Pular para o conteúdo principal

Leituras em maio de 2020


PARANAGUÁ, Glenio. Na escola do discernimento. Panará: Editora Ide Cristão, 2017. O discernimento espiritual é um dom de Deus que qualifica os Seus filhos a distinguir a realidade espiritual, daquilo que tem mera aparência de espiritualidade, mas não passa de algo místicos ou apenas psicológicos. Saber discernir a diferença do cajado de Moisés, transformado em cobra, das varas dos magos, que viraram serpentes, é fundamental na vida cristã. Nem tudo que se vê no âmbito das igrejas, na história do cristianismo, tem caráter espiritual. Nesta obra o autor Glenio Fonseca Paranaguá, busca incentivar essa capacidade crítica do povo de Deus para não comer gato por lebre, como é tão comum no mercado da religião. saiba que, se alguém lhe enganar a primeira vez, a culpa é sua, diz um ditado árabe. Contém 92 páginas.

PARANAGUÁ, Glenio. A salvação da alma. Panará: Editora Ide, 2018. Neste livro A Salvação da Alma do autor Glenio Fonseca Paranaguá, mostra que a salvação não é um incidente acidental ou um simples remendo para consertar um acontecimento não previsto. Antes da criação a Trindade já havia visto, previsto e predeterminado soberanamente todo o processo da criação, bem como todos os meios da redenção sob os efeitos dos pecados, já conhecido de antemão. A salvação tem três tempos: passado, presente e futuro. Fui salvo da condenação do pecado, em meu espírito. Estou sendo salvo do poder do pecado, na minha alma serei salva da presença do pecado, quando receber o corpo glorioso, no retorno do Nosso Senhor Jesus Cristo. Este livro tem como destaque a salvação no tempo de hoje, ou seja, a salvação da alma. Oramos para que o Espírito Santo conceda revelação a todos, que pela graça do Pai, vieram a lê-lo com este projeto. Não adiante termos o nosso espírito vivificado, devemos ainda experimentar a salvação da nossa alma. Contém 126 páginas.

PARANAGUÁ, Glenio. O Evangelho das insondáveis riquezas de Cristo. Panará: Editora Ide, 2017. A religião é aquilo que os homens fazem para tentar alcançar Deus no último degrau da escada, enquanto o Evangelho é como um elevador em que Deus desce e faz tudo para alcançar e salvar o Seu povo, através de Cristo. A religião é uma conquista do suor humano, porém o Evangelho é o dom da graça mediante o sangue de Jesus, crucificado. Este pequeno livro procura de modo enfático e consistente focalizar a excelência das insondáveis riquezas do Evangelho de Cristo Jesus e cremos que você será enriquecido com a sua leitura. Assim, dizemos como J. Blanchard - “não podemos levar o mundo todo a Cristo, mas podemos levar Cristo a todo o mundo.” Para o teólogo inglês J. I. Parker, “em última análise... há uma única forma de evangelização, a saber: o evangelho de Cristo, explicado e aplicado.” Contém 96 páginas.

PETERSON, Eugene. Espiritualidade subversiva. São Paulo: Mundo Cristão, 2003. O livro é uma coletânea de escritos de Eugene Peterson sobre teologia espiritual, desenvolvidos ao longo de vinte e cinco anos. O livro está dividido em cinco grandes partes, todas subdivididas em capítulos. Espiritualidade: Peterson inicia afirmando que o livro de Marcos é fundamental para a espiritualidade cristã; trata da importância de se escutar a voz de Deus; ensina a trilha da verdadeira espiritualidade; fala sobre anjos e a função do seminário para a formação espiritual. Estudos bíblicos: Isaías, Jeremias, Apocalipse e a ressurreição são alguns dos temas trabalhados nesta parte do livro. Poesia: As bem-aventuranças interpretadas em forma poética. Leituras pastorais: Aqui, Peterson analisa o ministério pastoral: fala sobre a função do pastor, os perigos que ele corre por estar sob os holofotes, os falsos mestres que estão por aí como lobos em pele de cordeiro, e cita grandes nomes da teologia, a começar pelo apóstolo João. Conversas: Esta última parte reúne uma série de entrevistas, conversas, que diversas pessoas tiveram com o autor. É um mosaico composto de artigos, estudos, leituras e entrevistas que revelam quão indispensável é a teologia espiritual como fonte de renovação da cristandade. Contém 320 páginas.

