Assistimos um filme maravilhoso: O Mordomo da Casa Branca

A trama se baseia livremente na história de Eugene Allen, mordomo negro que serviu presidentes na Casa Branca de 1952 a 1986. Embora utilize como base uma reportagem publicada no jornal Washington Post em 2008, o filme muda o nome do mordomo e fixa em passagens de sua vida. Allen não cresceu num campo de colheita de algodão no Sul nem teve um filho Black Panther, como o filme mostra, mas de fato ganhou uma gravata de Jacqueline Kennedy e foi convidado pelos Reagan a um jantar oficial na Casa Branca. O essencial é o que o mordomo - Cecil Gaines no filme, vivido por Forest Whitaker - representa, enquanto testemunha negra in loco das principais decisões tomadas pelos presidentes dos EUA em relação aos direitos civis no país. Daniels faz o registro solene e dramático que se esperaria desse material, mostrando como o mordomo, nas palavras de Martin Luther King (Nelsan Ellis), subverte a imagem de "negro da casa" e se equipara ao branco em terreno inimigo.

Comentários

Postagens mais visitadas