Pular para o conteúdo principal

Leituras em junho de 2020


1. SCHAEFFER, Francis A. O Deus que se revela. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2018. O Deus que se revela forma com A morte da razão e O Deus que intervém a trilogia clássica de Schaeffer. É o último da trilogia. Segundo o autor: “O livro trata de como podemos vir a saber e como podemos saber que sabemos.” Assim, Schaeffer pondera que o pensamento moderno está fundamentalmente errado nas posições quanto a como sabemos e o que sabemos. Contrastando com o silêncio e desespero do homem moderno, Schaeffer mostra que podemos de fato conhecer o Deus que intervém porque ele se revela. Contém 144 páginas.

2. WATTS, Rikk. Isaías. A mensagem do profeta para o Brasil de nossos dias. São Paulo: Editora Sepal, 2002. Violência urbana, sensualidade desmedida, exploração, opressão, concentração de riquezas, abuso de poder, falsa moralidade, religiosidade vazia. Engana-se quem pensa que estamos destacando os temas dos jornais desta manhã. Estes são problemas de Israel registrados pelo profeta Isaías, quase mil anos antes do nascimento de Cristo. Claro que os problemas acima também refletem nosso cotidiano, seja numa grande Metrópole, como São Paulo, ou em pequenos vilarejos espalhados pelo país. Dr. Rikk Watts, um dos maiores expositores da Bíblia da atualidade, estabelece, nesta obra, um paralelo entre Israel dos tempos de Isaías e o Brasil de hoje. Sua leitura torna o texto sagrado atual e indispensável. Ele lança luz sobre nossos maiores problemas, enquanto nos resgata a esperança de construirmos uma Igreja com os valores do Reino de Deus. Contém 128 páginas.

3. PARANAGUÁ, Glenio. As marcas da igreja na história. Panará: Editora Ide, 2017. O candelabro é um tipo da igreja. Ele foi esculpido com o peso de 1 talento de ouro, cerca de 36 kg, sem emendas e com 22 conjuntos de botão, flor e fruto, perfazendo 66 elementos. Tudo isto apontava para as 22 letras do alfabeto hebraico e para o conjunto dos 66 livros que formariam a Bíblia, que é a luz que ilumina o caminho da igreja. João Calvino disse que “a Bíblia é o cetro pelo qual o Rei celestial governa Sua igreja.” Não há dúvida que a igreja é um produto do Verbo de Deus, governada pela Bíblia. Aqui nesta obra, o autor procura demonstrar que as 7 igrejas do livro de Apocalipse revelam os 7 períodos da história da igreja até a parousia, isto é, o segundo advento de Cristo. O Espírito Santo, em sua onisciência, deixou certas informações em cada igreja, apontando para os eventos da história. Acreditamos que você será edificado com a leitura deste pequeno volume, que sintetiza: As Marcas da Igreja na História. Contém 80 páginas. 

4. NOUWEN, Henri. Adam, o amado de Deus. São Paulo: Paulinas, 2002. Nouwen planejava escrever um livro sobre o credo apostólico. Porém, a morte de Adam, um jovem portador de grave deficiência, fez com que mudasse de ideia. Ele percebeu que, ao refletir sobre a morte do amigo, descobrira um modo de descrever sua própria compreensão da mensagem do Evangelho. Numa comovente memória pessoal, Nouwen conta desde seus desajeitados primeiros encontro com Adam, quando fora encarregado de cuidar dele pela manhã, até chegar a se tornar aquele que era cuidado. Adam exerceu um importante papel na cura de Nouwen, levando-o a compreender o verdadeiro sentido da pobreza espiritual e da misteriosa graça do amor de Deus. Em Adam, o amado de Deus, livro terminado poucas semanas antes de sua morte, Nouwen deixou uma verdadeira reflexão sobre sua própria mensagem e legado. Contém 80 páginas. 