PETERSON, Eugene. Um pastor segundo o coração de Deus. Um antídoto para algumas práticas superficiais, empresariais e, especialmente, seculares, que fazem parte do ministério pastoral da atualidade. São Paulo: Mundo Cristão, 2008. Este livro é um antídoto para algumas práticas superficiais, empresariais e, essencialmente, seculares que fazem parte do ministério pastoral da atualidade. O objetivo deste livro é o de que os pastores repensem, a partir de si mesmos, o ministério pastoral como é vivenciado hoje. Existe um modelo pastoral bíblico e histórico? Quando e como foi que nós alteramos essa vocação tão sublime? Qual é o referencial para aqueles que estão entrando nos seminários? Um livro instigante. Peterson desafia, de forma estimulante, grande parte das práticas pastorais da atualidade. Seu chamado a voltarmos ao fundamental não pode ser ignorado e classificado como ultrapassado ou simplista. Sua obra tem o toque inconfundível de verdade. Contém 184 páginas.

SPURGEON, Charles. Livro Salmo 119 O alfabeto de ouro. São Paulo: Editora Fiel, 2002. Nasceu em 1834 e faleceu em 1892, Charles Haddon Spurgeon, começou seu pastorado aos 17 anos em uma igreja em Cambridgeshire. Mudou para New Park Street Chapel em Londres no ano de 1854. Depois de 5 anos na cidade ficou conhecido como o ministro mais famoso da cidade. Pedra fundamental de um novo edifício chamado Metropolitan Tabernacle foi lançada em 1859. Charles Haddon Spurgeon pregou para uma congregação com cerca de 6.000 pessoas e também alcançou uma audiência de aproximados um milhão de pessoas em sermões impressos que escrevia semanalmente. Contém 232 páginas.

NOUWEN, Henri. Trabalho pela paz: Oração, resistência, comunidade. São Paulo: Loyola, 2008. No começo da década de 1980 escreveu este livro como contribuição à Igreja e ao movimento pela paz, para que os que marchavam em defesa da paz enraizassem suas ações no cerne da paz: em Jesus, que é a face da paz de Deus, e em seu Espírito Santo. Embora partes deste manuscrito tenham sido publicadas, Henri nunca chegou a publicar o texto completo. Em Estrada para a paz, publicada após sua morte repentina em 1996 ? traduzido e publicado por Loyola em 2001 ?, foram reunidos textos do autor disponíveis sobre paz e justiça. Mas o texto completo de Trabalho pela paz, incluindo o capítulo sobre comunidade e a conclusão, é publicado agora pela primeira vez. Neste livro, Henri liga sua experiência pessoal de Deus, suas visões da psicologia pastoral e sua compreensão do discipulado cristão não só aos pobres e alquebrados ao nosso redor, mas também às injustiças globais de nossos tempos. Contém 120 páginas.

CHANDLER, Matt e Michael Snetzer. O resgate da redenção. São Paulo: Editora Vida Nova, 2018. O resgate da redenção, escrito com a intensidade ousada de um pastor e com a visão perspicaz de um conselheiro, fará você se aprofundar nas Escrituras para que possa se aprofundar em si mesmo e descobrir que o coração de todos os nossos problemas é na verdade o problema do nosso coração. Mas, por causa de tudo o que Deus fez e pode fazer, a pessoa mais confiante e satisfeita que você já conheceu pode ser, na verdade, você mesmo — redimido por meio de Jesus Cristo. Contém 202 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …