite alguém em um hospital.
Ø Mostre gratidão a alguém que lhe ajudou em algum momento.
Ø Demonstre amor através de uma atitude concreta.
Ø Identifique uma necessidade de sua família e disponha-se a esse favor.
Ø Veja uma dificuldade como uma oportunidade – apresente-se!
Ø Priorize um tempo com sua família.
Ø Surpreenda sua esposa (o).
Ø Reconheça humildemente sua deficiência.
Ø Demonstre graça a alguém (graça – tratar o outro como ele não merece).
Ø Reveja uma decisão tomada equivocamente.
Ø Aprenda observando o erro de alguém. “Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida”. (Platão)
Ø Escolha algo em você e disponha-se a mudar.
Ø Faça um compromisso de amor.

É interessante perceber que quando você se dá, o presente nunca precisa ser devolvido. Creio que oferecemos uma lista bastante expressiva que pode fazer diferença em sua vida e na vida de pessoas que você ama.
Reflita! Acerte suas prioridades! A mensagem do Natal nos dá conta de que o amor não precisa de um ambiente perfeito para ser manifestado – Jesus nasceu numa estrebaria.
Também nos diz que o amor não precisa de circunstancias ideais para se fazer presente – as tensões de Maria, a apreensão de José ou o momento de insegurança de um rei (Herodes) não inibiram a manifestação do amor de Deus revelado através do nascimento de Jesus.
Demonstre amor! Ofereça o seu amor como o melhor presente!
Receba de Deus o maior e melhor presente – JESUS!
Que Deus o abençoe rica e abundantemente o seu Natal,
Em Cristo,

_____________
Rev. Hilder C Stutz

Comentários

Postagens mais visitadas