5. HASTINGS, Max. Inferno: O mundo em guerra 1939-1945. Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 2012. Para muitos historiadores, nenhum outro acontecimento da história da humanidade teve o impacto da Segunda Guerra Mundial, que entre 1939 e 1945 abalou as vidas de centenas de milhões de pessoas em todo o planeta. Jornalista especializado na cobertura de conflitos, com vinte livros publicados, o inglês Max Hastings traça, em apenas um volume, um vasto painel da guerra em todos os fronts, colocando em primeiro plano o testemunho de pessoas comuns, obtido em cartas, diários, livros de memórias e depoimentos. Contém 674 páginas. 

6. PALMER, Edwin H. O Espírito Santo e a Trindade. El Estandarte de la Verdad, 1995. Em uma forma precisa e detalhada, o Dr. Palmer descreve uma maneira de ampliar o trabalho do Espírito Santo na criação, na graça comum, na regeneração e no santifico. Esta apresentação enriquece o conhecimento e a profundidade de cada cristão. Contém 255 páginas. 

7. KELLER, Timothy. O profeta pródigo. Jonas e o mistério da misericórdia de Deus. São Paulo: Editora Vida Nova, 2019. Keller revela as camadas escondidas do livro de Jonas e mostra que, apesar de o protagonista dessa história ter sido um dos piores profetas de toda a Bíblia, ele tem muito em comum com a Parábola do Filho Pródigo e com o próprio Jesus, o qual vê muitas semelhanças entre si e o “profeta pródigo”. Assim como a história de Jesus não acabou após três dias no sepulcro, o relato sobre a vida de Jonas também não chegou ao fim depois do mesmo período dentro do grande e misterioso peixe: ainda havia uma segunda parte a ser cumprida em seu ministério. Keller interpreta a extraordinária (e enigmática) conclusão dessa história e nos mostra a poderosa mensagem por trás da vida de Jonas: a extraordinária graça de Deus. Contém 208 páginas. 

8. NOUWEN, Henri. A via sacra do mundo. São Paulo: Edições Loyola, 1998. Jesus caminhou pelas aldeias e pelos campos da Palestina. Ele caminhou ao encontro das pessoas, oferecendo a Boa Nova do Reino e o toque de cura de sua compaixão. E por fim, caminhou do Getsêmani para a Cruz, no Calvário. Este livro de meditações inspirado numa série de ilustrações de Helen David, representa a tradicional via-sacra (sagrado caminho!), aproximando-a da paixão e do sofrimento dos pobres do mundo. Um prisioneiro político, um camponês acabrunhado pelo peso de uma carga de madeira, um menor abandonado, uma mãe em prantos por seu filho assassinado, um lavrador exausto, quatro mártires da Igreja. Nestas imagens, Nouwen vê a continuação da Paixão de Cristo. Em e por Jesus, nosso mundo pode vir a ser um, porque Ele, em divino amor, abraça a todos nós para nos levar à ressurreição. Contém 77 páginas. 

9. BEEKE, Joel. Calvino para hoje. Uma contínua influência sobre a igreja e sobre a sociedade. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2017. Esta antologia de ensaios que exploram a relevância de João Calvino para nossos tempos. O livro é um convite para vermos nas escolas de teologia, uma forte combinação de erudições e corações pronta e sinceramente oferecidos a Deus. Esses ensaios compõem uma das melhores obras literárias sobre o assunto. Os leitores recebem uma apresentação especializada de Calvino como exegeta, reformador, pregador, teólogo, líder, missionário, e da sua grande influência até hoje. Agradável de ler, contém pesquisas primorosas e retrata o lado prático do grande reformador João Calvino. Contém 288 páginas. 

10.BEEKE, Joel. Nossa herança reformada: O justo viverá por fé. São Paulo: Editora Os Puritanos, 2005. Ele fez a exposição de Romanos 1:16-17 e o foco foi na última parte do versículo 17, ele considerou a nossa Herança Reformada como o justo vivendo pela fé. A doutrina do justo vivendo por fé: 1. Como fundamental para o rompimento da Reforma. 2. Como fundamental para a continuação da Reforma. 3. Como fundamental para o reavivamento nos dias atuais da verdade da Reforma. Contém 39 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …